Termina a ocupação da UEL FM – Programação retorna na próxima semana

Os estudantes do Departamento de Comunicação da UEL deixaram o prédio da rádio no começo da tarde desta sexta-feira, diminuindo de 11 para 9, o número de ocupações na universidade. Ao mesmo tempo também foi desocupado o prédio da reitoria que havia sido ocupado também durante a semana passada. Nesta sexta uma nota foi publicada na página Ocupa rádio UEL através das redes sociais; “A greve estudantil continua! Decidimos, na terça-feira em assembleia dos estudantes de comunicação, pela desocupação da rádio e vemos essa como uma estratégia importante nesse momento para fortalecermos a comissão de comunicação da greve estudantil. A partir de agora ajudaremos a responder a altura as acusações falsas, ameaças e intimidações que o movimento estudantil vem sofrendo injustamente. Além disso buscaremos difundir as várias conquistas que já foram resultado da greve e das ocupações, assim como as pautas do movimento grevista…” (Leia a nota na íntegra AQUI)

A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom (ARQUIVO)

Todas as ocupações são de cursos do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA). As demais estão mantidas. A reitoria da UEL ameaçava entrar com um pedido de reintegração de posse, caso reitoria e rádio não fossem desocupadas.

A desocupação da rádio, foi decidida em assembleia realizada pela manhã, mas só foi concretizada à tarde, depois de uma reunião com o diretor da emissora, professor Osmani Costa. Em entrevista coletiva, Costa afirmou que foi feita uma vistoria e que a rádio foi deixada pelos estudantes do mesmo jeito que estava no dia 1º de novembro, véspera da ocupação. A saída dos estudantes, no entanto, não significa o retorno às aulas. Em assembleia realizada ontem à noite, com a participação de mais de 1.600 estudantes, foi decidida a continuação da greve iniciada no mês passado – Mais informações sobre política e a greve acompanhe o blog Baixo Clero.