Ocupação da Rádio UEL – Estudantes publicam nota sobre situação

Desde o último dia 2 de Novembro, estudantes de Comunicação (Jornalismo e Relações Públicas) da Universidade Estadual de Londrina, ocuparam o prédio da Rádio UEL, situado no Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA). Segundo comunicado, inspirados pelas ocupações realizadas na própria UEL e por todo o Brasil, os estudantes pontuam que: “Acreditamos que esta seja a única forma possível de resistência contra as constantes afrontas à educação, tanto por parte do governo estadual quanto do federal. Somos contrários à PEC 241 (ou 55 agora no Senado Federal), que levarão ao sucateamento dos serviços públicos como Saúde e Educação por meio de um teto de gastos pelos próximos anos”, afirma a postagem.

Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Nesta sexta-feira (04), pela manhã, o grupo divulgou uma nova nota, de modo a prestar alguns esclarecimentos sobre a atual situação da ocupação.”Primeiramente, a decisão de ocupar a rádio em vez do Departamento de Comunicação foi política. Foi feita em assembleia realizada na terça-feira (1), em que todos os estudantes eram bem-vindos (e ativamente requisitados) e poderiam apresentar seus pontos de vista contrários. A decisão foi unânime… Por que a rádio UEL?  O CECA já estava ocupado por estudantes de quatro cursos no dia da nossa ocupação (Música, Pedagogia, Artes Cênicas e Artes Visuais). Desde a primeira ocupação, que já se estende por 11 dias, mal se afetou a comunidade interna, quem dirá a externa…” afirma a postagem feita através da página da ocupação. A nota ainda cita que, diferentemente do que alguns setores afirmaram, “Nunca quisemos atravessar negociações entre docentes, a diretoria da rádio e a reitoria. O Diretório Central dos Estudantes, órgão que nos representa, não assinou nenhum acordo. Antes da ocupação não havia nada concreto sobre as mudanças na programação da rádio no que compete a greve de docentes e demais servidores, inclusive porque a reitora ainda iria colocar suas ponderações”. Confira a nota na íntegra AQUI


Em Londrina, jornalistas responsáveis pelo Jornalismo Periférico, fizeram também um vídeo, no qual, alguns dos estudantes presentes na ocupação informam sobre as motivações do ato – Como forma de protesto à PEC 55, antiga PEC 241. Assista:

De modo semelhante, um segundo vídeo foi publicado ontem, no qual o atual diretor da emissora Osmani Costa, informa sobre compromissos e responsabilidades envolvendo a rádio e motivações para questões como o corte do sinal de transmissão da rádio, feito logo após a ocupação no dia 2. O diretor informa, inclusive, que a partir desta sexta entraria estaria à disposição de um canal de comunicação com alunos, para, discutir algumas das pautas trazidas á tona. Confira o vídeo:

Nesta sexta-feira (04) Servidores da UEL se reuniram em assembleia, no anfietatro do HU. Pela manhã, na assembleia realizada no anfiteatro Pinicão, no campus, a maioria dos servidores se posicionou pela suspensão da greve iniciada no dia 17 de outubro. A posição final é a soma das duas decisões. Professores da UEL estão começando a assembleia agora, em primeira convocação – a segunda teve início por volta das 14h30. Durante a tarde de ontem, o Rubrosom esteve pelo Centro acompanhando algumas das movimentações de estudantes, assim como, a programação cultural ocorrida em centros como na Ocupa Cênicas – CAAC e no Departamento de música – Conferimos inclusive a pré-estreia de uma Peça de Teatro que será encenada hoje na Divisão de Artes Cênicas. Estudantes criaram um canal via web para transmissões alternativas durante a ocupação da rádio.

UEL FM retoma programação ao vivo e completa

De volta a ativa! A rádio UEL FM retornou nesta quinta-feira (11) a transmitir sua programação completa. inclusive os programas Trem das Onze e o UEL FM Notícia. “Nós do trem das onze fazemos programa ao vivo, e diário, e é uma rotina que nos fez muita falta. Legal que a rádio está voltando em uma condição técnica bem melhor, isso deixa a gente bem feliz”, contou Jersey Gogel, apresentador do programa à reportagem da TV UEL. A programação voltou repaginada, com novas vinhetas e também quadros falando sobre rotinas internas da universidade. Os novos equipamentos foram comprados com recursos da própria UEL. Cerca de R$70 mil foram investidos em materiais como mesas de som, peças para transmissor e mais.

Dificuldades técnicas

A rádio UEL FM, única rádio educativa da região, esteve fora do ar durante quase três meses, desde o dia 9 de maio, após ter tido parte de seus equipamentos danificados por um raio. Durante o período em que a rádio esteve inoperante, uma campanha foi organizada por funcionários para que, após o retorno, modernizações técnicas fossem feitas na rádio, para que assim, a mesma pudesse atingir novos públicos e audiências. A mesma está disponível pela plataforma kickante.

Parte dos equipamentos danificados da rádio foi já comprada pela própria administração da UEL - Foto: Divulgação
Parte dos equipamentos danificados da rádio foi já comprada pela própria administração da UEL – Foto: Divulgação

Com o dinheiro arrecadado, serão comprados para a rádio um link, que fará a ligação, por ondas eletromagnéticas, do estúdio com a sala do transmissor; uma central de internet; um computador e um aplicativo para ouvir a rádio no celular. “O principal objetivo é modernizar a rádio. Com as compras da administração da UEL a rádio já voltaria ao ar, mas, pensamos também na modernização da rádio até para conquistar novos ouvintes. Por isso precisaríamos de um aplicativo para a rádio, fazer uma transmissão via-modem  (O que evitaria mais dificuldades na transmissão).. Essas e outras ações”, contou ao RubroSom o jornalista Heron Heloy da UEL FM quem está a frente da campanha de arrecadação junto com a jornalista Patrícia Zanin.

Quem colaborar com a campanha, em troca, terá direito a alguns brindes e ‘recompensas’ obtidos com o apoio de estabelecimentos de Londrina além de alguns artistas como Tonho Costa e Regina Menezes. “A gente se sente feliz com essa mobilização, da comunidade interna e externa, e com essa solidariedade. A UEL FM é a  única rádio pública e educativa da região e esse movimento só demonstra o carinho e o reconhecimento que os nossos ouvintes (Construídos ao longo de 25 anos) tem para com a rádio, além da qualidade da programação. Nos enche de alegria, saber que há pessoas preocupadas com a qualidade da rádio”, comentou o Dr. Osmani Costa, diretor da Rádio UEL FM. O diretor conversou com a nossa reportagem há cerca de um mês.