Grafatório: abertas as inscrições para a feira DOBRA

Em Londrina, estão abertas as inscrições para a feira DOBRA de arte impressa na Vila Cultural Grafatório.  Editores independentes, artistas gráficos, quadrinistas, zineiros, fotógrafos, gravuristas e outros habitantes do papel impresso – inscrevam-se até dia 11 de outubro na feira mais excêntrica do sertão do Tibagi! O formulário para inscrição pode ser acessado pelo link: www.grafatorio.com/dobra.

Grafatório: abertas as inscrições para a feira DOBRA
Foto: Divulgação/Grafatório

Neste ano a feira acontece no dia 29/10 no ilustre MAL – Museu de Arte de Londrina, e a lista dos selecionados será divulgada no dia 13/10.

A DOBRA faz parte da programação do IV Ciclografias, evento que vai contar com oficinas, exposições e outras atividades durante toda uma semana. A programação completa será divulgada em breve. O IV Ciclografias é uma realização do Grafatório com o patrocínio do PROMIC – Programa Municipal de Incentivo à Cultura. Dúvidas? Mais informações? contato@grafatorio.com ou (43) 3024-3533

Latino-Americano – Mostra propõe reflexões através do cinema

Está acontecendo nesta semana em Londrina a 1ª Mostra de Cinema Latino-Americano promovida pelo Sesc Cadeião Cultural. O evento acontece até o próximo domingo (2), reunindo sete premiadas produções filmadas no Brasil, Chile, México, Argentina e Paraguai. Todas as sessões são gratuitas. Focando, principalmente, em filmes sem tanta projeção no circuito comercial, a mostra tem o objetivo de apresentar filmes que provoquem reflexão no público trazendo produções de relevância artística, alguns deles premiados em festivais pelo mundo todo. “‘Essa proposta, do cinema latino americano surgiu em Foz do Iguaçu, no começo deste ano, recebemos a programação e realizamos a mostra aqui também, quase todos esses filmes exibidos são inéditos aqui no espaço”, conta Edvaldo Junior, coordenador do projeto, que acontece no Sesc Cadeião.

Latino-Americano - Mostra propõe reflexões através do cinema
O chileno ‘Nostalgia da Luz’ de Patricio Guzmán é um dos filmes exibidos – Foto: Divulgação

O primeiro filme exibido, foi o brasileiro “O Lobo Atrás da Porta” (2014), dirigido por Fernando Coimbra. Na sequência, serão exibidos o chileno “Nostalgia da Luz” (quinta-feira, às 20 horas); o paraguaio “7 Caixas” (sexta-feira, às 20 horas); o venezuelano “Pelo Male” (sábado, às 15 horas); o mexicano “Heli” (sábado, às 18 horas); o brasileiro “O Som ao Redor” (domingo, às 11 horas); e o mexicano “Club Sandwich” (domingo, às 15 horas). A mostra acontece em um momento emblemático, no qual, diversos países da América Latina (Brasil inclusive) passam a ter um novo olhar sobre a própria história, assim como, a de todo continente. “Acho que essa época é norteadora, podemos pegar um recorte da mostra e levantar uma reflexão, tanto direcionada para a questão cultural, como também o contexto social e político de hoje…. Há bastante semelhança entre esses filmes, mesmo sendo de países diferentes, alguns conflitos são recorrentes nesta temática”, pontua Edvaldo.

O CineSesc acontece o ano todo, com sessões semanais. Tradicionalmente promovemos as mostras Akira Kurosawa e Orson Welles e agora contamos com mais essa iniciativa. Nosso desejo é apresentá-la a cada ano”, complementa.

Edvaldo Junior salienta que todos os filmes da mostra foram selecionados com as ideia de formar um mosaico que retrata questões políticas, sociais e comportamentais vividas nos países da América do Sul. “O Lobo Atrás da Porta”, por exemplo, se passa em um ambiente pesado que retrata as tensões do jogo político que acontece no Brasil. Já “Nostalgia da Luz” conta história de mães e mulheres que buscam no deserto do Atacama os corpos de parentes mortos durante a ditadura militar chilena comandada por Pinochet. Entre outos. A sala de exibições do Sesc Cadeião Cultural tem espaço para receber 55 espectadores a cada sessão e que os interessados devem retirar os ingressos uma hora antes do início do filmes escolhido.


SERVIÇO
Cine Sesc – 1ª Mostra de Cinema Latino-Americano
Quando – De hoje a domingo
Onde – Sesc Cadeião Cultural (R. Sergipe, 52)
Quanto – Gratuito

Programação:

Quinta
20h – Nostalgia da Luz (Chile – 2015)

Sexta-feira
20h – 7 Caixas (Paraguai – 2014)

Sábado
15h – Pelo Malo (Venezuela/Argentina/Peru – 2014)
18h – Heli (México – 2013)

Domingo
11h – O Som ao Redor (Brasil – 2013)
15h – Club Sandwich (México – 2015)

Triolé recebe exposição com trabalhos de alunos do Caps

A mostra “Para além dos Traços e Diagnósticos” está em esposição na Vila Cultural Triolé em Londrina. A exposição reúne uma coletânea de trabalhos produzidos por crianças e adolescentes atendidos pelo Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Caps-i). O trabalho foi coordenado pelo educador artístico Dovinho Feitosa.

Antônio Marcos Feitosa da Silva (Dovinho) é o responsável pelo trabalho com jovens do Caps-i - Foto: Bruno Leonel/ Rubrosom
Antônio Marcos Feitosa da Silva (Dovinho) é o responsável pelo trabalho com jovens do Caps-i – Foto: Bruno Leonel/ Rubrosom

De acordo com Dovinho, os trabalhos são expressivos, dotados de qualidade estética e foram produzidos durante aproximadamente um ano, nas oficinas de arte realizadas uma vez por semana no Caps-i. Para a exposição foram selecionados 11 trabalhos, incluindo quadros, bonecos, gravuras e um robô feito com sucata. “Alguns trabalhos foram produzidos em conjunto, ou seja, cada criança montou uma parte do trabalho, para que ficasse com traços diferentes. Outros foram trabalhados individualmente”, contou Dovinho, que destacou ainda que o objetivo da iniciativa é trabalhar a autoestima das crianças e adolescentes atendidos pelo Caps-i.

Ele contou que durante as oficinas são abordados alguns artistas famosos, como Miró e Mondrian, depois é feita a releitura de seus trabalhos, embora não seja este o foco. Além de trabalhar a autoestima, as oficinas possibilitam praticar a coordenação motora, limites e regras e a socialização entre eles. Alguns encontros são acompanhados por psicólogos. “Além das aulas promovemos passeios em museus ou em lugares voltados ao lazer, como em casas de boliche e de autorama, para proporcionar momentos de diversão, em locais que muitas vezes estas crianças e adolescentes não têm acesso”, destacou o educador artístico.

A exposição pode ser visitada às segundas, quintas e sextas, das 9 às 17 horas, às terças das 14 às 18 horas e às quartas, das 8 às 16 horas. A Vila Triolé Cultural conta com patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic) e está localizada na rua Etienne Lenoir, 155, Vila Industrial.


SERVIÇO
Mostra “Para além dos traços e diagnósticos”
Quando:
Segundas, quintas e sextas (Das 9 às 17h)
Onde:  
Vila Triolé Cultural (Rua Etienne Lenoir, 155)
Entrada Gratuita

Artista Rogério Ghomes realiza exposição em Londrina

E tem exposição de arte iniciando no próximo sábado (27) em Londrina. Com um nome enigmático e incomum, o próprio título da mostra já carrega um sentido cheio de interpretações: Preciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui. A exposição é de autoria do artista visual Rogério Ghomes e acontece também em comemoração aos 25 anos de carreira do autor.

Uma das fotos da mostra "Preciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui de Rogerio Ghomes" - Foto: Rogério Ghomes.
Uma das fotos da mostra “Preciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui de Rogerio Ghomes” – Foto: Rogério Ghomes.

Durante o evento, o publico poderá ter contato com obras destacadas da sua produção, com recorte a partir da Bienal de Havana em 1997, marco da internacionalização da sua produção, até as séries mais recentes como ‘Barroc’ de 2015, apresentada na ultima Bienal de Curitiba, cidade onde residiu até o final dos anos 90. Já há 16 anos o artista vive em Londrina há 16 anos onde atua como docente na UEL Universidade Estadual de Londrina. A abertura será no sábado 27 de agosto as 10h00 na DAP Divisão de Artes Plásticas da UEL. A exposição faz parte do projeto “Entre imagens: num lapso do tempo”, patrocinado pelo Programa Municipal de Incentivo à CulturaPROMIC.

O projeto contempla mais três ações: Uma Mesa redonda para proporcionar maior reflexão e aproximação com o púbico em torno das questões da exposição no dia 20 de setembro, 19 horas na DAP Divisão de Artes Plásticas da UEL.

Um curso formativo, Fotografia Expandida Brasileira, na Biblioteca do Museu de Arte de Londrina, ministrado pelo Professor Dr. Rogério Ghomes em agosto e setembro. Dois eventos visando um diálogo qualificado junto ao público produtivamente ligado às artes visuais, à fotografia e à comunicação. Uma terceira ação do projeto será o lançamento de um livro comemorativo da carreira do artista.

Donde Estoy, Estoy a esperar te de Rogerio Ghomes - Foto: Divulgação.
Donde Estoy, Estoy a esperar te de Rogerio Ghomes – Foto: Divulgação.

O curador da exposição Fabio Luchiari, que acompanha a produção de Rogerio Ghomes há duas décadas, comenta em seu texto de apresentação da mostra, “Parti do princípio de não apresentar uma mostra cronológica, mas fazer diálogos com trabalhos produzidos em diferentes períodos, buscando agrupar temas pertinentes de sua trajetória e que de tempos em tempos ressurgem, com outro olhar, outra sensibilidade, porém, sempre coerentes com sua poética, suas indagações e buscas”. A escolha de trabalhos representativos na carreira de Rogério também foi um norte do processo curatorial, podendo apontar dentre esses: ‘Profano Sudário’, de 1997; ‘Olhai’, de 2001; ‘Incrível como um distúrbio afeta a credibilidade’, de 2007. A partir da articulação dessas obras com o espaço expositivo, surgiram os eixos e os diálogos com os demais trabalhos.

Fabio conclui, nas obras apresentadas nessa exposição, “Rogério subverte o papel da fotografia de registrar a realidade para criar outros mundos”. Mundo de saudade, solidão e lembranças prestes a desaparecer da memória. Tudo por meio de um olhar silencioso…

Rogerio Ghomes: artista visual e pesquisador nas áreas das artes visuais e design. Doutor em tecnologias da inteligência e design digital pela PUC SP e mestre em design pela UNESP. Contemplado no programa rede nacional funarte artes visuais [2015] com o projeto campo expandido: narrativas da imagem e no conexão artes visuais minc/funarte/petrobras [2013] com o projeto; campo expandido: a convergência das imagens.  Premio Brasil arte contemporânea na ARCO_ madrid 2010.

Participou de mais de 60 exposições nacionais e internacionais cabe destacar as individuais, Preciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui. DaP Divisão de Artes Plásticas UEL Londrina, Galeria Referencia Brasília.  Não Confie na sua memória. SESI Londrina. Donde estoy, estoy a esperar- te. MARP Museu de Arte de Ribeirão Preto.  Sinto saudades de tudo, inclusive de mim. Centro Cultural Sistema FIEP, Todos precisam de um espelho para lembrar quem são. Ybakatu espaço de arte e Encuentros Abiertos – Centro Cultural Recoleta, Buenos Aires. Território Ocupado Paço das Artes SP. Destacamos as coletivas: Silver Night of Projections – Encontros da Imagem, Braga Portugal, Luz versus Luz – Bienal Internacional de Curitiba, Ybakatu 20 anos, Alguns desvios do corpo – Londrina Arte 4, Coleção Pirelli MASP de Fotografia, Território Estrangeiro – MUMA Museu Metropolitano de Curitiba, XII Mostra da Gravura, Curitiba PR, III Bienal Internacional de Fotografia Cidade de Curitiba, Nefelibatas MAM SP, Ponto Cego MIS SP, Panorama de Arte Brasileira MAM SP.   VI Bienal de Havana.

Suas obras integram as coleções; Coleção Joaquim Paiva – MAM RJ Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Coleção McLaren, Fundação Cultural de Curitiba, MAM SP Museu de Arte Moderna de São Paulo, MAC USP Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, MAC PR Museu de Arte Contemporânea do Paraná, MON Museu Oscar Niemeyer, Pirelli MASP Museu de Arte de São Paulo, Pinacoteca de São Paulo.


Serviço

ExposiçãoPreciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui
com Rogerio Ghomes (Curadoria Fabio Luchiari)
Onde:
DaP – Divisão de Artes Plásticas da UEL (Av. Juscelino Kubitscheck, 1973)
Quando: 27 de agosto a 07 de outubro 2016 (Abertura 27 de agosto 11h)

Mesa Redonda – Conversa sobre a exposição

Preciso acreditar que ao fechar os olhos o mundo continua aqui

Prof. Danillo Villa
Prof. Maria Carla Guarinello de Araujo
Prof. Rogerio Ghomes

 

Passageira 16 divulga artistas selecionados para mostra

A mostra PASSAGEIRA 16 divulgou, na manhã da segunda-feira (11), a lista com os oito artistas selecionados para a exposição site specific que vai ocupar o Museu de Arte de Londrina de 13 de agosto a 30 de setembro. Cada contemplado vai receber R$ 2,5 mil para execução e montagem de sua ideia. A proposta do projeto é valorizar trabalhos artísticos que dialoguem com o edifício assinado pelos arquitetos João Batista Vilanova Artigas e Carlos Cascaldi. Os recursos vêm do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

Cartaz de divulgação da mostra - Foto: Divulgação.
Cartaz de divulgação da mostra – Foto: Divulgação.

Dentro das diretrizes artísticas do edital, Coletivo Barafunda, Felipe Cidade, Jean Yoshimura, Mabu (Marisa Bueno), Marcelo Zocchio, Márcio Diegues, Romulo Milanese e Vanessa S. foram os que mais se adequaram à proposta na avaliação da comissão de seleção composta por Danillo Villa, Fatima Savignon e Rogerio Ghomes. “Abrimos para as propostas tanto espaços internos como externos e o resultado foi surpreendente! Os oito selecionados acabaram se completando num significado maior, indo ao encontro do mote da exposição, que é ter o edifício como curador. Também foi muito importante a pluralidade de propostas, que vão de performance, interatividade fotográfica, instalação e videoarte à arte sonora. Ou seja, um leque imenso de investigações foi aberto e unido de forma inédita. É aí que a ideia de colocar vários artistas simultaneamente no espaço ganha sua força. Esperamos poder realizar novas edições para que, cada vez mais, a PASSAGEIRA possa ganhar corpo e afinar suas intenções com os artistas, com o público e, é claro, com o museu”, afirma a diretora da exposição, Louisa Savignon.

Estudantes, artistas e pesquisadores participaram em maio do evento de apresentação do edital - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Estudantes, artistas e pesquisadores participaram em maio do evento de apresentação do edital – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

O edital da Passageira 16 foi aberto a artistas residentes em Londrina e demais cidades do Brasil. Segundo Louisa Savignon, o nome do edital oferece já uma multiplicidade, como a relação que ele possibilita com as mostras que não são permanentes (Passarão pelo museu), o cronograma curto já reflete isso. “Brincamos também com essa coisa do local da exposição ser a antiga rodoviária, por onde passavam muitos passageiros. É um espaço que já existe (O museu como um todo) e nele você projetar algo artístico que vai dialogar com o ambiente, como um condutor. O museu está lá, cercado por grades, mas muitas vezes não é visto, tem uma ideia também de chamar ‘Olhem para o museu’…”, contou Savignon à reportagem do RubroSom.

Site specific

Este conceito artístico é destinado a obras criadas de acordo com um determinado ambiente ou espaço. Seus elementos estéticos buscam o diálogo com o meio para o qual o trabalho é elaborado. Neste sentido, o site specific liga-se à ideia de arte ambiente, que sinaliza uma tendência de produção contemporânea de se voltar para as características daquele local e seu entorno, incorporando-os e/ou transformando-os. Nesta busca, além do próprio espaço físico, também podem ser abordados aspectos como sua função pública, seu estado de conservação e sua utilização social.

Artistas Selecionados

Coletivo Barafunda, de Londrina / PR, com a performance “Barafunda”

Felipe Cidade, de São Paulo / SP, com a intervenção “Zona de Desconforto”

Jean Yoshimura, de Londrina / PR, com a videoarte “Passageiro”

Mabu, de São Paulo / SP, com a instalação “Canto 180”

Marcelo Zocchio, de São Paulo / SP, com a interativa fotográfica “O Passado num Ponto”

Márcio Diegues, do Rio de Janeiro / RJ, com a instalação “Monumento de Vento”

Romulo Milanese, de Bauru / SP, com a instalação “Demolição do Museu”

Vanessa S., do Rio de Janeiro / RJ, com a arte sonora “O Silêncio no Ruído”

(Com informações da Assessoria de Imprensa)


Mostra ‘Passageira 16’

Inscrições gratuitas: Até 29 de Junho, apenas por e-mail – contato@passageira16.com
Facebook.com/passageira16
Twitter
Instagram.com/passageira16

Aberto edital para Exposição no Museu de Arte de Londrina

A exposição de artePassageira 16 está com edital aberto para a convocação de artistas. O objetivo é selecionar oito propostas de trabalhos ‘site specific’ (Veja a seguir) que deverão ser realizados em diversos espaços do Museu de Arte de Londrina. Cada selecionado receberá R$ 2,5 mil para a execução e montagem de sua ideia. Os recursos vêm do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic) e o prazo para inscrição termina no dia 29 de junho. Na última terça-feira (17) um evento de apresentação do edital, com presença da banca de seleção dos projetos, foi realizado na UEL para divulgar mais informações sobre o edital.

A exposição deverá ser realizada entre os dias 13 de agosto e 30 de setembro. O edital completo e mais informações sobre o evento podem ser consultados no site www.passageira16.com. Segundo a diretora da ‘Passageira 16’, Louisa Savignon, a exposição surgiu da ideia de reocupar e valorizar as formas projetadas pelo arquiteto modernista João Batista Vilanova Artigas (1915-1985), responsável pelo desenho do edifício ao lado de Carlos Cascaldi. “Todas as formas de expressão e linguagens artísticas são bem-vindas. Delimitamos 11 espaços do prédio e a comissão curadora irá selecionar oito projetos, que precisarão informar, no ato da inscrição, o ambiente desejado e como serão desenvolvidos. A intenção é criar um diálogo entre essa variedade de obras e as formas do museu”, explica a diretora.

Projetar uma reflexão sobre o espaço, assim como, um novo olhar sobre o museu (Na foto, em vista aérea) é uma das metas do edital. - Foto: Acervo/Divulgação.
Projetar uma reflexão sobre o espaço, assim como, um novo olhar sobre o museu (Na foto, em vista aérea) é uma das metas do edital. – Foto: Arquivo Foto Estrela/Reprodução.

Estiveram presentes na apresentação o chefe da Divisão de Artes Plásticas da Universidade Estadual de Londrina (UEL), Danillo Villa, pelo coordenador do curso de Design Gráfico da UEL, Rogerio Ghomes, e pela arquiteta da Prefeitura de Londrina Fatima Savignon. Às 19h da próxima terça-feira (17), na sala de eventos (antiga sala 683) do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA), na UEL, os três participarão de palestra para apresentar o evento, explicar a proposta artística e dirimir dúvidas sobre o edital.

Estudantes, artistas e pesquisadores participaram na última terça (17) do evento de apresentação do edital - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Estudantes, artistas e pesquisadores participaram na última terça (17) do evento de apresentação do edital – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

O edital da Passageira 16 é aberto a artistas residentes em Londrina e demais cidades do Brasil. Segundo Louisa Savignon, o nome do edital oferece já uma multiplicidade, como a relação que ele possibilita com as mostras que não são permanentes (Passarão pelo museu), o cronograma curto já reflete isso. “Brincamos também com essa coisa do local da exposição ser a antiga rodoviária, por onde passavam muitos passageiros. É um espaço que já existe (O museu como um todo) e nele você projetar algo artístico que vai dialogar com o ambiente, como um condutor. O museu está lá, cercado por grades, mas muitas vezes não é visto, tem uma ideia também de chamar ‘Olhem para o museu’…”, contou Savignon à reportagem do RubroSom.

Site specific

Este conceito artístico é destinado a obras criadas de acordo com um determinado ambiente ou espaço. Seus elementos estéticos buscam o diálogo com o meio para o qual o trabalho é elaborado. Neste sentido, o site specific liga-se à ideia de arte ambiente, que sinaliza uma tendência de produção contemporânea de se voltar para as características daquele local e seu entorno, incorporando-os e/ou transformando-os. Nesta busca, além do próprio espaço físico, também podem ser abordados aspectos como sua função pública, seu estado de conservação e sua utilização social.

Cartaz de divulgação da mostra - Foto: Divulgação.
Cartaz de divulgação da mostra – Foto: Divulgação.

Artigas e Londrina

Um dos objetivos da Passageira 16 é tentar interpretar um dos comentários feitos por Artigas quando de sua última visita à cidade, em 1983. Naquela ocasião, disse o ícone modernista sobre o tombamento histórico da antiga rodoviária: “Eu fiquei contente, não porque fui eu que fiz. Nada a ver com a forma feita. Depois de feita, a diaba vira as costas, esperneia por todo lado, faz o que bem entende. Vai embora, faz seus casamentos, se esfrega com o povo e ganha qualidade própria. E o povo se serve, como a uma caneca velha, estende roupas. A obra artística criada, que foi produto do pensar, assume independência.”

Além da antiga rodoviária, a parceria entre João Batista Vilanova Artigas (1915-1985) e Carlos Cascalgi também projetou alguns dos prédios mais importantes de Londrina, a saber: edifício Autolon (rua Minas Gerais, 194, inaugurado em 1951), Cine Ouro Verde (rua Maranhão, 85, pronto em 1952), a Casa da Criança (praça Primeiro de Maio, 110, concluída em 1955), e ampliação da Santa Casa (rua Senador Souza Naves, 441, finalizada em 1955), além de outros projetos que não foram executados.

Antiga rodoviária

Elemento urbano inspirador da Passageira 16, o edifício do Museu de Arte de Londrina foi inaugurado em 4 de outubro de 1952 para ser a quarta rodoviária da cidade. A execução do projeto assinado por Artigas e Cascaldi tomou quatro anos devido à complexidade de suas formas, sobretudo os arcos de concreto armado.

Porta de entrada da cidade por quatro décadas, o antigo terminal rodoviário foi tombado pela Secretaria de Estado da Cultura, em 1974, como o primeiro prédio de arquitetura moderna do Paraná. Em 1988, com a inauguração da nova rodoviária, o edifício foi fechado, reabrindo apenas em 1993 para se tornar museu de arte.

(Com informações da Assessoria de Imprensa)


Mostra ‘Passageira 16’

Inscrições gratuitas: Até 29 de Junho, apenas por e-mail – contato@passageira16.com
Facebook.com/passageira16
Twitter
Instagram.com/passageira16