Festival de Circo – Mais de 250 artistas movimentam Londrina em 5 dias de evento

Terminou no último domingo (11) a programação artística do XII Festival de Circo de Londrina. Durante cinco dias de eventos, iniciados no último dia 7, o festival levou espetáculos, montagens e performances circenses à todas as regiões da cidade, inclusive chegando até aos Distritos Rurais. Além do ‘picadeiro’, montado na Avenida Higienópolis (Região Central) o evento foi notório pela realização de apresentações e espetáculos em espaços como o calçadão, e em outros espaços públicos, tornando assim, os espetáculos acessíveis à mais pessoas.

Apresentações com acrobacias que desafiaram a gravidade marcaram o encerramento no último dia 11 em Londrina - Foto: Divulgação XXII Festival de Circo
Apresentações com acrobacias que desafiaram a gravidade marcaram o encerramento no último dia 11 em Londrina – Foto: Divulgação XXII Festival de Circo

Segundo a organização, mais de 250 artistas participaram do evento durante os cinco dias de programação. O evento, que contou com coletivos de norte a sul do país, foi além do município e chegou a realizar programação também em cidades da região como Rolândia, Arapongas e Sertanópolis. “Foram mais de 60 espetáculos em cerca de 70 pontos diferentes, nós temos o apoio de uma lei de incentivo Estadual do Paraná – Primeira vez que temos esse apoio – é uma edição grande, circula para os distritos rurais… É o poder do circo, ele encanta tanto que é fácil de assimilar com pessoas de várias idades”, contou Sérgio Oliveira, diretor do Festival de Circo de Londrina.

Acrobacias, manobras e até fundos musicais foram usados no espetáculo Sobrevoltas (Do Circo Enxame de São Paulo) apresentado na última quinta-feira (8) em Londrina - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Acrobacias, manobras e até fundos musicais foram usados no espetáculo Sobrevoltas (Do Circo Enxame de São Paulo) apresentado na última quinta-feira (8) em Londrina – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A variedade de abordagem dos diferentes grupos é outro dos destaques do evento. Espetáculos mais minimalistas dividiram programação ao lado de apresentações mais complexas e que envolviam robustas estruturas, como é o caso da apresentação ‘Brasil Luz Caminhão Trapézio’ do Picadeiro Aéreo (São Paulo). Em pleno estacionamento do Museu Histórico de Londrina, acrobatas eram suspensos em arriscadas performances que desafiaram a gravidade, e ainda, encantavam o público presente.

Mais de 250 artistas movimentam Londrina em 5 dias de evento
Foto: Circo Palombar (Via Facebook)

De acordo com Sérgio, a curadoria e seleção dos espetáculos se iniciam a partir de uma chamada pública, aberta sempre no meio do ano, onde artistas e grupos (Até mesmo de fora do Brasil) podem submeter materiais para o festival. “Circo é uma linguagem complexa, envolve segurança, risco… A gente busca sempre trazer grupos com reconhecimento, o público tem a possibilidade de ver muitos espetáculos gratuitos”, contou o diretor em entrevista ao Rubrosom. Segundo Sérgio, que também é diretor da Associação de Circo de Londrina, o evento enfrentou ainda dificuldades para localizar espaços, não apenas em Londrina, para viabilizar os espetáculos. “Ainda é muito pouco o que a cidade oferecem em temos de locais adequados para atender a demanda artística, aqui mesmo onde estamos (Lona da Higienópolis) ficamos por cerca de 10 anos ocupados… Fizemos atividades no MARL (Antiga Ules), vemos que essas ocupações são fundamentais para que, as pessoas possam refletir e assim estimular novas ideias sobre a arte e a cultura. Nosso festival tem essa ideia de rersignificar os espaços artísticos”, pontuou Sérgio.