Metal – Torture Squad toca em Londrina em fevereiro

A banda paulista Torture Squad, uma das mais emblemáticas do trash/death metal brasileiro, se apresenta em Londrina no dia 9 de fevereiro (Confira o Evento). O show acontece no Bar Valentino com abertura da londrinense Corpsia. Ingressos começam a ser vendidos no dia 17 no Barbearia Londrina e na Sonkey.

Torture Squad toca em Londrina em fevereiro

O show de Londrina será parte da turnê do EP Return of Evil lançado em 2016. O grupo, fundado em 1990, hoje é formado por Amilcar Christófaro (bateria), Castor (baixo e vocal), Rene Simionato (guitarra) e Mayara “Undead” Puertas (vocal). A banda tem essa formação, com Mayara nos vocais, e Rene desde 2015 quando o vocalista/guitarrista André Evaristo deixou a banda.

Além do EP, o grupo lançou em 2015 o EP Possessed by Horror Coup além do disco ao vivo Coup D´État Live no mesmo ano. Além dos compactos, a banda já lançou oito discos de estúdio desde sua fundação.

Em Londrina, a abertura do show contará com participação do trio londrinense de metal Corpsia, que lança neste ano seu primeiro trabalho intitulado “Genocides in the name of God” – Confira entrevista com a banda. O evento contará também com discotecagem de Guilherme Corazza.


SERVIÇO
Torture Squad em Londrina
com abertura da banda Corpsia + discotecagem
Quando: 09/02
Onde: Bar Valentino
Ingressos: R$ 20 (Antecipado)

Cabaret Valentino – Autores londrinenses lançam livros

Acontece hoje em Londrina a terceira edição do Cabaret Valentino, evento cultural notório pela proposta cultural e pela proposta ligada à literatura e ao pensamento em geral. Sendo sempre utilizado como espaço para lançamento de livros e também para a presença de escritores conhecidos como Viviane Mosè, Xico Sá e Luiz Felipe Pondé. Nesta edição de setembro, autores londrinenses lançam a coletânea de poesias ‘Pó’ (Editora Madrepérola 2016) feita por trabalhos dos poetas: Ana Lilian Parrelli, Elis Regina Monteiro, Gabriel Mazamboni & Vitor Madi Sant’Anna.
14233008_782741661829316_4983802925656880694_n
Segundo  Elis Regina Monteiro, o livro foi originado após um encontro dos autores participantes que, não se conhecem todos até o lançamento. “A gente se conheceu aqui da UEL mesmo, fomos nos conhecendo, eu encontrei o Gabriel Giannattasio, mentor do projeto (Professor de história na UEL) e fomos desenvolvendo a ideia. Este é meu primeiro livro, a ideia surgiu a partir do próprio Cabaret. Eu já escrevia antes, os textos da coletânea foram feitos especificamente para este livro, o tema geral é um brinde a vida… Escrevo desde a época de escola. Alguns autores como Guimarães Rosa, Manoel de Barros e Paulo Leminski foram referência”, contou Elis Regina, uma das escritoras, durante entrevista ao Rubrosom. “O Pauluk e o Rafael Silva (Da Editoar) fizeram um contato com a gente através do Cabaret Valentino anterior, e ai, nós fomos pensando em pessoas aqui de Londrina. Chamei ele para participar de uma roda de conversas e, entre o final do ano passado e esse ano, falados sobre o ‘Pó’…’, conta Elis sobre a origem do trabalho.

imagem-autores-1
Ilustração feita com a face dos autores de ‘Pó’ – Ilustração: Gabriel Mazamboni

Outro autor londrinense que lança um trabalho durante o evento é Aguinaldo Pavão, com seu trabalho  “Chope Filosófico” que trata de temas comuns em discussões cotidianas, sempre com um tom informal, variando da crítica ácida à bem-humorada. Capitalismo, futebol, beijo gay, voto nulo, drogas, aborto, liberdade e poder são alguns assuntos abordados.

Também de Londrina, o escritor Felipe Pauluk traz para o ‘Cabaret’ também seu livro de poesias ‘Tórax de São Sebastião’, lançado neste mês durante o Carnasarau.  Segundo a apresentação, ‘Um livro de poesia marginal que acontece de dentro para fora, como se fosse o dia-a-dia de um homem só, de um homem fora do usual”, de acordo com o autor, o significado do nome nada tem a ver com o sentido religioso ou santificado. “Tórax de São Sebastião é o título de um dos poemas que compõem o livro e como despejei muito sofrimento nesta obra, achei que o sofrimento eterno do santo representa bem como o corpo de um poeta dói todos os dias, até sangrar e virar livro…”, contou Pauluk em conversa com nossa reportagem na época do lançamento.

Lançamentos

Outros dois livros serão lançados durante o evento são “O DEMÔNIO DA GARRAFA” de Hell (Editora Multifoco 2016). e “CONSIDERAÇÕES SOBRE O MAL. O ANTICRISTO DE LARS VON TRIER: TEODICEIA E GNOSTICISMO” de Flavia Arielo.

O Demônio da Garrafa – Sinopse: O Capeta, ou Satanás, ou Diabo, ou Tinhoso, ou Coisa-ruim, ou tantos outros nomes divertidos, faz parte do imaginário humano e de crenças populares desde tempos antigos. Em cada época ele teve uma representação diferente, mas querendo ou não, está sempre presente, mesmo que seja para amassar um pão ou para ser apenas pobre. Mas de fato, o Trevoso é inspirador. Fausto fez um pacto com Mefistófeles. Giuseppe Tartini sonhou que o Diabo pegou seu violino e tocou aquela que seria a Sonata do Diabo, sua maior obra. Ora, “O Demônio da Garrafa” é uma comédia conduzida em clima de suspense, e é óbvio que o Diabo não poderia ficar de fora.

Considerações sobre o mal. O Anticristo de Lars Von Treier: Teodiceia e Gnosticismo –

Sinopse: A pergunta pelo sentido da vida não é simplesmente uma indagação que se faz numa aula de filosofia ou teologia. Ou mesmo em sessões de supervisão psicológica. É uma questão que se faz em hospitais, cemitérios, campos de batalha ou no silêncio de uma noite insone. Esta pergunta, normalmente, vem encarnada em alguma forma de sofrimento real.

A resposta para esta questão, muitas vezes, assumiu a forma de uma esperança de que a vida justa garantiria uma vida sem muito sofrimento, o que, por dedução, implicaria que o sentido da vida seria viver uma vida moral. O fato óbvio de que essa implicação é falsa o bastante para perdermos a fé nela, levou muito filósofo a criar uma área da filosofia especializada em indagar o porquê do justo sofrer, inspirada no clássico livro de Jó da Bíblia Hebraica. A área especializada na indagação do por que o justo sofre é a teodiceia. O livro de Flávia Arielo é um diálogo com esta tradição.

A autora usa como ferramenta filosófica e teológica o filme “Anticristo” do dinamarquês Lars Von Trier. A fim de identificar esta obra com a teodiceia, Flavia Arielo faz um recuo metodológico para revelar as relações entre Lars Von Trier e uma tradição pessimista no Ocidente que concluía que o mundo é mau porque seu criador é mau: o gnosticismo.


SERVIÇO
Cabaret Valentino

Local: Bar e Restaurante Valentio (Pref. Faria Lima, 486 – Jardim Pres., Londrina – PR)
Data: 28 de setembro de 2016
Hora: 20:00 horas
Convites: somente no dia a R$ 5,00