Londrina – Teatro Tempos de Cléo propõe encontro ao ar livre

No próximo fim de semana, o espetáculo teatral Tempos de Cléo será apresentado pela primeira vez na cidade. A produção é um solo de Márcia Costa com direção de Gabi Fregoneis, texto e assistência de direção de Carolina Santana, figurino de Cristine Conde, identidade visual de Sérgio Augusto e a produção de Rachel Coelho. Serão duas datas, nos dias 5 e 6 de novembro no Sesc Cadeião Cultural.

O espetáculo estreou em outubro de 2015 em Maringá, após mais de um ano de processo, cumprindo temporada de dez apresentações em locais variados, como a feira livre - Foto: Annelize Tozetto
O espetáculo estreou em outubro de 2015 em Maringá, após mais de um ano de processo, cumprindo temporada de dez apresentações em locais variados, como a feira livre – Foto: Annelize Tozetto

Realizado com recursos do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz/2014, a primeira inspiração para este trabalho foi uma personagem real das ruas maringaenses chamada Cléo. Foi a partir da observação desta assídua frequentadora do campus da Universidade Estadual de Maringá (UEM) que o projeto surgiu e ganhou corpo, para aos poucos, durante o processo, descolar-se da personagem e seguir outros rumos. “Tempos de Cléo” propõe um encontro ao ar livre. “De repente, nos deparamos com a errante, uma acumuladora de histórias e seu corpo transbordado de memórias. Em uma pessoa está a lembrança de muitas: a alegria de Jéssyca, o amor da mulher que só por amar já vai pro céu, a simpatia do consertador de sapatos, o nervoso ex-militar da feira, o delicado vendedor de algodão doce, o intrépido homem que não toma remédio contra HIV e tantos outros e outras que estão nessa instigante jornada. No espaço de passagem ou na passagem do tempo fica o convite para saborear essas histórias”, afirma a apresentação da peça.

O grupo realizou diversos estudos teóricos, tendo como ponto de partida o livro “Elogio aos errantes”, de Paola Berenstein Jacques, passando por obras de Walter Benjamin, Michael Lövy e André Carreira - Foto: Rafael Saes
O grupo realizou diversos estudos teóricos, tendo como ponto de partida o livro “Elogio aos errantes”, de Paola Berenstein Jacques, passando por obras de Walter Benjamin, Michael Lövy e André Carreira – Foto: Rafael Saes

O espetáculo estreou em outubro de 2015 em Maringá, após mais de um ano de processo, cumprindo temporada de dez apresentações em locais variados, como a feira livre, a Universidade Estadual de Maringá, praças e Academia da Terceira Idade do Conjunto Ney Braga. Desde então, o espetáculo vem participando de festivais, tais como a mostra FRINGE, do Festival de Curitiba; o FESTIA – Festival Internacional de Teatro de Canoas (RS) e o FETACAM – Festival de Teatro de Campo Mourão.

Processo – Foi em julho de 2014 que o grupo começou a se encontrar para escrever o projeto e visualizar como seria a montagem da peça. Em outubro foram contemplados com o Prêmio da Funarte, que demorou alguns meses para depositar os recursos (somente em março de 2015). No meio disso tudo, uma gestação: a diretora Gabi Fregoneis teve uma filha, que nasceu em maio de 2015. Paralelamente, a atriz realizou experimentações nos lugares escolhidos para apresentação, aplicando “dispositivos”, tais como andar de costas lendo jornal, abraçar uma lixeira, escovar uma peruca e oferecer café e conversa grátis). O objetivo era provocar reações e entrar em contato com histórias, anseios e testemunhos.

(Com informações da Assessoria de Imprensa)


Ficha Técnica completa
Atuação: Marcia Costa
Direção: Gabi Fregoneis
Texto e Assistência de direção: Carolina Santana
Figurino: Cristine Conde
Projeto visual: Sérgio Augusto
Fotografia: Rafael Saes
Música: Édipo Leandro Ferreira
Produção e Assessoria de Imprensa: Rachel Coelho
Assistência de Produção (1ª temporada): Lucas Fiorindo
Registro em vídeo: Gabriel Dominato
Costura: Adriana Madeira
Classificação livre
Duração: 60 minutos


Serviço
Espetáculo teatral – Tempos de Cléo
Dias 05 e 06 de novembro de 2016, às 18h
Entrada Franca* (espetáculo apresentado em espaço aberto. Em caso de chuva a ação será transferida para dentro da Unidade, podendo estar sujeita à limitação de lugares)
SESC Cadeião Cultural
Rua Sergipe, 52, Centro, Londrina/PR

 

Shakespeare inspira comédia teatral no Circuito Cultural Sesi

A partir do dia 20 de setembro, cidades da região norte do estado recebem o Circuito Cultural Sesi com a montagem Shakespeare para todos: Muito Barulho por Nada, dirigida e adaptada por Pedro Ochôa. A peça de circo-teatro inspira-se no clássico de Shakespeare Muito Barulho por Nada, considerado um dos textos mais engraçados do dramaturgo inglês, nesta versão recebe uma dose de contemporaneidade ao ter sua linguagem adaptada para a linguagem de hoje, sem perder o brilhantismo dos diálogos que caracterizam a obra original. A peça passa por Santo Antônio da Platina (dia 20), Londrina (21), Apucarana (22) e Arapongas (23), com apresentações gratuitas.

Shakespeare inspira comédia teatral no Circuito Cultural Sesi
O espetáculo é resultado do trabalho do Circo Teatro Sem Lona, de Maringá. O elenco conta com Pedro Ochôa, que também assina a produção e a iluminação, Mateus Moscheta, Flavio Cardoso, Andressa Costacurta, Bruna Carvalho e Paula Renata Barbosa da Silva – Foto: Divulgação

O espetáculo é resultado do trabalho do Circo Teatro Sem Lona, de Maringá. O elenco conta com Pedro Ochôa, que também assina a produção e a iluminação, Mateus Moscheta, Flavio Cardoso, Andressa Costacurta, Bruna Carvalho e Paula Renata Barbosa da Silva.

Shakespeare para todos: muito barulho por nada estreou em 2015, em Maringá, e marca a primeira adaptação do clássico inglês do grupo, na linguagem de circo-teatro. De acordo com Pedro Ochôa, o texto foi escolhido devido a sua característica de ser universal, agradar a todas as idades de expectadores, podendo ser apreciada por um público eclético. Sobre o processo criativo, Pedro conta que houve bastante preparação do grupo. “Fizemos um laboratório sobre a linguagem shakespeariana, adequando a linguagem popular de rua e as técnicas circenses, trazendo as cantigas populares para a música ao vivo”, diz. O grupo Circo Teatro Sem Lona também preservou algumas características da montagem original, como as características do espaço cênico; o cenário como simulação de um pequeno teatro “Elizabetano” com varanda; a participação da plateia, fazendo referência aos nobres que assistiam às peças de lugares privilegiados; os figurinos, que lembram as roupas da época de Shakespeare, além da música ao vivo, tocada por atores do elenco.

Sobre o Circuito Cultural Sesi – O Circuito Cultural Sesi percorre todo o Paraná levando espetáculos culturais ligados as Artes Cênicas ou Música para diversas cidades e tem a proposta de oportunizar acesso ao bem cultural aos trabalhadores da indústria, seus dependentes e comunidade local.

(Com informações da Assessoria de Imprensa)


Serviço:
Circuito Cultural Sesi apresenta: “Shakespeare para todos: Muito barulho por nada”

Londrina Cultura – Plataforma promete melhorar a divulgação de artistas e projetos

Em Londrina, apesar das relativas divergências de ideias e, algumas vezes, das várias realidades que grupos culturais diferentes enfrentam, há um certo consenso sobre a necessidade de uma plataforma ‘unificada’ para divulgar melhor eventos e apresentações artísticas feitas pela cidade. Apesar de ferramentas como a internet e as redes sociais, eventualmente, há dificuldades em saber sobre eventos de Londrina, especialmente quando acontecem mais afastados da região central. Pensando nisso, uma nova facilidade, lançada nesta quarta-feira (06) promete oferecer soluções à produtores culturais e grupos que, por diversas razões, encontram problemas para ter visibilidade com suas realizações. Trata-se da plataforma ‘Londrina Cultura’.

Uma ferramenta de busca aliada a um 'mapa' permitem localizar eventos em toda a cidade - Foto: Divulgação
Uma ferramenta de busca aliada a um ‘mapa’ permitem localizar eventos em toda a cidade – Foto: Divulgação

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria de Cultura, disponibiliza a partir desta quarta-feira o sistema, que poderá ser acessada no endereço londrinacultura.londrina.pr.gov.br. O evento será às 19 horas, na Biblioteca Pública Municipal Pedro Viriato Parigot de Souza, na avenida Rio de Janeiro, 413. É uma plataforma livre, colaborativa e gratuita que permite localizar agentes, espaços, projetos e eventos culturais de Londrina. Ele funciona + ou menos como uma mistura de rede social (Onde artistas individuais e grupos podem criar perfis) com um aplicativo de mapa, permitindo assim, marcar o local e data de eventos em toda a cidade.

A plataforma permite ainda criar eventos, inclusive, em pontos como praças ou vias públicas que normalmente não são considerados ‘localidades usuais’ por outros tipos de ferramentas. A medida deve favorecer também grupos que se apresentam em locais públicos, ou ainda, realizações itinerantes da cidade.

O software foi elaborado para aprimorar a gestão e contribuir com a difusão da produção e da diversidade cultural e artística. De acordo com a secretária municipal de Cultura, Solange Batigliana, o “Londrina Cultura” é um novo recurso que apresenta uma interface colaborativa na qual os usuários poderão inserir e consultar informações georreferenciadas sobre agentes, espaços, projetos e eventos culturais. “É uma plataforma dinâmica que reunirá estas informações, fornecendo ao poder público uma radiografia da área de cultura e ao cidadão um mapa com agentes, espaços e eventos culturais da região”, ressaltou.

Solange destacou ainda que na plataforma é possível encontrar agentes culturais, produtores, artistas e grupos de diversas áreas culturais.  “Será possível saber o que está acontecendo no cenário cultural, quais, quando e onde serão os shows, peças, apresentações, exposições, e demais eventos que agitam a cidade. Também será possível localizar os espaços que recebem estas atividades, horário de funcionamento, fotos e agenda de cada espaço, além de festivais, ciclos, mostras, e  muito mais  do que acontece no cenário cultural num só lugar.”

O “Londrina Cultura” foi criado a partir do software livre Mapas Culturais desenvolvido pelo Instituto TIM, faz parte do Sistema Municipal de Informações e Indicadores Culturais – SMIIC e Sistema de Informações Geográficas de Londrina– SIGLON.

Capacitação – Desde o início de março estão sendo realizadas oficinas para que agentes culturais e servidores do Município aprendam a utilizar todo o potencial da plataforma “Londrina Cultura”.  Até o momento 30 pessoas foram capacitadas.
__
Serviço
Lançamento ‘Londrina Cultura’
Quarta-feira 06/04/2016
19h, – Biblioteca Pública Municipal (Av. Rio de Janeiro, 413)