Mostra de cinema sobre Shakespeare é iniciada em Londrina

Começou ontem em Londrina, a mostra temática de cinema ‘Filmando Shakespeare” com nove longas-metragens adaptados da obra do dramaturgo inglês. O evento terá exibições gratuitas de filmes, em diferentes horários sempre no auditório do Sesi/AML, na região central. A programação (Confira a seguir) segue diariamente até o dia primeiro de Julho. A mostra iniciou com ‘Otello’ do diretor Orson Wells e, a partir de quarta-feira (29), haverão sessões às 14h, às 16h30 e às 19.

Rodrigo Grota conversa com público durante abertura da mostra - Foto: Bruno Leonel/RubroSom.
Rodrigo Grota conversa com público durante abertura da mostra – Foto: Bruno Leonel/RubroSom.

Sempre nos últimos horários, haverá uma sessão comentada com convidados. Entre os convidados; Heloisa Bauab, Mauro Rodrigues e Sílvio Demétrio (Que fez os comentários na exibição de abertura)  – todos professores da UEL – o dramaturgo Maurício Arruda Mendonça também participa do evento. A ideia é aprofundar a discussão e criar um momento de interação após a imersão dos filmes.

Na abertura, dezenas de pessoas, de várias idades – Incluindo alunos da  Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA) acompanharam a exibição de Otelo. No mesmo dia ocorreu a passagem da Tocha Olímpica por Londrina. Em horário concomitante à sessão, a carreata com a tocha passou pela Avenida Rio de Janeiro, quase paralela à rua do Sesi/AML,onde ocorria a exibição do filme. Ainda assim, não houve distração e muitos preferiram acompanhar a abertura da mostra que preencheu boa parte do auditório do local.

A Mostra
Trata-se de uma promoção da produtora Kinopus, com idealização e curadoria do cineasta Rodrigo Grota. O evento é a primeira homenagem na cidade pela data de 400 anos da morte de William Shakespeare; Autor que inspira uma verdadeira legião de ídolos, devido sua importância tanto no teatro quanto na poesia. Shakespeare faleceu em abril de 1616 e deixou um acervo de 38 peças, mais de 150 sonetos além de dois longos poemas narrativos.

Público acompanha a exibição de Otelo (Orson Wells) na última terça - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Público acompanha a exibição de Otelo (Orson Wells) na última terça – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

Nos séculos XX e XXI seus trabalhos foram repetidamente adaptados e redescobertos por novos movimentos artísticos e performances. Atualmente, sua obra continua ainda popular e frequentemente é tema de espetáculos e apresentações em diversos contextos culturais e políticos. “Tem um crítico que fala que o Shakespeare foi responsável pela invenção do humano como nós conhecemos hoje, ele tem um livro sobre as obras e os arquétipos que ele criou a partir dos personagens… O que eu acho que ele consegue fazer com maestria é mostrar tanto dramas históricos, mas também, consegue mergulhar na profundidade dessa alma humana, sem explicação tão racional. Ele faz esse mergulho de uma forma muito poética. Naquele período (Século XVI) a língua inglesa estava ainda em formação, então dizem que ele foi responsável pelo registro de muitos vocábulos da língua inglesa. Ele conta uma história, cria uma linguagem poética e ainda emociona o público de uma forma muito forte”, contou o cineasta à reportagem do RubroSom.

Segundo Grota, o critério artístico, e, sobretudo, a qualidade das produções foi um fator determinante para a escolha da programação. Produções muito comerciais ou mesmo que não tivessem uma qualidade estética interessante foram desconsiderados. “Tentei pegar esses filmes, com temas, que pudéssemos ver hoje e pensar no ser humano de 2016, se existe uma semelhança entre esse personagem do Shakespeare e as pessoas do século XXI, quais seriam as semelhantes né ?”, enfatiza Grota.


Filmando Shakespeare
De 28 de junho a 1º de julho
Anfiteatro do Sesi – Praça Primeiro de Maio, 130, em frente à Concha Acústica
Entrada franca
Realização: Kinopus, com apoio cultural do Sesi

Programação


Dia 29/06, Quarta
14h Hamlet (1996, 242 min), de Kenneth Branagh
19h Hamlet (1964, 140 min), de Grigori Kozintsev
Neste dia, Heloisa Bauab, professora de Artes Cênicas da UEL, conversa com o público

Dia 30/06, Quinta
14h Macbeth (1948, 92 min), de Orson Welles
16h30 Macbeth: Ambição e Guerra (2015, 113 min) , de Justin Kurzel
19h Macbeth (1971, 140 min), de Roman Polanski
Neste dia, Mauro Rodrigues, professor de Artes Cênicas da UEL, conversa com o público

Dia 01/07, Sexta
14h Falstaff (1965, 113 min), de Orson Welles
16h30 Ricardo III – Um Ensaio (1996, 112 min), de Al Pacino
19h Rei Lear (1971, 139 min), de Grigori Kozintsev
Neste dia, o dramaturgo e poeta Maurício Arruda Mendonça conversa com o público