Promic – Secretário e controlador vão à Câmara explicar cancelamento do edital

O clima foi agitado durante a sessão da Câmara Municipal de Londrina realizada na última quinta-feira (23). Na ocasião, o secretário de Cultura, Caio Cesaro, o Procurador Geral do Município, João Luiz Esteves e o controlador geral do Município, João Carlos Perez, foram convidados pelo vereador Rony Alves (PTB) para explicar o cancelamento do edital do Promic, assinado em 2016 para entrar em vigor esse ano, e que após anúncio da última segunda-feira (20) que teve 82 projetos aprovados. Dezenas de produtores culturais também acompanharam a sessão.

Sessão iniciou às 17h e seguiu até perto das 19h10 - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Sessão iniciou às 17h e seguiu até perto das 19h10 – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ao todo 17 vereadores compareceram, a única ausência foi do vereador Jairo Tamura (PR). Após introdução feita pelo vereador Rony Alves, o secretário Caio  e o procurador João Esteves falaram no plenário sobre o procedimento que envolveu o cancelamento do edital com base em parecer emitido pela Procuradoria Jurídica do Município na última segunda (20). A Secretaria de Cultura determinou o cancelamento do edital do Promic, com base em parecer da Procuradoria-Geral do Município (PGM). A PGM evoca a lei federal 13.019/14, em vigor desde o dia 1º de janeiro, que dispõe sobre a transferência de recursos para entidades sem fins lucrativos. Todos os projetos que já haviam sido contemplados pelo programa, foram cancelados e, um novo edital, deverá ser publicado nos próximos dias.

Em seguida o ator Adalberto Pereira (Núcleo Às de Paus) leu uma carta, representando vários membros e artistas da cidade ressaltando à importância dos investimentos em cultura, e ainda, mencionando a importância de projetos que levam arte, de forma acessível, à regiões periféricas da cidade.

Em sua fala o vereador Amauri Cardoso foi favorável à classe artística, mencionando a importância dos investimentos em cultura - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Em sua fala o vereador Amauri Cardoso (Com casaco preto, na última mesa do fundo, com o microfone) foi favorável à classe artística, mencionando a importância dos investimentos em cultura – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

O vice-presidente da câmara Filipe Barros (PRB) em sua fala comentou sobre a questão atual ser consequência de gestões anteriores. “Há uma situação gravíssima, a Secretaria de Cultura foi notificada sobre a mudança da lei, se há alguma falha impedindo o dinheiro do edital de ser encaminhado aos proponentes, então, ela ocorreu na gestão passada… Agora, se as Secretarias passadas tivessem assinado os contratos até ano passado (2016), o procedimento teria seguido sob vigência da lei passada”, pontuou Barros.

O vereador também questionou sobre os formatos de ‘cultura’ que envolvem o financiamento público, em sua fala ele falou que acha os investimentos importantes mas aguarda ainda o dia em que a cultura não precisará de ‘dinheiro público’ para sim ser reconhecida com cultura – Alguns presentes se manifestaram e até emitiram vaias durante a fala do vereador. Em contraponto, o vereador Amauri Cardoso (PSDB) se mostrou favorável aos investimentos em cultura, ressaltando ainda, a importância de projetos financiados pelo edital e que são realizados na periferia.

Adalberto Pereira (Ás de Paus) de marrom, participa da sessão da Câmara - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Adalberto Pereira (Ás de Paus) de marrom, participa da sessão da Câmara – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ele ainda ressaltou que se houvesse mais investimentos para a periferia (Em projetos e fomentos culturais) em um período curto de tempo seria possível “resolver a situação de inúmeras pessoas em situação de vulnerabilidade social…”, pontuou o vereador. “Uma semana antes (De publicarmos) existia um estudo realizado sobre a situação, cerca de 5 dias antes já havíamos chegado à essa ideia do cancelamento, mas tentávamos ainda buscar informações que pudessem reverter essa informação, acho que a procuradoria não faz divulgação de pareceres enquanto eles não estão prontos…”, pontuou o procurador João Esteves, sobre a possibilidade de ter levado a questão à público antes do cancelamento definitivo. Segundo divulgado, um novo edital será publicado nos próximos dias, todos os proponentes, inclusive contemplados, precisarão se inscrever novamente.

Promic – Questões sobre adequação de projetos e permanência de contemplados marcam reunião

Mais de 60 produtores e agentes culturais (De diversas áreas) compareceram na última terça-feira (21) à reunião extraordinária do Conselho Municipal de Políticas Culturais para tratar de questões ligadas ao cancelamento do Programa Municipal de Incentivo à Cultura que beneficiaria projetos para execução em 2017. Segundo informado em coletiva o orçamento de R$ 4,3 milhões, destinados ao programa, será mantido. A notícia foi anunciada na última segunda-feira (20). A reunião foi uma das mais cheias já realizadas no último ano.

Reunião iniciou por volta das 19h15 e durou até perto das 23h - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Reunião iniciou por volta das 19h15 e durou até perto das 23h – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A Secretaria de Cultura determinou o cancelamento do edital do Promic, com base em parecer da Procuradoria-Geral do Município (PGM). A PGM evoca a lei federal 13.019/14, em vigor desde o dia 1º de janeiro, que dispõe sobre a transferência de recursos para entidades sem fins lucrativos. Todos os projetos que já haviam sido contemplados pelo programa, foram cancelados e, um novo edital, deverá ser publicado nos próximos dias implicando que proponentes precisem participar de todo o processo novamente. Participaram da reunião o secretário de cultura Caio Cesaro e também o Procurador Municipal João Luiz Esteves.

Alguns proponentes questionaram à ‘transparência’ de como o processo todo foi publicizado, uma vez, que a coletiva do último dia 20 foi realizada sem comunicar primeiro aos proponentes que diretamente seriam os mais afetados. “Se há uma atmosfera de nós (proponentes) contra vocês, partiu de vocês…, pedimos formalmente o parecer da PGM no mesmo dia e não nos foi entregue, só o conseguimos após ter feito um pedido por escrito quando eu pedi pessoalmente na secretaria, com base na lei de acesso á informação, esse é o tipo de coisa… É muito esquisito a situação toda, em vários estados e outros municípios tem ocorrido essa situação com a cultura, pode ser uma coincidência, mas, a cultura está  sob ataque…”, pontuou Gerson Bernardes, gestor da vila Triolé Cultural.

Ao todo 82 projetos foram cancelados após o parecer da Procuradoria do Município - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Ao todo 82 projetos foram cancelados após o parecer da Procuradoria do Município – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Entre os presentes, diversos questionamentos foram feitos a respeito da mudança da lei que, segundo informado, não permitiria que vínculos (Nos moldes em que ocorria dentro do programa) fossem mais estabelecidos de modo a fornecer recursos para pessoas físicas. Ideias de agentes culturais presentes sugeriram medidas como a criação de novos vínculos a partir da criação de um MEI (Cadastro de pessoa jurídica como Micro Empreendedor Individual)e também a possibilidade de que proponentes já contemplados precisassem passar pela seleção toda novamente, uma vez, que o processo geraria gastos, o processo deveria passar por uma nova comissão e ainda correria o risco de ser reprovado em um novo processo de chamamento.

Horas antes da reunião do conselho, artistas e produtores culturais fizeram uma reunião na sede do MARL (Ocupação da Duque de Caxias) para definir questões prioritárias - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Horas antes da reunião do conselho, artistas e produtores culturais fizeram uma reunião na sede do MARL (Ocupação da Duque de Caxias) para definir questões prioritárias – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Segundo o secretário, tais medidas estão sendo avaliadas. “Estão sendo feitos estudos sobre como será feito o novo edital, buscamos experiências como o recente caso do festival Londrix (Que buscou recursos junto à Biblioteca Nacional Leia mais), a estimativa do novo edital (15 dias) será mantida… A primeira situação para a qual já tivermos resposta (Como o caso da pessoa física) já será publicado, não é porque um caso pode demorar mais, que precisaremos atrasar os outros…”, pontuou o secretário Caio Cesaro. “Eu recebi o parecer na segunda (20), no fim da tarde… Internamente o parecer estava pronto há uma semana, na Procuradoria. Existe um trabalho interno ocorrendo, mas o documento só fica disponível pra gente quando é assinado…  Foi sugerido na reunião que tenha por parte da secretaria um suporte técnico e jurídico sobre como irão ocorrer esses (novos) editais… E a secretaria se colocou à disposição por isso”, contou o secretário em entrevista ao Rubrosom. Sobre a possibilidade de ter trazido a discussão sobre a nova lei para o coletivo, antes do cancelamento definitivo, Caio também comentou sobre o procedimento… “Essa questão está no âmbito do direito, a secretaria tem uma atuação técnica, para podemos discutir algo precisávamos ter o parecer, ter uma posição definitiva, a partir do momento que tínhamos o documento, foi descrito esse processo… Nós ainda buscamos colocar essa informação (Na última reunião do conselho) ainda em fevereiro, logo, quando fomos questionados sobre”, pontuou Cesaro.

Na Câmara – O vereador Rony Alves (PTB) protocolou requerimento convidando, para a sessão de quinta-feira (23), da Câmara Municipal de Londrina, o secretário municipal de Cultura, Caio Cesaro, o Procurador-Geral do Município, João Luiz Esteves, e o Controlador-Geral do Município, João Carlos Perez.  A solicitação foi feita para que eles possam dar explicações sobre o cancelamento dos 82 projetos culturais de 2017 do Programa Municipal de Incentivo à Cultura, o Promic. Durante a reunião, todos os membros do conselho foram convidados à comparecer.

Projetos do PROMIC para execução em 2017 são cancelados

(Com colaboração de Vitor Struck)

Todos os projetos aprovados pelo edital do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC) com execução prevista para este ano foram cancelados. A informação foi confirmada durante uma entrevista coletiva realizada na Prefeitura de Londrina durante a tarde desta segunda-feira (20). Ao todo 81 projetos haviam sido selecionados em um valor total de mais de R$ 4 milhões de reais, incluindo Festival de Música, Filo, Vilas Culturais e projetos relacionados ao Carnaval (Que iniciaria nesta semana).

Informação foi confirmada na tarde desta segunda-feira (20) durante entrevista coletiva - Foto; Vitor Struck
Informação foi confirmada na tarde desta segunda-feira (20) durante entrevista coletiva – Foto: Vitor Struck

A entrevista, que inicialmente apenas havia sido divulgada para veículos de imprensa, ocorreu por volta das 17h30 e contou com a presença do Secretário Municipal de Cultura, Caio Júlio Cesaro, João Luiz Martins Esteves e João Carlos Perez, Procuradores Gerais do Município. “A suspensão do processo seletivo se dá com todos os projetos selecionados porque entrou em vigor a Lei Federal 13019/14 (Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil), que faz alteração dos requisitos para a contratação e portanto esse chamamento público que foi feito não serve para que façamos a contratação dos projetos, o parecer da controladoria jurídica é para que se faça um novo procedimento de seleção pública que esteja adequado a essa lei”, contou o secretário Caio Cesaro durante a coletiva.

Por conta dessas mudanças, a Lei Municipal 8.984 (Promic), pela qual os proponentes foram escolhidos, fica inviabilizada de promover a seleção e contratação de projetos. Os projetos culturais aprovados e anunciados em 2016, não tinham sido assinados até então, sendo deixados para ocorrer apenas neste ano, quando entrou em vigor a nova lei, o que acabou sendo impedido por conflitos nas legislações.

O orçamento permanece, mas ele precisa agora se adaptar à lei federal. Sobre projetos que estão ainda na fase dos preparativos, como o carnaval, o secretário informou que todos serão cancelados. “Com a entrada em vigor dessa lei, os projetos não tiveram contrato firmados e não há possibilidade de continuar, a seleção pública será cancelada, sem a formalização… Com a mudança esses requisitos não são suficientes para serem contratados, agora começaremos do zero, será necessário fazer um novo chamamento público, outros projetos poderão participar”, contou o secretário durante a entrevista. Ele enfatizou ainda que não se trata de fim do PROMIC. “Nossa expectativa é que não mude o nome de um programa que este ano completaria 15 anos, entendemos que é uma legislação nova, que pede ajustes, e que portanto cabe fazer ajustes necessários, hoje o programa é um patrimônio da cidade…” pontuou Cesaro. Caio ainda citou que não há uma previsão de prazos para novo edital.

Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis - Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.
Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis – Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.

Produtores culturais e artistas, que entre outros projetos contavam com a verba referente ao repasse do PROMIC para a realização de shows e eventos como o carnaval (Que iniciaria nos próximos dias na cidade) ficaram bastante perplexos com a notícia.”Eu fiquei sabendo porque eu fiquei o dia todo hoje na secretaria de cultura, pedi uma reunião com o Caio, Secretário de cultura… Ele me recebeu na porta e foi para a Prefeitura, tava toda a imprensa, procuradores e promotor. Ele explicou para todo mundo, foi um total descaso com os produtores, grupos e profissionais que trabalham aqui na cidade, a gente deixou de fazer outros compromissos e eventos para fechar aqui na cidade”, contou ao Rubrosom o músico e produtor cultural Guilherme Rossini. Segundo ele, o prejuízo com essa mudança foi próximo de R$ 60 mil. Todos os proponentes que participaram do edital publicado em 2016, se assim desejarem, terão que participar novamente da seleção.

Nesta terça (21) haverá uma reunião extraordinária do Conselho Municipal de Política Cultura para debater questões ligadas ao cancelamento dos projetos.


PROMIC – Para os Projetos Independentes, o valor total de recursos aprovado para 2017 é de R$ 1.719.491,76, com 59 projetos convocados em cinco linhas: Livres, Descentralizados, Distritos, Transversais e Atividades Formativas. E são considerados suplentes os projetos que não foram selecionados por falta de disponibilidade orçamentária. No programa de Vilas Culturais, os recursos aprovados são no total de R$ 277.133,00, para as seguintes Vilas Culturais: Triolé Cultural, Cemitério de Automóveis, Grafatório e Usina Cultural. Para este edital, não houve projetos suplentes.

Caio Júlio Cesaro é o novo secretário de cultura de Londrina

O jornalista Caio Júlio Cesaro foi confirmado nesta quarta-feira (04) como o novo Secretário de cultura do município. A informação foi confirmada ao Rubrosom pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Londrina. O nome já havia sido sondado anteriormente, por pessoas ligadas à pasta na cidade e a notícia antecipada nesta tarde.

Caio Cesaro durante Maratona de Cinema no Festival da Lapa em 2007 - Foto: Silvana Mangano/Divulgação
Caio Cesaro durante Maratona de Cinema no Festival da Lapa em 2007 – Foto: Silvana Mangano/Divulgação

Caio Júlio é o segundo nome designado pelo Prefeito Marcelo Belinati (PP), após a desistência de Aldo Moraes, nomeado anteriormente, para a pasta. Aldo desistiu do cargo, após já ter sido empossado, após constatação de divergências em prestação de contas com o município devido a realização de projetos anteriores.

A confirmação de Caio Cesaro no cargo já havia sido antecipada primeiramente pelo jornalista Lino Ramos da Rádio Paiquerê em Londrina. No momento, Caio Cesaro que também é jornalista é o coordenador de Programas e Projetos do Ministério da Cultura e também já integrou o Conselho Municipal de Cultura.

Currículo – Nascido em Londrina, Caio Julio Cesaro é doutor em Multimeios pelo Instituto de Artes da Unicamp; mestre em Comunicação e Mercado e especialista em Técnicas e Teorias da Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero; graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Em gestão e produção cultural, tem experiências ao ter trabalhado em diversos órgãos como a Secretaria do Audivisual do Ministério da Cultura; foi coordenador geral de Comunicação e Circuitos da Programadora Brasil – projeto do Ministério da Cultura de difusão do cinema brasileiro. Como voluntário, fez a coordenação executiva a Revista Filme Cultura (Revista histórica do Cinema Brasileiro), edições 56 e 57.

Também trabalhou como Coordenação de Comunicação do Festival Internacional de Televisão 2012. Foi diretor da Kinopus Audiovisual entre 2004 e 2013. Atuou como diretor executivo da Associação de Amigos do Centro Técnico do Audiovisual (Rio de Janeiro); coordenou a recuperação de parte do acervo cinematográfico do japonês Hikoma Udihara (Paraná); foi Secretário Executivo da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas (ABD Nacional); foi vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura de Londrina/PR.

Secretariado – Também foram anunciados os nomes da nova secretária de Ambiente, Roberta Silveira Queiroz, do secretário de Obras e Pavimentação e de Agricultura e Abastecimento, Fernando Tunouti, e do secretário do Trabalho, Emprego e Renda, Elso Augusto Carreri.

(Atualizdo às 23h)

Contas em aberto – Aldo Moraes desiste de assumir Cultura

Foi confirmada nesta quarta-feira a desistência do músico Aldo Moraes em assumir a Secretaria de Cultura de Londrina. Segundo divulgado, após ter sido condenado a devolver mais de R$ 500 mil à Prefeitura de Londrina – por falhas na prestação de contas de projetos culturais feitos com verbas do PROMIC (Em projetos ocorridos no final dos anos 90), Aldo Moraes não será mais o secretário municipal de Cultura. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da Prefeitura de Londrina.

Aldo Moraes desiste de assumir Cultura
Foto: Divulgação/Facebook

O prefeito Marcelo Belinati (PP) anunciou o nome no último domingo (1) durante a solenidade de posse do cargo. Na segunda-feira (2), Aldo participo da primeira reunião oficial junto a outros secretários e funcionários do executivo. Aldo Moraes foi condenado em sentença proferida em de setembro de 2015 pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública, Emil Tomás Gonçalves.

A ação foi interposta em março de 2015 pela Procuradoria-Geral do Município, na qual alegou que Moraes captou recursos públicos autorizados pela Secretaria Municipal de Cultura para a realização de quatro projetos culturais, sendo um deles, o ‘Documentário Arte Brasilis, Ritmos Brasileiros na Rede e dois intitulados Caminhando – Batuque na Caixa. Em um primeiro momento a informação veio a tona após uma publicação do caso no site Paçoca com Cebola, de Londrina, assinado pelo jornalista Cláudio Osti. (Confira no link). Segundo a PGM, a prestação de contas foi reprovada, em parte, o que resultou em um débito de R$ 396.272,42, valor que corrigido até setembro do ano passado, a mais de R$ 530 mil. Segundo o Núcleo de Comunicação da Prefeitura, Aldo havia já aceitado o convite para assumir a pasta, porém ao ser divulgada a questão das contas em aberto,  Aldo resolveu não mais assumir a Secretaria.

Durante a manhã, o Rubrosom tentou entrar em contato com Moraes durante toda a tarde dessa terça-feira, mas sem sucesso.

(Mais informações em breve)

Marcelo Belinati toma posse como prefeito

Tomou posse no último domingo(1) o novo prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), eleito no primeiro turno na última eleição municipal juntamente com o vice, João Mendonça. A solenidade de posse ocorreu na Câmara Municipal de Londrina, às 18 horas. Logo após, foi realizada a transmissão de cargo e posse de novos secretários na Prefeitura. A transmissão contou com a benção ecumênica do Monsenhor Bernardo Gaffa e do pastor Messias Anacleto Rosa.

O prefeito Marcelo Belinati destacou que vai trabalhar com uma equipe reduzida para o bem da cidade. “Se pedimos para a população apoiar, nada mais justo que façamos a lição de casa. Vamos economizar o que for possível. Mas, mesmo na dificuldade faremos Londrina voltar a crescer e se desenvolver.”

Ele enfatizou ainda que é preciso preparar Londrina para o futuro. “Vou fazer o que for possível para a gente transformar e implementar as transformações necessárias”, ressaltou Marcelo Belinati. “É uma honra ser o zelador de Londrina e eu vou zelar por todos os londrinenses”, complementou.

Durante a transmissão, Alexandre Kireeff, que deixou a função de prefeito de Londrina, desejou que o próximo governo seja repleto de conquistas. “Caro prefeito Marcelo Belinati, os desafios que enfrentamos eram reais, assim como você também terá pela frente desafios e obstáculos de difícil superação. Desejo, sinceramente, que os supere, que seja muito bem-sucedido na implantação de seus planos e projetos. Conte com a minha torcida para que as conquistas de sua gestão se somem aos esforços de todos nós, prefeitos e gestores que o antecederam. Desejo sucesso e um excelente período de trabalho a você e sua equipe”, destacou.

Na solenidade, Roney Marckzak homenageou o prefeito com apresentações musicais, além de interpretar o Hino Nacional. Entre os presentes na transmissão, estavam os deputados federais Reinhold Stephanes e Alex Canziani, vereadores, lideranças locais e integrantes da comunidade londrinense.

O prefeito Marcelo Belinati anunciou os dirigentes indicados para a COHAB – LD, Marcelo Baldassare Cortez, Sercomtel, Luiz Carlos Adati, e CMTU, Moacir Norberto Sgarioni. Foram apresentados, porém ainda não nomeados, João Luiz Martins Esteves, na Procuradoria-Geral do Município, Carlos Augusto Nasser; Secretaria Municipal de Defesa Social; Aldo Moraes, Cultura; Gustavo Richa, Procon-LD, e Luís Figueira de Mello, Assessoria de Assuntos Estratégicos.

(Com informações do Núcleo de Comunicação da Prefeitura)

Pela segunda vez – Aldo Moraes é o novo Secretário da Cultura de Londrina

Foi empossado neste domingo (01) o novo Secretário de Cultura de Londrina, o músico e escritor Aldo Moraes, 46 anos, assume o cargo, sucedendo Solange Batigliana, após a posse do novo Prefeito Marcelo Belinati (PP). A solenidade da posse ocorreu na Câmara Municipal de Londrina durante a tarde deste domingo. É a segunda vez que Aldo assume o cargo de Secretário.

Foto: Divulgação/Facebook
Em 2012, durante a gestão Barbosa Neto, ele assumiu pela primeira vez a Secretaria em substituição à Leonardo Ramos – Foto: Divulgação/Facebook

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), tomou posse por volta das 17h na Câmara, onde também, falou por  alguns minutos pautando-se em um discurso escrito previamente, “dada a importância do momento”. Disse que administrará a cidade como uma grande família, “olhando cada um dos moradores como um irmão, um amigo próximo”. Em um segundo momento, o Prefeito defendeu medidas urgentes, como forma de fazer a cidade ‘voltar a crescer’. Mencionou desafios na saúde, educação e inclusão social e prometeu transparência total de todos os atos realizados pelo executivo.

O Secretário Aldo Moraes estudou teoria musical, flauta e harmonia com Maestro Gervásio Basílio (1987 a 1993) e Roberto Gnatalli (1998) e Nei Carrasco (1995). Fez estudos de regência, harmonia e composição com José Eduardo Grammani (1993); Hans Joachin Koelreutter (1993/1995); Oilian Lanna (1993) e Mário Loureiro (1995/96).

Em 2001, participou de workshops com Naná Vasconcelos, Arrigo Barnabé e Guinga, durante o Festival de Música de Londrina. Desde 1993, apresenta peças instrumentais (sobretudo choros e valsas) e de câmara em concertos no Brasil e exterior. Foi premiado como compositor em 1994 no Concurso da Academia Mozarteum, na Áustria; em 2001, no VII Encontro de Compositores Latino-Americanos, em Porto Alegre/RS e em 2003, na Fundação Peter Mieg, na Suíça.

Em 1999, criou o Instituto Cultural Arte Brasil e o Batuque na caixa, programa de educação musical  que já atendeu mais de 5 mil crianças de Londrina. Com o grupo Batuque na caixa, participou de mais de 300 shows em varias cidades do Paraná e do Brasil, com repertório de samba e MPB. Recebeu as condecorações Zumbi dos Palmares (2003) e Voto de Louvor da Assembléia Legislativa do Paraná (2009) por seu trabalho social e em prol da música brasileira.

Com peças de câmara executadas na Itália, França, Espanha, Estados Unidos, Brasil e Argentina, lançou os CDs: Twin Sounds (música incidental para teatro) 1996; Gestos (piano solo) 2001; Arte Brasilis/Batuque na caixa (Compositor e Arranjador) 2002; Amor de Invenção (Canções) 2007; Poemas do Amanhecer – 2008.

Outros Secretários – Além de Aldo, parte do secretariado de Marcelo Belinati foi confirmada durante este domingo. Os secretários nomeados foram: Nádia Oliveira de Moura (Assistência Social), Janderson Marcelo Canhadas (Secretário de Governo), Edson Antônio de Souza (Fazenda e Planejamento), Maria Tereza Paschoal de Moraes (Educação), Margareth Socorro de Oliveira (Gestão), Bruno Ubiratan (Chefe de Gabinete e procurador-geral do Município até João Luiz Martins Esteves assumir), Douglas Carvalho Pereira, o ex-vereador Tio Douglas (Acesf), Reinaldo Gomes Ribeirete (Codel), Luiz Soares Koury (Saúde), Moacir Norberto Sgarioni (CMTU), Luiz Carlos Ihity Adati (Sercomtel), Marcelo Baldassarre Cortez (Cohab), Carlos Augusto Nasser (Defesa Social), Aldo Moraes (Cultura), Gustavo Richa (Procon) e Luiz Figueira de Mello (Assessor de Assuntos Estratégicos). O atual vereador eleito, Fernando Madureira (PTB) deve pedir licença do cargo ainda neste domingo para poder assumir a Fundação de Esportes de Londrina (FEL). Novos nomes do secretariado de Belinati devem ser confirmados oficialmente nos próximos dias.

Termina a ocupação da UEL FM – Programação retorna na próxima semana

Os estudantes do Departamento de Comunicação da UEL deixaram o prédio da rádio no começo da tarde desta sexta-feira, diminuindo de 11 para 9, o número de ocupações na universidade. Ao mesmo tempo também foi desocupado o prédio da reitoria que havia sido ocupado também durante a semana passada. Nesta sexta uma nota foi publicada na página Ocupa rádio UEL através das redes sociais; “A greve estudantil continua! Decidimos, na terça-feira em assembleia dos estudantes de comunicação, pela desocupação da rádio e vemos essa como uma estratégia importante nesse momento para fortalecermos a comissão de comunicação da greve estudantil. A partir de agora ajudaremos a responder a altura as acusações falsas, ameaças e intimidações que o movimento estudantil vem sofrendo injustamente. Além disso buscaremos difundir as várias conquistas que já foram resultado da greve e das ocupações, assim como as pautas do movimento grevista…” (Leia a nota na íntegra AQUI)

A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom (ARQUIVO)

Todas as ocupações são de cursos do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA). As demais estão mantidas. A reitoria da UEL ameaçava entrar com um pedido de reintegração de posse, caso reitoria e rádio não fossem desocupadas.

A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa. Em entrevista coletiva, Costa afirmou que foi feita uma vistoria e que a rádio foi deixada pelos estudantes do mesmo jeito que estava no dia 1º de novembro, véspera da ocupação. A saída dos estudantes, no entanto, não significa o retorno às aulas. Em assembleia realizada ontem à noite, com a participação de mais de 1.600 estudantes, foi decidida a continuação da greve iniciada no mês passado – Mais informações sobre política e a greve acompanhe o blog Baixo Clero.

Pauta Cultural – Candidatos(as) à prefeitura participarão de debate nesta sexta

O Conselho Municipal de Política Cultural e a Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina (UEL) promovem nessa sexta (16) um debate para conhecer as propostas para política pública de cultura dos próximos quatro anos. O evento será realizado no Teatro Zaqueu de Melo, às 19 horas com final marcado para as 21h15min.

Em julho o Zaqueu de Melo também foi palco da 8ª Conferência de Cultura, no qual, diversas pautas da pasta foram discutidas ao longo de quase 12h de expediente - Foto: Bruno Leonel/RubroSom.
Em julho o Zaqueu de Melo também foi palco da 8ª Conferência de Cultura, no qual, diversas pautas da pasta foram discutidas ao longo de quase 12h de expediente – Foto: Bruno Leonel/RubroSom (Arquivo).

O encontro terá duas etapas e o público também poderá questionar os candidatos exclusivamente sobre temas relacionados a cultura. As perguntas da plateia deverão ser entregues até o encerramento da primeira etapa que será para exposição do plano de governo dos candidatos e candidatas com foco nas propostas para o assunto.

A segunda etapa começa com uma pergunta feita pelo Conselho Municipal de Política Cultural e uma feita pela Casa de Cultura destinada a todos os participantes. Posteriormente, as perguntas feitas pelo público serão sorteadas.

Entre os temas elencados pelo Conselho Municipal de Política Cultural e pela Casa de Cultura da UEL estão o compromisso com o Sistema Nacional de Cultura e seus elementos implantados em Londrina, a estruturação da Secretaria Municipal de Cultura, o fortalecimento da política pública de fomento à cultura, o compromisso com a construção do Teatro Municipal de Londrina, e a busca de parcerias nas instâncias estadual e federal para aquisição de novos espaços para apresentações culturais na cidade.
Ao final será solicitada a assinatura em termo de compromisso com o Sistema e Plano Municipais de Cultura e a garantia da continuidade da política pública de cultura.

Funcionamento
Primeira etapa – Exposição do plano de governo do candidato ou candidata, com foco nas propostas para a cultura.
Cada candidato (a) terá direito a cinco minutos para sua exposição. Caso esse tempo não seja suficiente, será permitido mais um minuto de acréscimo para a finalização. Os expositores serão avisados para a conclusão da fala, através de sinal, aos quatro minutos.
Segunda etapa – Questões dos organizadores e da comunidade participante do debate
Ambos organizadores farão uma pergunta para todos os candidatos (as). E as perguntas sorteadas da plateia serão respondidas. A ordem para resposta das questões será feita por meio de um sorteio. Cada expositor terá dois minutos para responder e serão avisados para a conclusão da fala, através de sinal, a 30 segundos de seu término.

Regras gerais
1. O direito de resposta será garantido ao candidato/candidata que for citado/a de forma desrespeitosa ou falsa. A deliberação para a concessão do direito de resposta será feita pela comissão organizadora do debate;
2. Candidato/ Candidata não fará perguntas aos outros candidatos;
3. O tempo estipulado para as participações deverá ser observado por todas as pessoas que fizerem uso da palavra, após completar-se o tempo estipulado o microfone será silenciado.
(Com informações da assessoria de imprensa)


SERVIÇO

Debate – Políticas Públicas de Cultura
Com os candidatos à Prefeito de Londrina
Quando: Sexta-feira (16/Setembro) às 19h
Onde: Teatro Zaqueu de Melo (Av. Rio de Janeiro, 413)

Impeachment repercute entre artistas e coletivos de Londrina

Após mais de 60 horas de trabalho, o Senado Federal decidiu na última quarta (31), por 61 votos a 20, condenar Dilma Rousseff pelo crime de responsabilidade e retirar seu mandato de presidente da República. Seus direitos políticos foram mantidos após uma segunda votação. O afastamento ocorreu mais de dois anos antes do fim de seu segundo mandato. Ex-ministra do governo Lula e presa política durante a ditadura militar, Dilma Vana Rousseff nasceu em 14 de dezembro de 1947, em Belo Horizonte.

Brasília - A presidenta afastada, Dilma Rousseff, faz sua defesa durante sessãoo de julgamento do impeachment no Senado - Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil (29/08/2016)
Brasília – A presidenta afastada, Dilma Rousseff, faz sua defesa durante sessãoo de julgamento do impeachment no Senado – Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil (29/08/2016)

O evento repercutiu na imprensa internacional em veículos de centenas de países no mundo todo. Quem assumiu o cargo foi Michel Temer (PMDB), que até então, já estava empossado como Presidente interino. O episódio foi alvo também de críticas por parte de diversos setores que questionavam os métodos e critérios usados para concluir o processo, uma vez, que vários dos membros da comissão do impeachment também eram investigados por crimes fiscais e denúncias envolvendo desvio de recursos. Após o fim do mandato, em uma segunda votação, foram mantidos os direitos políticos da ex-Presidente. O episódio repercutiu também entre coletivos artísticos e produtores culturais da cidade. O Rubrosom conversou com alguns representantes de grupos artísticos, e pessoas ligadas á cultura, para saber mais sobre a repercussão do fato.

Maracatu Semente de Angola – A grande maioria do coletivo tem um posicionamento contrário ao impeachment. Participamos recentemente de um ato em Londrina (Ocorrido no dia 01/09) e tudo indica que as medidas que o governo irá implantar irão contra que houveram nos últimos anos. Iremos tentar participar da luta, para que não haja mudanças em relação a cultura e ao trabalho. Por mais que sejamos de um grupo cultural, acreditamos que podemos nos posicionar politicamente e usar isso como instrumento de mudança”, contou Thais Hamer (Integrante do coletivo já há quatro anos) à nossa reportagem.

Leandro Palmeirah (Mh2 Música e Hip-Hop) – Este governo que entrou agora não me representa. Não temos como saber ainda o que pode ocorrer. O início já foi de forma negativa. Não é possível confiar em um governo que tirou uma presidente, mas que, não puniu outros políticos ligados a questões piores. Desde o começo desse processo, fizeram a mudanças no ministério da cultura, que foi um retrocesso! Da forma como se deu esse impeachment foi anti democrático, não respeitaram a voz do povo, foi quase como uma eleição perdida. Daqui pra frente acho que irá piorar. Já era difícil para a periferia, para o artista de rua… E agora é complicado imaginar algo positivo disso.

Para Leandro Palmeirah, do projeto MH2, o cenário oferece uma perspectiva negativa - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Para Leandro Palmeirah, do projeto MH2, o cenário oferece uma perspectiva negativa – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Teatro Kaos: “A situação é muito complexa. Tudo isso é um jogo político muito bem pensado por todos eles, não é uma questão inocente… Desde o primeiro dia todo mundo já sabia se (Dilma) iria sair ou não. No meu ponto de vista, parece que o começo do impeachment não parecia uma decisão correta. Houve também Essa manobra de votar separada (A questão dos direitos políticos), já estava sendo discutida antes. É uma diferença grande ter a votação separada, perder o cargo e não perder o direito de disputar outras eleições, abre muitos precedentes… Certamente há pessoas que podem se beneficiar disso no futuro, Eduardo Cunha mesmo pode ser caçado e não perder os direitos políticos… Quando você vê senadores chamando o outro de ladrão, mas que também estão sendo processados, é uma situação muito estranha mesmo…’, contou Edward Fão , coordenador do Teatro Kaos de Londrina.

Núcleo Às de Paus: “O que eu vejo é mesmo a situação de um golpe parlamentar, agora isso agora começa a se desenrolar efetivamente. É muito triste, estamos há tempos batalhando pela conquista dos direitos que a constituição nos proporciona e, com isso, nós artistas nos sentimos usurpados. Nós que trabalhamos com cultura estamos também ligados, de certa forma, à luta pelos direitos movimento negro, do movimento de artistas, trabalhadores, da comunidade LGBT, todos que trabalham e ajudam a construir o país. As pessoas em geral não estão conscientes desta situação, muita gente acha que (Com o Impeachment) está tudo resolvido. Em um momento no qual podíamos nos mobilizar para evitar situações piores, não se evitou, deixou-se levar pelo que a imprensa colocou como verdade da coisa. isso é trise. Mas, mesmo assim, não deixaremos de protestar. A luta deve continuar, precisamos buscar eleições diretas, o povo deve escolher os governantes. E não este parlamento, que ja é corrompido…”, contou á reportagem o ator Rogério Costa, integrante do Núcleo Às de Paus.

Núcleo Ás de Paus durante apresentação da peça 'Donantônia' - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Núcleo Ás de Paus durante apresentação da peça ‘Donantônia’ (Rogério é o primeiro da direita)- Foto: Bruno Leonel/RubroSom