Palhaços – Companhia de Londrina é premiada em festival do Piauí

Pelo segundo ano consecutivo, a companhia ‘Os Palhaços de Rua’, de Londrina, foi premiada no 6º Festival  Nacional de Teatro do Piauí. O espetáculo intitulado ‘Vikings e o Reino Saqueado’ levou os prêmios de melhor ator, para Adriano Gouvella e Lucas Turino (Adriano foi o ganhador desse mesmo prêmio na edição passada do festival).

A peça também foi premiada na categoria de melhor maquiagem, e ainda, teve indicações nas categorias de de melhor Dramaturgia, Direção e Figurino. “O processo de concepção do espetáculo veio da ideia de fazer algo diferente dentro do universo do palhaço, e como artistas sentimos a necessidade do nosso trabalho refletir, dialogar, provocar e indagar o nosso tempo, os dias em que estamos vivendo, ainda mais a figura do palhaço que é por si só provocadora, crítica, sarcástica, reflexiva e ao mesmo tempo…” contou o ator Adriano Gouvella, integrante da companhia.

Segundo os atores, a serie "Vikings" do History Channel, foi uma inspiração para a peça que mistura referências históricas com a ideia de ironia e crítica típica de espetáculos com palhaços - Foto: Daniele DiasSegundo os atores, a serie “Vikings” do History Channel, foi uma inspiração para a peça que mistura referências históricas com a ideia de ironia e crítica típica de espetáculos com palhaços – Foto: Daniele Dias

Foi a segunda participação do grupo londrinense, no evento que ocorreu na cidade de Floriano, e é um dos mais importantes da região. Ao todo, 31 grupos de teatro participaram do festival totalizando mais de 150 artistas de todas as regiões do país. Em um ano turbulento para coletivos e grupos de Londrina, Adriano contou à reportagem que tais prêmios reforçam a importância da pesquisa e trabalho feitos com o coletivo. E fique ligado, a peça estreia em Londrina, no dia 23/12 às 11h na Praça Floriano Peixoto, ao lado da Catedral, com entrada gratuita.

Veja entrevista a seguir:

Vocês estrearam um novo espetáculo ‘Vikings e o Reino Saqueado” e foram premiados, no 6° Festival Nacional de Teatro do Piauí… Quantas vezes já estiveram no festival?
Sim, estreamos o espetáculo lá, mas não éramos os únicos do Paraná, havia mais um grupo de Foz do Iguaçu. Essa foi nossa segunda participação no festival.

A peça em questão, cruza elementos da cultura nórdica viking e a arte do palhaço como proposta estética e base para discutir relações humanas… Como surgiu a ideia de misturar essas referências, aparentemente, tão distantes?? Tem algum autor ou coletivo que influenciou o trabalho de vocês nessas misturas?
A ideia de misturar essas referências surgiu quando começamos a nos questionar sobre a situação atual do país e como poderíamos trabalhar isso sendo palhaços, nessa mesma época estávamos assistindo ao seriado “Vikings” do History Channel, que gostamos muito e a partir daí começamos a relacionar um tema com o outro e ir mais a fundo na pesquisa. Esta mistura partiu de nós mesmos, não teve algum autor ou alguém que influenciou, mas a pesquisa se pauta no autor “James Graham-Campbell” e alguns dos seus livros sobre a cultura viking, além da atual situação do Brasil que acaba de passar por um golpe de estado.

Falando de Londrina especificamente, foi um ano um pouco complicado para produtores culturais em geral (houve o cancelamento do Promic e uma serie de outras questões)… A Cia Palhaços de Rua também se viu prejudicada em meio à tantas dificuldades?
Sim, foi um ano bem turbulento para a cultura no país todo e em Londrina não foi diferente; a Cia. foi prejudicada em seus projetos assim como vários produtores culturais da cidade. O PROMIC sempre foi um exemplo de incentivo a cultura, mas vem sendo ameaçado ultimamente e isso faz com que pensemos quais as pessoas que realmente estão ao lado do povo? Quais são os interesses destas pessoas? Quem de fato apoia a cultura? E quem quer desmonta-la?

Foi o segundo ano consecutivo premiado (e com nomeações no festival), do ponto de vista da pesquisa/estudo que vocês fazem, em tempos de recessão pra cultura, esses festivais ganham ainda mais importância talvez? (no sentido de promover a circulação dos espetáculos, etc…). Pode comentar sobre?
Sim, foi o segundo ano consecutivo no festival e com premiações e indicações importantes, isso para nós é uma felicidade muito grande e reforça ainda mais a qualidade dos trabalhos artísticos que são produzidos em Londrina. Em tempos sombrios em que a cultura vem sofrendo um desmonte em nível nacional, esses festivais são um respiro de sobrevivência e resistência! Com certeza ganham ainda mais importância nestes tempos de recessão; eles promovem o encontro entre artistas e, entre artistas e público, promove debates de ideias, trocas artísticas, políticas, culturais, sociais e novas perspectivas.

Como foi o processo de concepção da ideia toda? – Lembro que no fim de 2016 vocês já estavam desenvolvendo a montagem toda…
O processo de concepção veio da ideia de fazer algo diferente dentro do universo do palhaço, e como artistas sentimos a necessidade do nosso trabalho refletir, dialogar, provocar e indagar o nosso tempo, os dias em que estamos vivendo, ainda mais a figura do palhaço que é por si só provocadora, crítica, sarcástica, reflexiva e ao mesmo tempo poética. Sim, realmente no fim do ano passado já conversávamos sobre esse projeto e aí colocamos a mão na massa de fato em janeiro desse ano até o presente momento, foi um ano de trabalho até a estreia. Chamamos alguns profissionais para se juntar ao nosso time e assim veio a parceria por exemplo, com o figurinista Alex Lima, que fez um trabalho extraordinário em conjunto com nossa pesquisa, não só ele mas o marceneiro Caio Blanco e muitas outras pessoas talentosas que estão envolvidas em todo processo.

Pelo segundo ano consecutivo, a Cia. Os Palhaços foi premiada no Festival Nacional do Piauí - Foto: Divulgação
Pelo segundo ano consecutivo, a Cia. Os Palhaços foi premiada no Festival Nacional de Teatro do Piauí – Foto: Nayara Fabrícia

E os projetos para o próximo ano? Além dos ‘Vikings e o Reino Saqueado”, vocês seguem circulando com outros espetáculos ainda certo?
Além dos “Vikings e o Reino Saqueado” seguimos apresentando nosso primeiro espetáculo o “Números” e a contação de história “O Coronel e o Barbeiro”, também ministramos algumas oficinas como: circo, palhaço, acrobacias, parada de mão, malabares e capoeira. Recentemente chegamos de Campina Grande na Paraíba e de Bauru-SP onde fizemos seis apresentações do espetáculo “Números” que teve grande aceitação por parte do público e atendeu várias comunidades carentes e distritos destas duas cidades.

Só pra concluir, quanto tempo tem já a companhia?  Daria pra citar estados (ou até outros países) por onde já se apresentaram??
A Cia. Os Palhaços de Rua completou 4 anos de existência, já realizamos 95 apresentações do espetáculo “Números” e já apresentamos nos estados do: Acre, Rondônia, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Ceará, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Para ano que vem tem novidade internacional surgindo por aí…

Festival reúne mágicos neste fim de semana em Londrina

A Vila Usina Cultural receberá, nos dias 10 e 11 de novembro, o 16º Festival de Mágicas da Associação de Mágicos do Estado do Paraná – Magipar. As apresentações terão entrada gratuita e serão às 20 horas na sexta-feira e às 17 horas no sábado. Os ingressos deverão ser retirados na bilheteria no local imediatamente antes de cada sessão.

o espetáculo, artistas de Curitiba e convidados de outras regiões do Estado apresentarão Mágicas de Salão, Mágicas de Grande Ilusão, Mágicas de Close-up - Foto: Divulgação
No sábado, o evento inicia às 14 horas com uma conferência local reunindo mágicos e artistas da região – Foto: Divulgação

No espetáculo, artistas de Curitiba e convidados de outras regiões do Estado apresentarão Mágicas de Salão, Mágicas de Grande Ilusão, Mágicas de Close-up, Magia Cômica e uma performance musical com temática circense, abrangendo, assim um panorama da Mágica Brasileira.

No sábado (11), além das apresentações, haverá uma Conferência no local, voltada para mágicos, artistas e outros profissionais da área em Londrina e região. O evento será das 14 às 17 horas. Pessoas interessados em participar devem se inscrever pelo email festivalmagipar@gmail.com.

No espetáculo, artistas de Curitiba e convidados de outras regiões do Estado apresentarão Mágicas de Salão, Mágicas de Grande Ilusão, Mágicas de Close-up - Foto: Divulgação
No espetáculo, artistas de Curitiba e convidados de outras regiões do Estado apresentarão Mágicas de Salão, Mágicas de Grande Ilusão, Mágicas de Close-up – Foto: Divulgação

A Usina Cultural recebe apoio da Secretaria Municipal de Cultura, através do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). A vila fica na Avenida Duque de Caxias, 4.159/4.169, na Vila São Caetano.


SERVIÇO
16º Festival de Mágicas. Dias 10 e 11 de novembro.
Início:
20h, na sexta-feira e 17h, no sábado
Conferência.
Dia 11 de novembro. Início: 14h. Encerramento: 17h.
Participação mediante inscrição através do e-mail: festivalmagipar@gmail.com
Local:
Usina Cultural [Avenida Duque de Caxias, 4159/4169, Vila São Caetano] Entrada franca

Música – Palco Alma em Londrina reúne atrações em 2 palcos

A AlmA Londrina Rádio Web realiza neste sábado, dia 11 de novembro de 2017, mais uma edição do projeto Palco AlmA Londrina, festival com 4 atrações musicais em 2 palcos diferentes da cidade. O destaque desta edição é a música instrumental, com André Siqueira abrindo a programação no Teatro do SESI – AML, às 20h, com entrada gratuita. Compositor e multi-instrumentista, André Siqueira é professor de música da UEL, autor do livro “Giacinto Scelsi: improvisação, orientalismo e escritura” (2011).

Siqueira gravou recentemente o CD autoral "Catamarã" (2016). Com o show "Cordas Brasileiras", André percorreu diversas cidades de Minas Gerais em outubro - Foto: Emerson Dias
Siqueira gravou recentemente o CD autoral “Catamarã” (2016). Com o show “Cordas Brasileiras”, André percorreu diversas cidades de Minas Gerais em outubro – Foto: Emerson Dias

Já no Palco AlmA do Cativeiro Bar, a partir das 23h, as atrações seguem a linha do surf music, com as bandas Kingargoolas (que, no primeiro semestre, fez uma turnê pela Europa divulgando o vinil “Tales From the Instro Zone” pela Holanda, Bélgica, entre outros países), a londrinense Búfalos d’Água (que este ano completa duas décadas de estrada com 6 discos lançados, além de participações em coletâneas internacionais, como a “Mercosurf, La surf music Latino americana” e “InstroLatin – Exóticos Sonidos Latinos”) e ainda o trio Woodsurfers (grupo também londrinense, criado em 2013, que também apresenta músicas próprias alternadas por clássicos do surf music internacional. O encerramento será com o DJ DiQ.

Palco AlmA Londrina é uma realização da rádio Web em parceria com a AlmA – Associação Intercultural de Projetos Sociais. Em edições anteriores contou com o patrocínio do Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura. Este ano, o Palco será realizado graças ao Prêmio Pontos de Mídia Livre do Ministério da Cultura (MinC), concedido à AlmA Londrina Rádio Web (www.almalondrina.com.br) pelo desenvolvimento de comunicação alternativa e eventos públicos destinado à diversidade e aos estilos musicais com pouco espaço nas mídias tradicionais.

No começo do ano, o quarteto de surf music kingargoolas fez uma turnê em países da Holanda - Foto: Divulgação
No começo do ano, o quarteto de surf music kingargoolas fez uma turnê em países da Holanda – Foto: Divulgação

Desde 2014, já foram realizados 8 eventos do Palco AlmA. O último show (em 10 dezembro de 2016, aniversário de Londrina) marcou o início da parceria com o SESI-AML e ofereceu quatro bancas com apresentações gratuitas. O festival encerrou com a atração pernambucana que marcou o início do movimento mangue beat: o Mundo Livre S.A.


Serviço:

Show SESI-AML – 20h
André Siqueira (PR) – Espetáculo “Cordas Brasileiras”
Classificação:
livre
Teatro Sesi AML – em frente a Concha Acústica
Entrada gratuita

 Show Cativeiro Bar – 23h
Kingargoolas, Búfalos d’Água e Woodsurfers.
Classificação:
16 anos.
Encerramento com DJ DiQ
Avenida Castelo Branco, 1537 – Londrina
Entrada: R$ 20 ou R$ 10 + 1 kg alimento

Festival de Dança abre inscrições para oficinas e mostra

Do balé clássico à dança africana, dos passos contemporâneos às celebrações indianas. O Festival de Dança de Londrina divulgou a lista de oficinas que traz à cidade no mês de outubro, todas gratuitas ou a preços populares. São cinco cursos com profissionais do Brasil e do exterior em diversas vertentes da dança e voltados para os mais variados públicos – dos iniciantes aos artistas com experiência. As inscrições já podem ser feitas na secretaria da Funcart (Rua Souza Naves, 2380) ou acessando o site www.festivaldedancadelondrina.art.br, onde constam informações detalhadas sobre cada atividade e os procedimentos para obter as vagas.

A oficina “Bollywood Cosmic Dance”, com Thiago Amaral (Coletivo Cosmic Dance, de São Paulo-SP) é uma das atrações do festival - Foto: Ligia Jardim
A oficina “Bollywood Cosmic Dance”, com Thiago Amaral (Coletivo Cosmic Dance, de São Paulo-SP) é uma das atrações do festival – Foto: Ligia Jardim

Na página oficinal do evento, também estão disponíveis informações para os artistas amadores ou profissionais de Londrina e região que queiram apresentar pequenos trabalhos cênicos (de até dez minutos) na mostra local, que será realizada dia 9 de outubro no Teatro Ouro Verde. Podem participar do “Dança Londrina” grupos amadores, academias, escolas, projetos socioeducativos, dentre outros. O Festival acontece de 7 a 15 de outubro e conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal e da Secretaria Municipal de Cultura de Londrina, por meio do PROMIC – Programa Municipal de Incentivo à Cultura.

Programação didática – Este ano, estão programadas as seguintes oficinas: “Balé Clássico”, com Gilmar Sampaio (BTCA – Balé Teatro Castro Alves, de Salvador-BA); “Contemporâneo – A Tua Ação na Dança”, com Tutto Gomes (BTCA – Balé Teatro Castro Alves, de Salvador-BA); “Bollywood Cosmic Dance”, com Thiago Amaral (Coletivo Cosmic Dance, de São Paulo-SP); “O Círculo da Dança”, com Faustin Linyekula (Studios Kabako, da República Democrática do Congo), e “Dança Africana”, com Fanta Konatê (Instituto África Viva, da Guiné Conacri/Brasil).

Um dos workshops que deve mobilizar maior número de participantes é o “Bollywood Cosmic Dance”, que será gratuito e terá como objetivo preparar um grande flash mob, com interação do público, para dar boas-vindas à 15ª edição do Festival de Dança. Conduzido pelo ator e dançarino paulista Thiago Amaral, o curso apresenta a “Bollywood”, dança indiana moderna que é verdadeira febre no cinema e na televisão em Mumbai, antiga Bombaim. Ele também percorre outras danças étnicas do mundo e incentiva os alunos a criarem um ritual próprio, com grande liberdade, para ser apresentado durante a performance. A oficina, com 4 horas de duração, será repetida em três ocasiões, em diferentes regiões da cidade, para abarcar o maior número de pessoas.

Outra das oficinas é “Dança Africana”, com Fanta Konatê (Instituto África Viva, da Guiné Conacri/Brasil). - Foto: Victor Barão
Outra das oficinas é “Dança Africana”, com Fanta Konatê (Instituto África Viva, da Guiné Conacri/Brasil). – Foto: Victor Barão

Além da indiana, outra tradição que estará presente com particular destaque na programação do Festival 2017 será a africana. Dois bailarinos naturais do Continente trazem a Londrina oficinas que apresentam a importância e a força da arte do movimento para esta cultura. Com um trabalho de relevância estética e social na República Democrática do Congo, Faustin Linyekula ministra um workshop gratuito sobre o “círculo” – tanto aquele no qual se dança em conjunto, quanto o que se origina como energia que envolve artista e público no ato da performance. A oficina é um oferecimento do Institut Français. Já a bailarina e cantora Fanta Konatê, de uma tradicional família de artistas da Guiné Conacri, leva os participantes a um mergulho nos ritmos da África Oeste, mais especificamente da sociedade Mandinga, cujas danças ligam-se a todas as atividades cotidianas, como o trabalho, o casamento, etc.

Completando a grade, o Festival oferece os aguardados cursos de Balé Clássico e Dança Contemporâneo, mais procurados por estudantes ou por pessoas com experiência na área. Ambos serão conduzidos por bailarinos do Balé Teatro Castro Alves (BTCA), de Salvador (BA). No primeiro, Gilmar Sampaio propõe sequências na barra e no centro para aprimorar a capacidade técnica de bailarinos, com foco em aspectos como postura, flexibilidade e fortalecimento. Já Tutto Gomes, na oficina denominada “Contemporâneo – A Tua Ação na Dança”, trabalha elementos do movimento e jogos teatrais com pessoas oriundas de diversas artes para desenvolver a criação e a presença cênica a partir do repertório pessoal dos participantes.

O Festival de Dança de Londrina tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e da Prefeitura Municipal de Londrina, por meio do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura). O evento é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná), com apoio institucional da Funcart.


Serviço:
Oficinas e Mostra Local – 15º Festival de Dança de Londrina
Inscrições abertas
Programação detalhada e fichas de inscrição no site:

www.festivaldedancadelondrina.art.br ou na secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380)
Informações: (43) 3342-2362

Triolé – Festival do Minuto e Contação de Histórias marcam programação da semana

Em Londrina, a vila Cultural Triolé (Região Oeste) terá programação especial nesta semana, como parte do Festival do Minuto. Além do festival, que trará a Londrina a mostra de filmes exibidos em 250 pontos espalhados por todo o Brasil, o espaço também terá atividades envolvendo contação de histórias até o próximo domingo (27) – Veja programação.

Festival do Minuto – Mais de 250 pontos de cultura do país exibem mostras do Festival – Centenas de pontos de cultura, incluindo cineclubes, escolas, museus e bibliotecas, exibem os conteúdos selecionados pela curadoria do festival, promovendo a difusão gratuita da produção audiovisual independente. Para 2017, foram preparadas três mostras especiais, que trazem um pouco dos principais temas que o Festival impulsionou no ano passado, como o Mapas Sonoros da Cidade e o Fazer Cinema:

Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min): seleção de vídeos que abrange diversos assuntos e técnicas. Vídeos filmados com celular, animações, vídeo arte, entre outros; Mostra Universitária (livre, 24 min): vídeos produzidos por estudantes e professores;

Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min): animações lúdicas voltadas para o público mais novo do festival. Colagem, 3D e stop motion estão entre as técnicas utilizadas. Entrada gratuita.

Próximos filmes
26 de maio – 20h

– Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min)
– Mostra Universitária (livre, 24 min)
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)

27 de maio (sábado) – 16h
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)

27 de maio (sábado) – 19h
– Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min)
– Mostra Universitária (livre, 24 min)
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)


Visitando Manoel de Barros – Espetáculo – Nesta semana também, a companhia Kiwi de Jaqueta apresenta o espetáculo Visitando Manoel de Barros. A peça consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz, com inserções de fragmentos de cinco histórias de Manoel de Barros.

O espetáculo “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a Nuvem Feliz” consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz - Foto: Divulgação
O espetáculo “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a Nuvem Feliz” consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz – Foto: Divulgação

A apresentação da companhia está marcada para o dia 27 ás 17h. “Desde pequena, toda nuvem sabe que algum dia ela vai ter que chorar… Mas no meio delas aparece uma nuvem feliz, que não parece nem um pouco a fim de chorar. Essa nuvem então passeia e observa traquinagens pela terra e, cada vez mais feliz, ela vai crescendo… e crescendo… e crescendo…”

Informações – Facebook.com/triolecultural

Londrina – Quinta edição do festival alternativo acontece hoje

Começa hoje em Londrina, a quinta edição do Festival Alternativo de Londrina. O evento chega a mais uma edição com recorde de bandas e grande expectativa de público, apesar do tempo fechado. O evento acontece no Parque de Exposições Ney Braga, e reúne mais de 30 atrações, incluindo shows nacionais e internacionais.

o sexteto londrinense Montauk é uma das bandas que toca no Festival Alternativo - Foto: Divulgação
o sexteto londrinense Montauk é uma das bandas que toca no Festival Alternativo – Foto: Divulgação

Além das atrações musicais, o Festival também conta com a participação e apresentação de mais de 20 skatistas, bungee jump e área com fliperamas liberados; além de praça de alimentação com mais de dez food trucks e também área para descanso. A expectativa é que mais de 12 mil pessoas transitem por esses ambientes.

Realizado desde 2013 pela LWD Entretenimento, empresa londrinense responsável por um dos principais eventos de música e entretenimento na cidade, o Festival busca satisfazer uma vasta diversidade de público, e também de estilos musicais. Artistas como Criolo, BNegão, Marcelo D2 e Gabriel O Pensador já passaram pelo palco do evento em edições anteriores, e este ano o Festival não poderia surpreender mais: nomes atuais do rap nacional como Emicida e Karol Conká foram as primeiras atrações confirmadas de 2017.

Vale ressaltar que a rapper curitibana Conká foi vencedora da categoria Artista Revelação no Prêmio Multishow 2013, e desde então vem alavancando a cena do rap feminino e porque não dizer feminista?! Também as bandas consagradas como Matanza, CPM 22 e Cidade Negra tocam nesta edição; e no mesmo palco, os meninos da Braza, ex-integrantes da Forfun, a banda local Montauk, que recentemente lançou clipe + disco novo na cidade, e os nortistas da Far From Alaska.

Do Rio Grande do Norte, a banda Far From Alaska fará sua segunda apresentação em Londrina durante o festival - Foto: Divulgação
Do Rio Grande do Norte, a banda Far From Alaska fará sua segunda apresentação em Londrina durante o festival – Foto: Divulgação

O público em geral deve garantir a sua entrada para os shows mais populares – como os citados acima; no entanto, os fãs de produções eletrônicas não podem perder a participação do DJ alemão Boris Brejcha, cuja o estilo tecnológico e minimalista já conquistou milhares pelo mundo, e também os israelenses da Loud, dupla que promove o gênero do eletrônico psicodélico. Na cena brazuca, André Gazolla, que mistura jazz e house music, e ano passado gravou “London” – uma homenagem a nossa cidade que, segundo o jovem artista, trouxe coisas boas para a sua carreira.

Lembrando que o Festival Alternativo promove a circulação e giro do público local e também das proximidades, alcançando espectadores de regiões diversas até a capital, Curitiba, e também já realizou o evento em Maringá. Segundo a organização, cerca de 30% do público vem de outras cidades. O evento, que busca uma política de internacionalização e divulgação de Londrina, anualmente também arrecada alimentos e doações destinados a instituições carentes.


Para mais informações, acesse:
SITE OFICIAL: http://festivalalternativo.com.br/Inicio
Fanpage: https://www.facebook.com/FestivalAlternativo/

Ponto de vendas em Londrina:
Crença13 Tattoo Studio (Rua Humaitá, 685)
Extra açaí (Rua Pará 690)
King Eletrônicos – Camelódromo (R. Sergipe, 309)
Jonny Size (Boulevard Shopping)
Natural One (Catuai Shopping)
Pipe Store (Aurora Shopping)
Worship Skate Shop (Londrina Norte Shopping)
Worship Skate Shop (Rua Pernambuco, 651)

• Meia entrada: estudantes, idosos, portadores de necessidades especiais e doadores de sangue
• Social: necessário a validação no evento com 1kg de alimento ou taxa de 10 reais

Festivais – FILO abre inscrições para a edição 2017

A edição 2017 do Festival Internacional de Londrina (FILO) está programada para o período de 11 a 27 de agosto. As inscrições para os interessados em participar da seleção de espetáculos estão abertas e podem ser feitas até 10 de abril. As propostas devem ser encaminhadas pelo site www.filo.art.br, após cadastramento e preenchimento do formulário on-line. As informações estão detalhadas no regulamento, também disponibilizado na página do Festival.

A abertura do festiva em 2016 contou com a peça 'Processo de conscerto do desejo' com o ator Matheus Nachtergaele - Foto: Celso Pacheco.
A abertura do festiva em 2016 contou com a peça ‘Processo de conscerto do desejo’ com o ator Matheus Nachtergaele – Foto: Celso Pacheco.

O FILO está recebendo propostas de espetáculos nacionais e internacionais de teatro, dança e circo. Esta etapa não inclui inscrições para shows e atividades formativas. O Festival de Londrina – que em 2017 completa 49 anos de história – é uma realização da Associação dos Amigos da Educação e Cultura Norte do Paraná e Universidade Estadual de Londrina.

Programa sobre Festival de Londrina exibido em rede nacional neste domingo

Neste domingo (5), a partir das 20h, o programa Udigrudi, da PlayTV, leva ao ar os melhores momentos da 16ª edição do Festival Demo Sul. Em 2016, sua edição mais recente, o Festival trouxe 30 bandas e 18 produtores do Brasil e da América Latina para a cidade e, um dos convidados, o jornalista Rodrigo Lariú, foi o responsável pela cobertura dos shows e entrevistas que vão ao ar m rede nacional neste domingo.

Bandas de várias regiões do país como o duo 'Phantom Powers' (De Porto Alegre) se apresentaram no último Demo Sul - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Bandas de várias regiões do país como o duo ‘Phantom Powers’ (De Porto Alegre) se apresentaram no último Demo Sul – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

No ar desde 2010, o Udigrudi é um dos principais veículos dedicados à música independente no Brasil e, em especial, à cobertura de Festivais. “O Demo Sul resgatou em 2016 um hábito muito importante para nós, o diálogo direto com a imprensa musical. Nós entendemos que receber os jornalistas na cidade colabora, não só com o Festival, mas com toda a cena local. São várias bandas de Londrina em rede nacional, além o próprio Demo Sul, é uma alegria para nós”, comenta Marcelo Domingues, diretor do Festival.

Além de Rodrigo Lariú, em 2016 o Festival ainda recebeu o jornalista Leonardo Vinhas, da revista eletrônica Scream and Yell. O programa Udi Grudi – Especial Demo Sul, vai ao ar neste domingo, 5, a partir das 20h, na Play TV. No mesmo horário, o Máximo Villa Bar e Restaurante exibe o programa para o público do bar, com entrada gratuita. O Máximo Villa fica na rua Paranaguá, 933, no Centro.  Para conferir os canais que exibem a programação da PlayTV acesse http://playtv.com.br/onde-exibimos/

Veja também! Nossa matéria especial com um ‘Balanço’ da edição 2016 do Festival Demosul!


SERVIÇO
Udigrudi – Especial Demo Sul no Máximo Villa
Quando:
Domingo (5 de Março)
Onde: Máximo Vila (Rua Paranaguá 933)
Entrada gratuita

Folia de Reis – Cias de Londrina são selecionadas para Festival em Paranavaí

Duas companhias de ‘Folia de Reis’ foram selecionadas para participar da 35ª Edição do Festival de Folia de Reis, realizada pelo Sesc Paraná/Unidade Paranavaí. O evento conta com oito companhias classificadas. As duas da cidade são Mensageiros da Paz e Santa Luzia. Os selecionados vão se apresentar neste domingo(19), no Centro Esportivo Sesc Paranavaí.

Cias de Londrina são selecionadas para Festival em Paranavaí
Materiais impressos, imagens e também fotografias do acervo do grupo ‘Mensageiros da Paz’ foram expostas em dezembro na biblioteca municipal de Londrina – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A seleção foi feita através de edital e as selecionadas receberão ajuda de custo para a viagem. Além desta apresentação serão convidadas para atividades formativas realizadas junto a escolas públicas da região, no período entre agosto e dezembro deste ano. A divulgação do edital contou com o apoio da Diretoria de Patrimônio Histórico e Artístico-Cultural da Secretaria Municipal de Cultura, que fez reunião com os grupos para a informação das regras para a participação. Sobre o trabalho do grupo, um dos integrantes conta sobre a experiência”Desde 1989 fazemos o trabalho com o grupo ‘mensageiros’ aqui na região. É muito gratificante a receptividade das pessoas. Quando ‘encontramos’ o pessoal em casa, na época da Folia de Reis, a sente que o carinho é muito grande. Desde criança pequena fazemos isso, meu pai era Folião, e continuamos seguindo com a tradição…”, contou à reportagem Francisco Garbosi, que atualmente tem 77 anos., e é o embaixador do grupo Mensageiros da Paz de Londrina.

O grupo 'Mensageiros da paz' de Londrina que já tem mais de 25 anos de atividades na região - Foto: Divulgação
O grupo ‘Mensageiros da paz’ de Londrina que já tem mais de 25 anos de atividades na região – Foto: Divulgação

De acordo com a diretora de Patrimônio Histórico e Artístico-Cultural da Secretaria, Vanda de Moraes, a iniciativa promovida pelo Sesc colabora para manter viva a tradição da Folia de Reis. “É um trabalho que reúne grupos de diversos municípios e promove a valorização da cultura regional do Estado, além de valorizar esta manifestação cultural, festiva e religiosa do País”, destacou.

Karol Conka e CPM 22 tocam em Londrina em Maio

A rapper curitibana Karol Conka, e a banda paulista de hardcore melódico CPM 22 realizam show na cidade de Londrina no mês de maio durante um evento ocorrido na cidade no Parque Ney Braga. Mais atrações devem ser anunciadas.

Na ativa desde 1995, o CPM 22 segue em divulgação do DVD ao vivo gravado no Rock In Rio - Foto: Divulgação
Na ativa desde 1995, o CPM 22 segue em divulgação do DVD ao vivo gravado no Rock In Rio – Foto: Divulgação

A informação foi apurada pela reporagem do Rubrosom que confirmou a data junto à assessoria de imprensa da rapper. O evento é promovido pela LWD eventos. Os shows acontecem no dia 20 de maio, ingressos já estão a venda pelo site: http://loja.lwd.art.br (Ainda no 1º Lote)

A rapper curitibana Karol Conka, vencedora da categoria Artista Revelação no Prêmio Multishow 2013 está em turnê, atualmente, divulgando o repertório do seu primeiro álbum, “Batuk Freak”. Já o CPM 22 segue com as comemorações dos 20 anos da banda, seguindo com a divulgação do DVD ‘Ao Vivo no Rock in Rio’ lançado em 2016. Canções e sucessos de diversas fases da banda devem marcar presença no show em Londrina.


SERVIÇO
Festival Alternativo
Com Cpm 22, Karol Conka (Mais atrações em breve)
Quando:
20 de Maio
Onde:
Parque Ney Braga – Londrina
Entrada: A partir de R$ 70 em http://loja.lwd.art.br