Funcart – A ideia é permitir que essas regiões possam se desenvolver, afirma presidente

As regiões Norte e Leste de Londrina agora terão novos espaços culturais. Há mais de duas décadas, os londrinenses acostumaram-se a frequentar o complexo do Circo Funcart, às margens do Lago Igapó, no centro de Londrina, que reúne as Escolas Municipais de Dança e Teatro, além do palco. A Fundação se prepara agora para ampliar seu trabalho para outras duas regiões. Na Zona Norte, será inaugurada em março uma sala toda adaptada para as aulas de dança e teatro, e com capacidade para receber apresentações artísticas. Já na região Leste, a atuação da Funcart se dará por meio de atendimento socioeducativo totalmente gratuito a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade.

Funcart na Região Norte, últimas reformas para a inauguração em março - Foto: Divulgação
Funcart na Região Norte, últimas reformas para a inauguração em março – Foto: Divulgação

2017 começa, portanto, com novas ações para a Fundação, que há 23 anos mantém convênio com a Prefeitura Municipal, o que garante a manutenção de projetos permanentes como o Ballet de Londrina e a inserção de mais de 60% de bolsistas totais ou parciais em seus cursos regulares. O objetivo é ampliar o acesso ao universo das artes a pessoas que estão em regiões periféricas e que, muitas vezes, não podem se deslocar para frequentar as aulas. “Na zona norte já tínhamos atividades culturais há cerca de 5 ou 6 anos, e após as chuvas do ano passado, houve danos nos prédios que usávamos no local… Desde então estenderam-se as negociações para conseguirmos um novo prédio, havia sim um compromisso de restabelecer a escola por lá, já que muitos alunos que frequentavam ali a região não tinham como vir até o ‘Circo’ (Próximo ao Igapó)… O novo local tem um espaço de teatro, uma localização boa para as atividades, vai ser possível inclusive para fazermos um espaço de apresentações, algo simples mas com possibilidade de fazer  eventos parecidos ao do espaço na Rua Souza Naves, contou a presidente da Funcart Neli Beloti. “A ideia é fertilizar àquela região, permitir que eles produzam e possam se desenvolver por lá… E a gente também aproveitar o lugar assim”, conclui Neli.

Segundo a presidente as atividades retomam no dia 7 de março, mas, trabalhos já estão sendo realizados no local. As matrículas estão abertas no local, com uma novidade: além do tradicional curso de dança, também serão oferecidas oficinas de teatro. A Funcart Região Norte fica na Av. Alexandre Santoro, 440, Jardim São Paulo, bem atrás do corpo de bombeiros da Saul Elkind. Contatos pelo telefone 3328-0467.

Região Leste – Um importante passo nesta nova fase da Funcart é a ampliação do serviço de caráter social atrelado às linguagens artísticas. O trabalho está sendo desenvolvido desde o começo de fevereiro no bairro Santa Fé e consiste no atendimento a 50 jovens de 12 a 17 anos em situação de vulnerabilidade social. Nas tardes de segunda a sexta-feira, a Fundação oferece atividades lúdicas e esportivas com um educador fixo, além de oficinas de teatro e dança, e outras dinâmicas propostas em diálogos com os próprios adolescentes. “Nosso trabalho até agora tem sido conhecer a realidade dos alunos, perceber suas necessidades e desenvolver vínculos. Trocamos informações e nos colocamos também como pessoas dispostas a aprender. Realizamos atividades esportivas, do jogo com bola ao xadrez, e já percebemos que eles são receptivos ao teatro e à dança. Agora estamos investigando o tipo de arte que mais agrada”, destaca Silvio Ribeiro, coordenador da Escola Municipal de Teatro e de projetos sociais na Funcart. “A atividade em si não é o mais importante, mas a forma que vamos entrar na vida destas pessoas, os vínculos de confiança e os novos caminhos que eles poderão descobrir”, completa. É um projeto social para trabalhar no contra turno, e que tem esse objetivo de construir uma relação de afetividade, muitas delas em situações de vulnerabilidade, elas passam por processos complicados de rejeição, de baixa auto estima etc…”, pontuou Neli.

As ações na Zona Leste ocorrem em salas cedidas pela Capela Santa Ana, espaço dividido com a Cáritas Brasileira. A entidade da CNBB já realiza com os jovens exercícios educativos na Biblioteca Popular Paulo Freire, que foi instalada no local e conta inclusive com equipamentos de informática.

Funcart Regiao Leste - Teatro de Bonecos - Foto: Divulgação
Funcart Regiao Leste – Teatro de Bonecos – Foto: Divulgação

Desde meados de 2016, a Funcart, por meio de Silvio e do assistente social Edvaldo Paulino da Silva, manteve contato com a Cáritas e com a Secretaria de Assistência Social para firmar a parceria que agora se inicia. “Incrementar o viés social associado ao trabalho cultural sempre esteve no escopo da Fundação, mas, nos últimos anos, alteramos até o nosso estatuto para deixar esta inserção bem clara”, afirma Neli Beloti.

Doações – Como as atividades na Zona Leste têm por objetivo a permanência e ocupação dos adolescentes em todo o contraturno, a Funcart oferece diariamente uma alimentação no período vespertino. Os próprios alunos ajudam no preparo dos lanches, o que contribui para o fortalecimento de vínculos entre eles e com os professores.

Para realizar todos os serviços propostos, a Fundação pede doações de produtos de várias naturezas: alimentos não perecíveis para lanche (como bolachas, pães, leite integral e sucos longa vida), jogos lúdicos e/ou educativos e material esportivo (como bolas, redes e coletes de times). As doações podem ser entregues na unidade central da Fundação, localizada na Rua Senador Souza Naves, 2380, ou na Funcart Região Leste, que fica na Rua Limeiras, 474, Jardim Santa Fé, junto à capela do bairro (apenas no período da tarde). Mais informações pelos telefones 3342-2362 ou 99696-0101. “Um dos méritos da Funcart é proporcionar a convivência das pessoas. Bolsistas e não bolsistas, pessoas de vários níveis econômicos e de diversas regiões da cidade em um mesmo diálogo pela arte. Hoje a gente consegue ver como a Fundação chega na sociedade, como é grande nossa aproximação. Isso pode ser percebido pelo público crescente e pelo acolhimento às nossas campanhas colaborativas”, ressalta a presidente Neli Beloti.

Saldo positivo – Funcart inicia reforma no circo em Janeiro

Com um valor final obtido de R$ 61 mil (Que serão utilizados para reformas no Circo Funcart) foi positivo o saldo final da campanha ‘entre amigos’ realizada pela organização do espaço durante os últimos meses. Entre novembro e dezembro, a Fundação Cultura Artística de Londrina realizou uma Ação Entre Amigos em prol do espaço, para assim, concluir reformas importantes e adequações exigidas pelo Corpo de Bombeiros. Com o iminente risco de fechamento do charmoso teatro de lona, uma multidão de Londrina e região reuniu esforços para obter o valor necessário para o início das obras.

Circo Funcart já recebeu espetáculos de grupos nacionais e internacionais como "O lendário Odin Teatret (Dinamarca), no Festival de Dança" - Foto: Fábio Alcover e Mariana Hertel
Circo Funcart já recebeu espetáculos de grupos nacionais e internacionais como “O lendário Odin Teatret (Dinamarca), no Festival de Dança” – Foto: Fábio Alcover e Mariana Hertel

A Funcart divulgou esta semana o balanço da campanha. Ao todo, foram mais de 6 mil números vendidos, obtendo-se um total de 61 mil reais, o que corresponde a mais da metade da quantia necessário à reforma geral, orçado em 100 mil reais. Com a divulgação do resultado, outra surpresa que demonstra o respeito dos londrinenses pelo trabalho da Fundação: num gesto generoso, a ganhadora, uma jornalista que não quer ser identificada, doou o prêmio do sorteio (uma moto Honda CG 125i FAN) para complementar o fundo beneficente.

A notícia chegou nesta segunda-feira (19), na ocasião em que a presidente da Funcart, Neli Beloti, fez contato com a ganhadora. Ela conta que adquiriu o número da Ação Entre Amigos quando, ao esperar por atendimento em uma agência bancária, viu o anúncio da campanha em uma rede social. Como a conta para depósito era no mesmo banco em que estava, achou uma grande coincidência e resolveu utilizar o dinheiro que tinha para a “causa nobre”. “Agora não acho mais que foi coincidência. Alguma força superior fez com que eu comprasse o número ganhador porque sabia que eu não teria coragem de ficar com o prêmio. E não tenho mesmo. Essa moto pode me dar algum conforto material? Pode. Mas a arte de vocês aproxima as pessoas de sua própria humanidade. E isso, pra mim, é a coisa mais importante do mundo”, conta a ganhadora anônima. A milhar de sorte foi a 4213, divulgada pela loteria federal no sábado (17). De acordo com a produtora Danieli Pereira, o total das obras teria um custo próximo de R$ 120 mil. “Temos já outras ações para arrecadação como um financiamento coletivo (Através da plataforma Vaquinha) e planejamos já outras ações para 2017, o Circo não conta com nenhum tipo de financiamento público, logo, estamos buscando alternativas, junto ao público, para realizar todas as melhorias”, contou Danieli.

O espaço foi usado em várias apresentações emblemáticas como o ballet Giselle - Foto: Fábio Alcover
O espaço foi usado em várias apresentações emblemáticas como o ballet Giselle – Foto: Fábio Alcover

Trata-se de um bonito desfecho para a corrente de generosidade que envolveu a campanha desde o início. A própria moto foi doação do pai de uma aluna de dança da Funcart. Ao constatar a situação calamitosa do espaço teatral quando assistia a uma apresentação da filha, o empresário reuniu por conta própria fornecedores e amigos, e conseguiu obter o valor para o prêmio. “Ele chegou para a Fundação com a moto comprada e já com a ideia de fazermos a Ação Entre Amigos”, lembra Neli Beloti. A partir de então, começou a rede de contatos entre funcionários, alunos, pais e entusiastas. “Ficamos felizes e emocionados com o reconhecimento para com o trabalho da Funcart. As pessoas não só compraram os números, mas se ofereceram para ajudar a vender. E quando agradecíamos pela ajuda, recebíamos de volta outro agradecimento: pelo nosso esforço de continuidade do trabalho artístico, mesmo em tempos tão difíceis”, destaca a presidente.

Com 23 anos de existência, a Funcart administra as Escolas Municipais de Dança e Teatro de Londrina em parceria com a Prefeitura. Hoje, possui 750 alunos, dos quais mais da metade são bolsistas integrais ou parciais. O Circo Funcart, no entanto, não conta com nenhum tipo de financiamento público. Além das apresentações das Escolas de Teatro e Dança e do Ballet de Londrina, o palco – um dos maiores da cidade – acolhe montagens de grupos independentes e de outras instituições com valores muito reduzidos, garantindo o acesso ao equipamento de cultura à classe artística local.

As reformas, previstas para o início de 2017, têm como objetivo reestruturar a arquibancada e o palco, arrumar as poltronas (herdadas ainda do antigo Teatro Ouro Verde), substituir a lona (toda perfurada pela ação do tempo), pintar o espaço com tinta antichamas e providenciar reparos na parte elétrica. Após o pontapé inicial, a Fundação pretende realizar novas campanhas para atingir a meta final e concluir as obras.

(Com informações da assessoria de imprensa)

Ação entre amigos – Circo Funcart busca recuros para reforma

A Fundação Cultural Artística de Londrina (Funcart) está realizando uma ação entre amigos, através da rifa de uma motocicleta, como forma de obter recursos para reparos e manutenção do espaço do Circo, situado na R. Sen. Souza Naves, 2380, em Londrina. Segundo a produtora da Fundação, Danieli Pereira da Silva, com a renda obtida através da ação parte dos reparos na estrutura do espaço será iniciada. “Além de reparos na lona (Que está bastante danificada), precisamos também realizar manutenção na fiação na pintura do espaço (Que precisa ser a prova de fogo) e outras questões pontuais”, contou em entrevista ao Rubrosom.

Circo Funcart busca recuros para reforma
Atualmente o circo é utilizado como espaço para apresentações musicais e peças de teatro como, todos os anos, peças feitas por formandos da escola – Foto: Divulgação/Funcart

Segundo a produtora, apenas a rifa não é ainda o suficiente para concluir todas as reformas necessárias no Circo Funcart. De acordo com ela, perto o montante total para as obras teria um valor próximo de R$ 120 mil. “Temos já outras ações para arrecadação como um financiamento coletivo (Através da plataforma Vaquinha) e planejamos já outras ações para 2017, o Circo não conta com nenhum tipo de financiamento público, logo, estamos buscando alternativas, junto ao público, para realizar todas as melhorias”, contou Danieli.

Quem tiver interesse em contribuir com a ação pode comprar um dos números da rifa por R$ 10, e concorrer à uma moto Honda CG 125i Fan 0km. Toda a venda dos números irá ajudar na revitalização do espaço. Informações, direto na Funcart e pelo fone (43) 3342-2362 – O Sorteio termina dia 17 de dezembro.


Ação Entre Amigos Funcart
Quando: Até o dia 17 de dezembro
Preço: R$ 10 cada número da rida de uma motocicleta Honda CG 125i Fan

Aracy de Almeida – Projeto Araca realiza última apresentação do ano

Nesta sexta (09) no Teatro da Funcart, em Londrina, acontece a última das apresentações do Projeto Araca: Arquiduquesa do Encantado.  O espetáculo terá cobrança de 10 reais de entrada que será revertido para a reforma do teatro da Funcart.

 Projeto Araca realiza última apresentação do ano
Da esquerda para a direita: André Mattos (clarineta), Lucas Dias (pandeiro), o ator Leonardo Capeletti, Silvia Borba (Voz), Guilherme Araujo (Bandolim dez cordas) e Osório Perez (violão sete cordas) – Foto: Anderson Coelho.

O espetáculo, que tem direção musical de Paulo Vitor Poloni e direção cênica de Sílvio Riberto, reproduz um programa de rádio da década de 1930 e reafirma o nome de Aracy de Almeida como umas das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos. “Eu conhecia a Aracy de Almeida como jurada de programa de TV, e à medida que fui conhecendo a obra desta mulher, fiquei encantada com a vida e a importância dela para a Música Brasileira”, destaca Sílvia Borba, cantora do espetáculo que será acompanhada de um regional de Choro formado por André Mattos (clarineta), Osório Perez (violão sete cordas), Guilherme Araujo (bandolim dez cordas) e Lucas Dias (pandeiro). Participação especial do ator Leonardo Capeletti.

Segundo Silvia Borba, o trabalho é fruto de uma extensa pesquisa e também de um período de preparação e ensaio que levou cerca de um ano. A ideia é mostrar ao público londrinense a obra de Aracy através de um espetáculo cênico/musical nos moldes de um programa de rádio, há até o personagem de um locutor de rádio durante a apresentação. “Desde o início de 2015 começamos a estudar, lá pelo meio do ano houve a separação do repertório. Recebemos toda a discografia da cantora do colecionador Gilberto Inácio Gonçalves (De São Paulo), tudo no digital (centenas de faixas) e então fizemos uma seleção disso tudo.”, comentou Silvia Borba à reportagem do RubroSom. “(De tudo o que eu li) o legado da Aracy é mais de uma figura boêmia mesmo, de uma cultura do samba que a gente entende e vê hoje, o samba que nós escutamos hoje, em vozes masculinas/femininas, vem dessa cultura da boemia do Rio de Janeiro”, contou Silvia à reportagem. Dentro do projeto foram 10 apresentações neste ano.


A ideia do projeto foi do músico Osório Perez, que sugeriu a cantora Aracy devido à importância da mesma, assim como uma certa similaridade de timbres de voz com a voz da cantora Silvia Borba. O teaser da apresentação foi gravado na biblioteca do Museu Histórico de Londrina (Espaço cedido gentilmente pela diretoria do espaço). Segundo o grupo, o ambiente é bastante nostálgico e tem características que remetem à época (Década de 30) assim como ser um espaço pouco conhecido do grande público.

Aracy de Almeida – Considerada por Noel Rosa “A pessoa que interpreta com exatidão o que produzo”, Aracy Teles de Almeida tinha uma personalidade franca e era muito culta. Falava sempre o que queria e sua boêmia maneira de cantar foi determinante para definir os rumos do samba cantado por voz feminina. Trabalhou como jurada em vários programas de TV: na TV Tupi com Mário Montalvão; na TV Globo com a Buzina do Chacrinha, no Programa Silvio Santos, programas na TVE, Pepita Rodrigues, Almoço com as Estrelas, entre outros. Em 1988, Aracy teve um edema pulmonar e na época Silvio Santos a ajudou financeiramente e telefonava todos os dias para saber como ela estava. Faleceu no dia 20 de junho, aos 73 anos.


SERVIÇO
Araca – Arquiduquesa do Encantado
Quando:
Sexta-feira (09) às 20h
Local:
Teatro Funcart
Entrada: R$ 10 – Com renda revertida para a reforma do Teatro Funcart

Teatro – Espetáculo As Nuvens estreia na Funcart nesta terça

Estreia nesta nesta terça-feira (22), às 20h30, no Circo Funcart, o espetáculo “As Nuvens”, montagem dos alunos da Escola Municipal de Teatro (EMT) baseada na peça original de Aristófanes, um dos maiores nomes cômicos da dramaturgia grega. A peça será reapresentada, em todos os dias seguintes, até domingo (27), no mesmo local e horário.
15129459_1130781096957659_4490363749309728341_o

O espetáculo tem patrocínio da Prefeitura de Londrina, através do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). As entradas custam R$20 e R$10 (meia-entrada) e serão vendidas no próprio Circo Funcart, que fica na Rua Souza Naves, 2.380. A direção é de Cláudio Rodrigues e Nathan Sinval, que enfrentaram vários desafios para trazer de volta um texto grego, escrito em 423 a.C., com o mesmo frescor de novidade e capacidade de despertar discussões contemporâneas. Trata-se da terceira peça teatral apresentada por formandos da Funcart, neste ano, adaptadas de textos da dramaturgia grega. “Sempre temos esse tema comum entre as peças de formandos, a ideia é contemplar textos e obras as quais, pessoas em Londrina raramente tenham a oportunidade de ver encenadas. Ano passado por exemplo fizemos só peças de autores londrinenses e, para o ano que vem, é prevista uma temporada de Shakespeare, sempre textos da dramaturgia universal”, contou ao Rubrosom o coordenador da montagem Silvio Ribeiro.

A peça 'O Misantropo' foi a primeira das três apresentações de formandos deste ano, apresentada no Circo Funcart -Foto: Janaina Oliveira
A peça ‘O Misantropo’ foi a primeira das três apresentações de formandos deste ano, apresentada no Circo Funcart -Foto: Janaina Oliveira

A peça conta a história do velho e simplório Estrepsíades, que foi um homem rico, mas que se viu endividado ao se casar com a perdulária e fútil aristocrata ateniense e graças também ao seu filho, Fidípides, um bon vivant, que não fazia outra coisa senão gastar em cavalos. Desesperado, Estrepsíades pensa até em recorrer à ajuda das feiticeiras de Tessália para ver se consegue alterar as fases lunares, já que o calendário de vencimento das dívidas era de acordo com as mudanças da lua. “O processo foi sendo feito de forma constante desde o mês de fevereiro, alunos passaram o ano todo realizando estudos teóricos, e por preparos como expressão vocal… A peça será apresentada em uma temporada de 5 dias, também para que os atores possam sentir como é a rotina de uma peça em cartaz”

Segundo o coordenador e sonoplasta de “As Nuvens”, Silvio Ribeiro, o espetáculo remonta fielmente ao texto original e ao contexto da época, porém, permanece atual e, em certos momentos, acaba se conectando com a realidade de hoje. “A montagem traz, por meio da comédia, questões focadas nos pensamentos filosóficos e na crítica política, que sempre são temas atuais. No andamento da história, o humor permite brechas para que os atores possam encaixar improvisos e complementar as piadas originais, o que torna o espetáculo ainda mais interessante”, comentou.

A adaptação de 'Lisistrata' foi a segunda peça apresentada por formandos da Escola te teatro neste ano - Foto: Janaina Oliveira
A adaptação de ‘Lisistrata’ foi a segunda peça apresentada por formandos da Escola te teatro neste ano – Foto: Janaina Oliveira

A alegoria criada por Aristófanes, centra fogo no filósofo Sócrates, numa crítica ao modelo de educação dos sofistas, fazendo uma caricatura dessa escola. Na peça, o filósofo é desenhado como um homem que usa de seu bom conhecimento de oratória para trapacear, inverter valores, fazendo com que argumentos justos se tornem injustos e vice-versa, levando os discípulos pelo mesmo caminho.

“As Nuvens” é a última das três comédias gregas apresentadas na temporada 2016 dos espetáculos de formatura dos alunos da Escola Municipal de Teatro. Traz, na direção, a experiência de Cláudio Rodrigues, que integrou o elenco do Grupo Proteu, fundado por Nitis Jacon. Atualmente, ele é professor na própria EMT. No processo, Rodrigues conta com a colaboração de Nathan Sinval, jovem ator, com uma trajetória ainda curta, mas que já revela um grande potencial e que, agora, experimenta também o trabalho de diretor.


Ficha Técnica:
Direção: Cláudio Rodrigues/ Nathan Sinval
Cenografia: Dovinho Feitosa
Assistentes de Cenografia: Caio Feitosa, Lucas Sandrine e José Geraldo da Silva
Iluminação: Ricardo Grings
Sonoplastia: Silvio Ribeiro
Figurino: Carol Ribeiro
Produção: Fernanda Fernandes / Daniele Pereira/ Raquel Sant’anna
Designer Gráfico: Reberson Alexandre
Coordenação: Silvio Ribeiro

Elenco:
André Junior; Diego Horaguchi; Eduardo Gonçalves; Gabriela Rodrigues; Giovanna Sgarbossa; Karen Almeida; Marcelo Magalhães; Maria Antonia Ribeiro; Maria Clara Becegato; Marina Valentina; Nathan Sinval; Regina Costa; Ruan Fernandes; Veridiana Pinheiro


SERVIÇO
Espetáculo ‘As Núvens’ na Funcart
Terça-feira (22) às 20h30
Ingressos:
R$ 20,00 – Inteira/R$ 10 (meia)
Os ingressos podem ser adquiridos com os atores ou na bilheteria do local (Funcart).

Teatro – Alunos da Funcart apresentam Lisistrata nesta sexta

A Fundação Cultura Artística de Londrina apresenta nesta sexta(18) de feriado a peça de formatura da turma noturna de teatro 2016, Lisístrata – A greve do sexo. O texto é baseado na comédia grega de Aristófanes, escrita a 411a.c. é considerada a primeira grande obra pacifista. A peça tem direção de Simone Andrade.

fb_img_1479227568322
Lisístrata de Aristófanes foi uma tentativa real de acabar com uma guerra de verdade – Foto: Divulgação

Trama: Cansadas de uma guerra que já durava 20 anos, as mulheres de Atenas, de Esparta, de Beócia e de Corinto (cidades gregas mais duramente atingidas pela guerra), chefiadas pela ateniense Lisístrata, decidiram por fim às hostilidades usando de uma tática pouco convencional: uma greve de sexo. Para melhor conseguir seu objetivo, ocuparam na cidade de Atenas – a Acrópole, e tomaram conta do Tesouro. Os maridos não resistiram à greve e concluíram um tratado de paz, depois de uma série de peripécias de grande efeito cômico apesar da ousadia dos detalhes.

Foto: Divulgação/Funcart
Foto: Divulgação/Funcart

Na época em que foi escrita a peça (411 a.C.), Atenas atravessava um período dificílimo de sua história. Abandonados por seus aliados, os atenienses tinham a 24 quilômetros de suas cidades as tropas espartanas. Essa luta fratricida enfraquecia a Grécia toda, pondo-a a mercê dos bárbaros. Inspirado por um profundo sentimento de patriotismo e humanidade, Aristófanes se fez porta-voz de todas as esposas e mães gregas e, por intermédio de Lisístrata, lançou um veemente apelo em favor da paz, não somente aos atenienses, mas a todos os gregos (Leia Sinopse completa AQUI)

• Classificação indicativa: 16 anos

Elenco:
Alana Maia
Ana Carolina Messias Bernardi
Anelise Kranich
Andre Severinoo
Bu Paes
Érika Sayuri
Fátima Souza
Felipe Louro
Flávia Muchiutti
Janaina Oliveira
Ju Gatez
Juliano De Souza Scoponi
Leticia Minto
Rafael Oliveira Do Carmo
Renan S. Faria
Thaís Artoni


SERVIÇO
Ingressos:
R$ 20,00 – Inteira
R$ 10,00 – Meia
Os ingressos podem ser adquiridos com os atores ou na bilheteria do local (FUNCART).

Teatro – O Misantropo abre temporada de formandos da Funcart

Do dicionário; O misantropo (indivíduo que pratica a misantropia) é alguém que se sente desconfortável com a vida em sociedade, além de desconfiar e antipatizar com as outras pessoas… A julgar pelo significado, este é mais ou menos o tom do espetáculo apresentado nesta terça-feira, no Circo Funcart em Londrina, por formandos da Escola Municipal. A Fundação Cultura Artística de Londrina (FUNCART) apresenta o espetáculo de formatura da turma de teatro 2016 ”O Misantropo”, encenada em 318 A.C., escrita por Menandro. As apresentações ocorrerão do dia 8 à 13 (terça-feira a domingo) de novembro, às 20h. A apresentação inicia uma temporada de peças apresentadas na Funcart até o próximo dia 15 – As outras são Lisistrata e As Nuvens.

Peça O Misantropo abre temporada de formandos da Funcart

Sinopse – Nos arredores de File, vive o velho Cnêmon, um camponês furioso que mantém sua fazenda com seus próprios braços, a par da sociedade, acompanhado apenas de uma empregada e de sua filha mais nova. A moça já não aguenta mais segurar a vontade de conseguir um marido para enfim viver longe da misantropia do pai, então decide fazer uma suplica a Ninfa favorita do (não tão) poderoso deus Pã. A dupla de semideuses acaba por gerar uma serie de desventuras que obrigam o velho misantropo a lidar com as pessoas que passam pelo local e com a ideia do casamento da filha.


Direção: José Silva
Elenco:Beto Junior, Bruno Zucoloto, Celso Nascimento, Eduardo Borges, Haletéia Fioravane, Igor Brandão, Isaque Gonçalves,  Leandro Bonassoli, Matheus Moreno, Tiago Lessa, Tony Abreu, Vernumo Mungátura, Willian Monfredini


SERVIÇO
O Misantropo
Onde: Funcart -Rua Senador Souza Naves, 2380
Horário: 20h30

Festival de Dança – Angústia é apresentada nesta terça

Dando continuidade à programação do Festival de Dança de Londrina, nesta terça-feira, a Cia Mênades & Sátiros apresenta “Angústia” durante a programação. Na montagem, Potapov e Seu Rocim – um homem e um cavalo – estão à espera de passageiros que possam lhe render algum dinheiro para matar a fome. O cavalo observa o dono, imerso na dor pela perda do filho em razão de uma febre. Os personagens aparecem a sós em meio ao caos. A apresentação é às 20h30, no Circo Funcart, dentro da programação do 14º Festival de Dança de Londrina.

O espetáculo se faz a partir do registro dos estados de alma dos dois personagens, que se debatem diante da tentativa – e da impossibilidade – de partilharem a dor - Foto: Fernando Martinez
O espetáculo se faz a partir do registro dos estados de alma dos dois personagens, que se debatem diante da tentativa – e da impossibilidade – de partilharem a dor – Foto: Fernando Martinez

O espetáculo se faz a partir do registro dos estados de alma dos dois personagens, que se debatem diante da tentativa – e da impossibilidade – de partilharem a dor. O homem precisa de alguém que o ouça, precisa falar sobre a morte do filho. Por mais que tente, não consegue se expressar, pois só encontra pessoas indiferentes à sua volta. Mas o cavalo está ali, ruminando enquanto ouve o cocheiro. Ambos se encontram fincados no chão, cobertos pela neve que os paralisa.

O diretor Denilson Biguete e o dramaturgo Cássio Pires partem do conto “Angústia”, do escritor russo Anton Tchekhov (1860-1904), para registrar a asfixiante solidão humana. Colocam o desafio de pensar a narração de sentimentos indizíveis por meio de um jogo que envolve a luz, o cenário e os objetos de cena. Uma lona estendida no chão. Uma roda de ferro com madeira – a carroça. A neve representada por almofadas pretas. A atmosfera densa e carregada do intenso frio russo.

Em pedaços, Iona busca se aquecer não só da neve fria. A luz dos lampiões-postes lembra a penumbra da cidade. O giz risca direções no espaço. Mãos e pés produzem o som do tempo e dos deslocamentos. O silêncio e a gaita. Respiração e corpo. No palco, os atores-narradores Marcus Andrade e Thiago Cardoso são também construtores da encenação.

A Mênades & Sátiros Cia. de Teatro, criada em 2003 com a montagem do texto “Curto-Circuito”, do dramaturgo prudentino Timochenco Wehbi, é movida pelo exercício criativo, investigativo e estético do teatro. O coletivo busca como determinação a arte do ator e as múltiplas questões e inquietações que seus espetáculos propõem. A Companhia segue sua trajetória com 11 espetáculos montados, sempre investindo em uma linguagem que possibilite dar voz aos anseios do homem contemporâneo.

Os ingressos para “Angústia” podem ser adquiridos por R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada) nos pontos de venda e, caso haja lugares disponíveis, também na portaria do Circo Funcart, uma hora antes do início da apresentação. (Com informações da Assessoria de Imprensa).


Serviço:

Angústia – Mênades & Sátiros Cia de Teatro (Presidente Prudente-SP)
Dia: 4 de outubro (terça-feira)
Horário: 20h30
Local: Circo Funcart (Rua Souza Naves, 2380)
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: 14 anos