Promic – Cultura divulga projetos estratégicos habilitados para 2017

Proponentes culturais, da categoria estratégicos, que tiveram que tiveram seus respectivos projetos inabilitados – após se inscreverem no edital do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC) –  em Londrina, tem o prazo de cinco dias úteis para entrar com recurso, de modo a, corrigir incongruências e documentação entregue à Secretaria de Cultura.  A listagem com os projetos inabilitados foi publicada na última segunda-feira (7) no Diário Oficial do Município, na edição 3119 a partir da página 7  (Leia aqui)

Projetos inscritos na categoria englobam eventos como o Festival de Dança - Foto: Fabio Alcover/Festival de Dança
Projetos inscritos na categoria englobam eventos como o Festival de Dança – Foto: Fabio Alcover/Festival de Dança

Os proponentes de projetos inabilitados têm o prazo de cinco dias úteis para entrar com recurso. Os interessados devem apresentar recurso formalmente, podendo solicitar vista da análise do projeto, na sede da Secretaria de Cultura – Praça 1º de Maio, em frente à Concha Acústica de Londrina. Ao todo o edital apresenta 42 projetos inscritos na categoria. Foram contemplados projetos nas áreas de literatura, oficinas culturais, teatro, circo, história e memória, música, dança, festivais, entre outros.

Os proponentes poderão, no prazo de 05 (cinco) dias úteis, contados a partir da data da publicação deste edital de Habilitados/Inabilitados/Pontuação comparecer à Secretaria Municipal de Cultura, para vistas de seus projetos e apresentação de recurso dirigido à Comissão de Análise de Projetos Culturais (CAPPE).

Demo Sul – Festival tem início positivo com os primeiros 12 shows

Foi positivo o saldo dos primeiros 12 shows ocorridos no final de semana de estreia do Demo Sul 2016 em Londrina. Performances competentes, boas surpresas e até shows emocionantes (Históricos?) estão entre alguns dos pontos altos da primeira safra de apresentações.

Demo Sul - Festival tem início positivo com os primeiros 12 shows
Patife Band fez uma das apresentações mais memoráveis desta edição do festival – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Desde o início dos trabalhos na última sexta (4) com De um Filho, De um Cego, na Concha Acústica, passando pelo Blues responsa da Luke de Held & The Lucky Band o swing da Central Sistema de Som e uma apresentação inspirada da Patife Band, acompanhada com entusiasmo pela platéia, o início do festival deste ano não poderia ter sido melhor.

Demo Sul - Festival tem início positivo com os primeiros 12 shows
Com oito integrantes no palco (E instrumentos como flauta transversal) a curitibana Central Sistema de Som fez uma apresentação repleta de swing – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

É possível arriscar aliás que duas das melhores apresentções do festival já aconteceram logo na estreia: De um Filho, De um Cego – Que debaixo de um sol escaldante levou sua psicodelia e lirismo para os palcos da Concha Acústica – assim como Patife Band, que em um show inspirado, cheio de improvisos e virtuose, com direito até à cantos ‘scat’ do vocalista percusionista Paulo Barnabe (O Paulo Patife), este último o show que mais fez pessoas se agruparem na frente do palco para prestigiar o coletivo que, desde 2006, não tocava em Londrina.

Homenageando o Blues e os ritmos do Mississipi, Luke de Held and the Lucky Band fez uma apresentação ainda durante o dia, fechando com uma versão para 'Make it with chu' do Queens of the Stone Age - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Homenageando o Blues e os ritmos do Mississipi, Luke de Held and the Lucky Band fez uma apresentação ainda durante o dia, fechando com uma versão para ‘Make it with chu’ do Queens of the Stone Age – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Sábado (5/11) – No Dia seguinte, em um ambiente mais confortável, o Iate Clube – Mas que, em alguns momentos, teve a qualidade de som prejudicada pela quantidade de reverberação (Sobretudo em shows mais pesados como o do Motorocker) – recebeu nomes mais novos, como o Loladéli que fez uma apresentação bastante intensa (Mesmo tendo tocado apenas meia hora), junto à veteramos-mor como o aguardado Di Melo (Nome mais antigo do festival), que tocou acompanhado da banda londrinense Sarará Criolo. Hits de seu disco clássico (1975) como (Kilariô e A vida Em Seus Métodos Diz Calma) assim como faixas de seu 2º disco, ‘O Imorrível’ lançado 41 anos depois… animaram a plateia. “Tenho ainda umas 400 músicas inéditas feitas… Mas nunca se sabe né? Não é porque sou ‘imorrível’ que terei tempo de gravar tudo isso(risos)”, brincou o cantor, durante entrevista, quando falou sobre os próximos projetos.

Di Melo durante histórica apresentação no Iate Clube no último sábado (5) - Foto: Bruno Leonel
Di Melo durante histórica apresentação no Iate Clube no último sábado (5) – Foto: Bruno Leonel

O cantor e a banda estavam em uma sintonia impressionante. O show ocorreu em dois momentos, de início, o pessoal do Sarará Criolo fez um show focado em músicas próprias, e até, resgatando alguns clássicos da black music. Após cerca de 40 minutos, o ‘imorrível’ subiu ao palco e mandou canções clássicas e também mais novas de sua carreira, amparado por um charmoso leque, Di Melo estava no clima de MC e, entre as faixas, falou bastante com o público, mandando até alguns breves discursos, que eram recebidos com salvas de palmas pelo público.

Sarará Criolo fez apresentação bastante competente focando canções do repertório, como também, interpretando canções do 'imorrível' - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Sarará Criolo fez apresentação bastante competente focando canções do repertório, como também, interpretando canções do ‘imorrível’ – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Antes disso ainda, uma apresentação cheia de ginga e ritmo foi feita pela banda ‘A república Imperial’ de Belém (PA), No Iate Clube, o carisma dos oito integrantes cativou o público, aliado à performances das canções de seu primeiro EP, Canções Ór, lançado em 2015 – Veja mais AQUI

Ritmos latino-americanos misturados à referências regionais formam o som da 'República Imperial' que tocou no sábado no Iate Clube em Londrina - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Ritmos latino-americanos misturados à referências regionais formam o som da ‘República Imperial’ que tocou no sábado no Iate Clube em Londrina – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Mais cedo, teve ainda a apresentação do duo Phantom Powers que fez uma apresentação invocada e cheia de energia tocando músicas de seu primeiro EP, lançado em 2015. A voz rasgada de Tio Vico, aliada à habilidade do músico em cantar, dominar as 6 cordas e a percussão chamaram a atenção do público. Com um som influenciado por folk e também rockabilly – com ecos até de nomes mais sombrios como Cramps – São algumas das referências que vem a cabeça com o som do duo. Atualmente, a banda segue em turnê de divulgação, tendo pelo menos mais 10 datas até o fim do ano.

Duo Phantom Powers (De Porto Alegre) durante show no Demo Sul - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Duo Phantom Powers (De Porto Alegre) durante show no Demo Sul – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Talvez a apresentação mais nervosa da noite, os Curitibanos do Motorocker levaram seu Hard Rock estradeiro para o festival, colocando o ‘time em campo’ com direito até a torcida organizada no local – Vários fãs compareceram ao festival usando camisetas listradas em azul e branca (Como as do Londrina Esporte Clube) com o nome da banda. “Foi realmente incrível, somos amigos do pessoal da Falange Azul há uns dez anos já e nos emocionamos muito com esse gesto de todo mundo vestir a camiseta! Sempre bom tocar para amigos assim”, contou o vocalista Marcelus Dos Santos.

O vocalista Marcelus agitou com a plateia e até subiu em caixas de som na frente do palco para cumprimentar o público - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O vocalista Marcelus agitou com a plateia e até subiu em caixas de som na frente do palco para cumprimentar o público – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Domingo – No domingo o show aconteceu no Barbearia (Na Quintino Bocaiúva) e focou em bandas de peso – Não apenas de som, mas também de habilidade e virtuosismo. Como é o caso das londrinenses Hellpath, já com dez anos de estrada, e que se preparam para o próximo disco “Though the Paths of Hell”. Também de Londrina o trio de progressivo Imagery levou seus andamentos truncados e riffs técnicos para os palcos do Barbearia. Recentemente a banda lançou um single intitulçado  “End of The Line“.

Quinteto londrinense Hellpath se prepara para lançar novo disco em breve - Foto: Gabriela Campaner (Shameless)
Quinteto londrinense Hellpath se prepara para lançar novo disco em breve – Foto: Gabriela Campaner (Shameless)

Em uma proporção interessante de doze shows, em apenas 3 dias de evento -Sendo uma média de quatro shows por dia – a primeira parte do Demo Sul 2016 chamou atenção tanto pela variedade de gêneros, como também pela qualidade das atrações. Questões técnicas como o som no Iate Clube, em alguns momentos, prejudicaram mas não chegaram a comprometer o evento como um todo. Algumas pessoas acharam o preço dos ingressos – R$ 40 a inteira, para os shows do Iate Clube – um tanto quanto altos, depende da situação de mais alguns, mas, considerando a quantidade de artistas autorais (E de fora) presentes, proporcionalmente é um valor justo considerando que, em Londrina, alguns eventos e casas cobram até mais da metade disso, as vezes, sem nenhuma banda tocando. Em meio a uma semana que ainda promete atividades formativas e também simpósios, a edição 2016, sobretudo pela quantidade de atividades, segue como uma das melhores, talvez, dos últimos dez anos. E muita coisa boa ainda deve acontecer. Os shows continuam  10/11 no Bar Valentino. Estaremos lá. Al


SERVIÇO
Festival Demo Sul
De 4 a 12 de Novembro – Informações AQUI

Festival de Dança 2016 encerra com montagem de artista francês

Um bailarino entra em cena com uma mochila nas costas, como quem está degredado. Uma fuga aparentemente física. Mas, sobretudo, existencial. A melancolia e o exílio são temas que perpassam “Sakinan Göze Çöp Batar”, espetáculo concebido pelo multiartista francês Christian Rizzo, que encerra nesta segunda-feira (31) a extensão do 14º Festival de Dança de Londrina. A apresentação está marcada para 20h30, no Teatro Mãe de Deus. O Festival conta com patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

Os ingressos custam R$ 10,00 e R$ 5,00 (meia) e estão à disposição na Secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), loja Shop Ballet (Rua Pio XII, 64) e loja Kinise Dancewear (Boulevard Londrina Shopping). Uma hora antes da apresentação, a bilheteria será aberta no Teatro Mãe de Deus.

Ao longo do espetáculo, o bailarino e performer Kerem Gelebek desdobra uma enorme caixa em mil possibilidades imaginárias para habitar uma terra estrangeira. Fragmentos coreográficos dialogam com uma iluminação exata e com objetos cênicos inusitados, que se transformam tal qual um poema concreto. Estas são características da obra do diretor Christian Rizzo, que transita da moda à dança, passando pelas artes plásticas e pelo rock.

A apresentação é resultado da parceria do Festival de Dança de Londrina com o projeto FranceDanse, iniciativa do Institut Français e da Embaixada da França no Brasil - Foto: Marc Domage
A apresentação é resultado da parceria do Festival de Dança de Londrina com o projeto FranceDanse, iniciativa do Institut Français e da Embaixada da França no Brasil – Foto: Marc Domage

A apresentação é resultado da parceria do Festival de Dança de Londrina com o projeto FranceDanse, iniciativa do Institut Français e da Embaixada da França no Brasil. Criado em 2007, o projeto tem o intuito de levar a todos os continentes uma visão condensada do que de melhor tem sido criado na dança francesa, tanto por grupos veteranos quanto por companhias novas e emergentes. É a primeira vez que o FranceDanse chega ao Brasil.

Multiartista – Nascido em Cannes, Christian Rizzo iniciou sua trajetória artística em Toulouse, onde montou um grupo de rock e criou uma marca de roupas. Formou-se em artes plásticas e passou a dedicar-se à dança, atuando nos anos 1990 com coreógrafos contemporâneos, eventualmente criando trilhas sonoras e figurinos. Entre eles, Mathilde Monnier, Hervé Robbe, Mark Tompkins e Georges Appaix.

Fundou a Association Fragile e realizou mais de 30 produções, além de projetos nas áreas de moda e artes plásticas e atividades pedagógicas em instituições da França e outros países. Em 2015, Rizzo assumiu a direção do Centre Chorégraphique National de Montpellier Languedoc-Roussillon-Midi-Pyrénées – atualmente Institut Chorégraphique International (ICI). O centro coreográfico propõe uma visão transversal da criação, formação e da educação artística.

(Com informações da assessoria de Imprensa)


Serviço:

Sakinan Göze Çöp Batar – Christian Rizzo (França)
Dia:
31 de outubro (segunda-feira)
Horário: 20h30
Local: Teatro Mãe de Deus (Av. Rio de Janeiro, 700)
Duração: 55 minutos
Classificação indicativa: 12 anos

Ingressos: R$ 10,00 | R$ 5,00 (meia-entrada). Pontos de venda: Secretaria da Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380), loja Shop Ballet (Rua Pio XII, 64 – loja 3) e loja Kinise Dancewear (Boulevard Londrina Shopping – Loja 256 / 2º Piso). Uma hora antes da apresentação, a bilheteria será aberta no Teatro Mãe de Deus.

Música brasileira e o samba no 3º Palco AlmA

O projeto Palco AlmA Londrina chega ao terceiro evento do ano com destaque para o samba de raiz e suas vertentes na música brasileira da atualidade. A festa será no dia 30 de outubro, domingo, na Vila Cultural AlmA Brasil, com a participação do sambista Seo Nelson, do grupo Abacate Contemporâneo e do compositor Bruno Morais, londrinense radicado em São Paulo. A série de shows é organizada pela AlmA Londrina Rádio Web e conta com o patrocínio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). Com início às 16h, o evento na Vila Brasil abre com discotecagem do DJ DiQ, residente dentro do projeto e na sequencia um reverência ao bamba mais experiente de Londrina, Seo Nelson, que se apresenta acompanhado do filho Nenê (tantã), mais Julinho (surdo) e Gabriel Bolda (pandeiro).

 Presente no circuito londrinense desde o final de 2014, a banda ficou rapidamente conhecida pelo tom crítico das letras e a criatividade nos arranjos, além da atuação performática da cantora Raquel, que é também atriz - Foto: Divulgação.
Presente no circuito londrinense desde o final de 2014, a banda ficou rapidamente conhecida pelo tom crítico das letras e a criatividade nos arranjos, além da atuação performática da cantora Raquel, que é também atriz – Foto: Divulgação.

O grupo empolga os adeptos do samba de raiz, com um repertório que privilegia os clássicos do gênero. Na sequência, o samba ganha a companhia de tropicálias e da música autoral da banda local Abacate Contemporâneo, liderada pelos irmãos Raquel e Rafael Palma. Prestes a lançar uma campanha de financiamento coletivo para gravar o primeiro trabalho em estúdio, o grupo já tem disponível na rede uma boa variedade de registros audiovisuais.

O fechamento fica a cargo do cantor, compositor e produtor musical Bruno Morais, londrinense radicado em São Paulo que conquistou projeção no cenário da música popular brasileira após ser selecionado para representar o Brasil no laboratório de música e tecnologia Red Bull Music Academy, em Seatle (EUA). Também tem trabalhado constantemente com nomes de projeção na cena contemporânea nacional, como Rômulo Fróes, Kiko Dinucci e Marcelo Jeneci.

O músico londrinense, Bruno Morais,também tem trabalhado constantemente com nomes de projeção na cena contemporânea nacional, como Rômulo Fróes, Kiko Dinucci e Marcelo Jeneci - Foto: Ivana Debértolis.
O músico londrinense, Bruno Morais,também tem trabalhado constantemente com nomes de projeção na cena contemporânea nacional, como Rômulo Fróes, Kiko Dinucci e Marcelo Jeneci – Foto: Ivana Debértolis.

O show no Palco AlmA leva o nome do EP mais recente de Bruno Morais, Contra a vontade do chão, que traz sua versão para a canção O pé, de Karina Buhr, e também a faixa Insomnio y Palabrería, composta por ele junto com Demétrius Carvalho e Canek Guevara, neto de Che. O repertório traz ainda diversas canções registradas no segundo álbum dele, A vontade superstar, lançado nos mercados brasileiro, norte-americano e europeu. “É um disco sobre o poder avassalador do desejo, sobre estar vivo, sobre a memória e, sobretudo, sobre o poder da música. Nosso desejo era fazer um disco atemporal”, define Bruno.

Com anos dedicados ao samba e à música brasileira Seo Nelson se apresenta no Palco Alma acompanhado do filho Nenê (tantã), mais Julinho (surdo) e Gabriel Bolda (pandeiro) - Foto: Divulgação
Com anos dedicados ao samba e à música brasileira Seo Nelson se apresenta no Palco Alma acompanhado do filho Nenê (tantã), mais Julinho (surdo) e Gabriel Bolda (pandeiro) – Foto: Divulgação

Resultado de três anos de gravações, o CD pode ser definido como um registro autoral de sonoridade plural, já que contou com a colaboração de aproximadamente 40 músicos diferentes: “Tivemos muitos colaboradores sensacionais e generosos, muito cuidado, paciência, experimentação e capricho”, lembra o músico. O esforço foi recompensado pelo reconhecimento da crítica e, posteriormente, pela inserção da faixa Há de ventar na trilha sonora da novela global Verdades Secretas. A canção, é claro, também tem lugar garantido no set preparado para o show em Londrina.

SOBRE O PALCO ALMA – O projeto está na segunda edição (ocorreu também em 2014), e tem como proposta garantir o intercâmbio de experiências locais com artistas de fora, além de promover a ocupação de diferentes ambientes da cultura londrinense. Este ano, já realizou eventos que deram destaque à música de matriz africana e também ao punk rock. A quarta e última rodada de 2016 está prevista para dezembro, e será dedicada ao indie rock.
ALMA LONDRINA RÁDIO WEB – A emissora está no ar desde 2012, e conta com um núcleo de jornalismo cultural e mais de 80 colaboradores voluntários para compor uma programação diversificada e independente. Originada das atividades com rádio-poste desenvolvidas pelo Núcleo de Comunicação Popular e Comunitária da Vila Cultural AlmA Brasil, a iniciativa foi selecionada pelo Prêmio Ponto de Mídia Livre do Ministério da Cultura, em 2015. Este ano, promoveu oficinas com alunos do Ensino Fundamental da rede pública e também organiza o Palco AlmA Londrina, com o objetivo de promover a circulação de bens culturais e também aproximar a rádio da comunidade.

(Com informações da Assessoria de Imprensa)


SERVIÇO: Palco AlmA Londrina
30/10 (DOMINGO) – Vila Cultural AlmA Brasil (Rua Mar Del Plata, 93)
Com DJ DiQ, Seo Nelson, Abacate ContemporaneO e Bruno Morais
Início:16h
Ingressos a R$10. O site www.almalondrina.com.br recebe cadastro prévio e promove sorteio de ingressos gratuitos e prêmios até o dia do evento.

Demo Sul abre inscrições para atividades formativas

Continuam abertas as inscrições para a programação formativa de atividades que o Festival Demosul promoverá durante o ano de 2016. Em seu site, o evento recebe as inscrições de interessados em participar, gratuitamente, das ações que incluem “Oficina de Gestão de Projetos Culturais”, “Oficina de Videoclipe”,  o Simpósio de Música Independente e a Rodada de Negócios. Confira a seguir os detalhes

O cantor Siba é uma das atrações de destaque do festival deste ano - Foto: José de Holanda
O cantor Siba é uma das atrações de destaque do festival deste ano – Foto: José de Holanda

Simpósio de Música Independente – Em sua 12ª edição, o Simpósio de Música Independente é uma das grandes realizações do Demo Sul 2016. Esse ano, a programação traz 17 produtores, diretores de festivais, donos de agências, selos e gravadoras do Brasil e de outros países da América Latina para debaterem temas-chave do cenário nacional e internacional da música independente.

O Simpósio acontece no SESI/AML e tem limite de 80 vagas. A primeira mesa do Simpósio discute a “Exportação E Circulação Na América Latina E Mercado Mundial”, a segunda mesa traz “Modelos De Gestão: Gerenciamento De Carreiras Na Cena Independente” e a terceira apresenta um panorama das “Feiras e Festivais de Música” no Brasil e no mundo.

Rodadas de Negócio – No sábado, 12, o Simpósio de Música Independente continua. No SESC-Cadeião, os convidados do Simpósio e outros produtores da cena nacional da música independente estarão disponíveis para ver, ouvir e fechar negócios com bandas, músicos e produtores locais.

Para se inscrever, os interessados devem acessar o formulário de inscrição (http://demosulfestival.tumblr.com/rodadasdenegocio2016) e apontar, em ordem de preferência, quais os cinco produtores com quem desejam conversar. A organização do Festival vai escalar 3 reuniões para cada banda, com base nas preferências assinaladas, e em caso de janelas na programação, as bandas podem conversar com mais produtores disponíveis.

Oficina de videoclipe – Especialmente para os interessados em produção audiovisual, o Demo Sul oferece a Oficina de Videoclipe. Ministrada pela equipe da Clareira Filmes, a oficina tem 10 vagas e vai apresentar e colocar em prática todas as etapas da produção de um videoclipe.  A ação vai culminar em um clipe da banda londrinense Montauk, que venceu a votação online com mais de 300 votos do público. Informações: https://goo.gl/forms/czTbkyz0hHllbjFt2

Workshop de Gestão de projetos Culturais – O Workshop é uma pausa no Demo Sul para compartilhar experiência. Apresentando uma análise prática de gerenciamentos de projetos sob a ótica da produção cultural, o diretor do Demo Sul, Marcelo Domingues, leva seus conhecimento sobre gerenciamento de projetos, e promove um espaço de reflexão sobre sua relevância na atualidade.

O Workshop acontece no dia 7 de Novembro, das 14h às 18h, no auditório da Sonkey. As inscrições podem ser feitas nesse link https://goo.gl/forms/LH0nQx57rS9DAAcl2  e o limite é de 30 vagas.

Demo Sul abre inscrições para atividades formativas
Foto: Divulgação

O Festival Demo Sul 2016 é uma realização da Associação Cultural do Rock de Londrina e a Braço Direito Produções, conta com o patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC) e do Prêmio FUNARTE de Programação Continuada para Música Popular. Todas as atividades formativas do Demo Sul são gratuitas. Essas e outras informações estão disponíveis em http://demosulfestival.tumblr.com/

InBlues – Evento com grupos londrinenses inicia hoje

A partir desta sexta, ritmos cadenciados aliados à batidas pulsantes (Não por acaso, remetentes ao som do ‘pulsar’ do coração) são os destaques do ‘Londrina InBlues Festival‘. O evento, realizado até o próximo domingo (16) reúne sete nomes do Blues da cidade que apresentarão trabalhos autorais (Além de releituras de clássicos do gênero) ao longo de três dias de evento. “A ideia é já antiga. Neste evento nos inspiramos muito pela cena local, e também pelas bandas ricas (Musicalmente) que fazem blues nesta região, e que gravam por aqui. Com este evento, além de mostrar o trabalho da cidade, a ideia é fazer com que novos públicos conheçam o estilo. Fazer com que o blues fique acessível para novos públicos, agregar mais pessoas ao redor disso, e com bandas da cidade sendo protagonistas… “, contou o músico Thiago Galleli, da banda Busker Denim, que é também membro da organização do evento.

O trio Busker Denim se apresentará no sábado (15) - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O trio Busker Denim se apresentará no sábado (15) – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Além da Busker Denim, sobem ao palco do evento nomes como Luke de Held & The Lucky Band, All Blues, Jessica Fahl, Redland, Black OutsidersGabriel Souza Harmônica Trio e Bona Trio.
Além dos trabalhos autorais dos artistas, clássicos e canções já tradicionais do estilo (Algumas oriundas de terras longínquas como Delta do Mississipi ‘E.U.A’, Chicago, Austin). O Festival irá movimentar o Oficina Bar diariamente a partir das 21h. Do ponto de vista artístico, o evento será uma ótima oportunidade aos apreciadores do gênero (Incluindo novos ‘futuros apreciadores’) para conhecer a produção local de blues, que muitas vezes adapta estilos e harmonias típicas à um swing e a uma linguagem mais características aqui da região.

Os músicos Alan Carlos Silva, Diogo Morgado e Wellington Souza (Redland) se apresentam no primeiro dia do festival - Foto: DIvulgação
Os músicos Alan Carlos Silva, Diogo Morgado e Wellington Souza (Redland) se apresentam no primeiro dia do festival – Foto: Divulgação

Mesmo não sendo um estilo de grande espaço na mídia ou em rádios comerciais, o apelo emocional e envolvente que o Blues – Cujo nome em inglês é também uma expressão relacionada à melancolia –  carrega parece ser o grande responsável pela sua disseminação, assim como, sua sobre-vida, o que constantemente contribui para renovação do público.

Luke De Held & Lucky Band participam do festival no sábado (15) - Foto: Divulgação
Luke De Held & Lucky Band participam do festival no sábado (15) – Foto: Divulgação

Em pleno ano de 2016, não é raro achar amantes do estilo, muitas vezes, com menos de 20 anos de idade que já tiveram contato com a obra de ícones do estilo como Muddy Waters  ou até Otis Spann (Todos falecidos há mais de 30 anos); “Acho que as raízes do Blues estão em todos os lugares, todas as bandas populares praticamente, hoje, tem alguma do rock ou do blues. Desses ritmos que surgiram de referências da África, e que acabam tendo uma ‘raíz’ com outros estilos (Até mesmo como samba, como reggae) logo, é algo que tá muito ligado à ritmos naturais e por isso é tão chamativo. Dentro disso há variantes, nomes como o Black outsiders, tem um som que já puxa um blues mais moderno, (Influenciado por nomes como Joe Bonamassa) você que é diferente mas que ainda tem a raiz do som ali…”, comentou Thiago à reportagem do Rubrosom.


SERVIÇO
Londrina InBlues Festival
Com: Luke de Held & The Lucky Band, All Blues, Jessica Fahl, Redland, Black OutsidersGabriel Souza Harmônica Trio e Bona Trio.
Quando:
14, 15, 16 de Outubro
Onde: Oficina Bar
Preços: A partir de R$ 20
Pontos de venda: Sonkey, Viagens da Danni

 

Demo Sul – Ingressos começam a ser vendidos nesta sexta

A partir desta sexta-feira (7) o Festival Demo Sul começa a vender os ingressos para a sua 16ª edição. Mesclando atrações locais, de fora do estado e até nomes internacionais, o Festival acontece entre os dias 4 e 12 de Novembro e ocupa 6 diferentes palcos da cidade.

Demo Sul - Ingressos começam a ser vendidos nesta sexta
Motorocker vem de Curitiba e traz toda a atmosfera do hard rock para o palco do Iate Clube. A banda, que ficou conhecida pelo título de “melhor cover de AC/DC de todo o mundo”, aposta desde 2004, quando lançou “Igreja Universal do Reino do Rock”, em um trabalho autoral que tem garantido shows lotados e muitos quilômetros rodados pelo Brasil – Foto: Divulgação

Os ingressos poderão ser adquiridos a partir das 14h da sexta, na Sonkey e na Logic, a preços variados. “Esse ano o público vai ter 4 diferentes ingressos à disposição, um para o primeiro sábado, no Iate Clube, outro para o Bar Valentino, um terceiro ingresso para a Vila Cultural Cemitério de Automóveis, e outro para a segunda noite no Iate, que é o nosso maior palco”, explica Marcelo Domingues, diretor do Festival. Além desses, o Demo Sul ainda leva shows gratuitos para a Concha Acústica, Sesi/AML e Barbearia.

De Cuiabá, Macaco Bong, fundada em 2004, também se apresenta no Demo Sul - Foto: Divulgação
De Cuiabá, Macaco Bong, fundada em 2004, também se apresenta no Demo Sul – Foto: Divulgação

O Iate Clube, reservado para as grandes noites de Demo Sul, os ingressos custam R$40,00 e R$ 20,00 (inteira e meia-entrada, respectivamente). No Valentino e na Vila Cultural Cemitério de Automóveis, os preços variam entre R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada).

A banda gaúcha não lançava novidades desde 2003, quando colocou nas prateleiras seu último EP - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.
A banda gaúcha não lançava novidades desde 2003, quando colocou nas prateleiras seu último EP – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

Nos outros palcos não há cobrança de ingressos, e no Sesi/AML o público deve comparecer com uma hora de antecedência, para retirar as entradas. A Sonkey fica na rua Souza Naves, n.9, no centro. A Logic Skate Shopping fica no Aurora Shopping, loja 60, piso 1. O Festival Demo Sul 2016 é uma realização da Associação Cultural do Rock de Londrina e a Braço Direito Produções, conta com o patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC) e do Prêmio FUNARTE de Programação Continuada para Música Popular.


PROGRAMAÇÃO

04/11 – Sexta Feira – Concha Acústica – Entrada Gratuita
Patife Band (São Paulo – Sp)
Central Sistema De Som (Curitiba – Pr)
Luke The Held & Lucky Band (Londrina – Pr)
De Um Filho, De Um Cego (Jacarezinho – Pr)

05/11 – Sábado – Iate Clube – R$40,00 (inteira) R$20,00 (meia)
Di Melo Feat. Sarará Criolo (São Paulo / Londrina)
Motorocker (Curitiba – Pr)
A República Imperial (Belém – Pa)
Phanton Powers (Porto Alegre – Rs)
Loladéli (Londrina – Pr)

06/11 – Domingo – Barbearia- Entrada Gratuita
Poltergat (São Bernardo –Sp)
Hellpath (Londrina – Pr)
Imagery (Londrina – Pr)

10/11 Quinta Instrumental – Valentino – R$20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
The Greengrass Brothers (Londrina – Pr)
Andrea Perrone (Porto Alegre – Rs)
Macaco Bong (Cuiabá – Mt)
Muntchako (Brasília – Df)
Octopus Trio (Londrina – Pr)

11/11 – Sexta-Feria – Sesi / Aml – Entrada franca – retirar ingressos com 1 hora de antecedência
XII Simpósio De Música Independente
Abacate Contemporâneo (Londrina – Pr)
The Weird Family (Londrina – Pr)
Montauk (Londrina – Pr)

11/11 – Sexta-Feria – Cemitério De Automóveis – R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia)
Bandinha Di Da Dó (Porto Alegre – Rs)
Mucambo De Bantu (Londrina – Pr)
Etnyah (Londrina – Pr)

12/11 – Sábado – Iate Clube – R$40,00 (inteira) R$20,00 (meia)
Defalla (Porto Alegre – Rs)
Heymoonshaker (Londres – U.K)
Rosário Smowing (Rosário – Arg)
Convulsão (Londrina – Pr)
Mocho Diablo (São Paulo – Sp)
Red Mess (Londrina – Pr)

Casa de Cultura e SESC realizam Encontro de Coros

A Universidade Estadual de Londrina, o Coro da Divisão de Música da Casa de Cultura ‘Tempos Dourados’ e o SESC Londrina realizam nesse sábado o I Encontro de Coros Vozes da Primavera. O evento promoverá uma mostra coral/ vocal, não competitiva, de grupos de terceira idade.

O objetivo do encontro é promover o intercâmbio, a socialização e a valorização da arte nesta faixa etária
O objetivo do encontro é promover o intercâmbio, a socialização e a valorização da arte nesta faixa etária – Foto: Divulgação

O objetivo do encontro é promover o intercâmbio, a socialização e a valorização da arte nesta faixa etária. As atividades estão previstas para começar às 15 horas e ao longo do dia os participantes poderão participar de ações integrativas, oficina de voz e também de um ensaio de uma música para que todos os coros inscritos possam cantar juntos no final do encontro. Além dessa música todos os grupos participantes farão uma breve apresentação.

Os participantes são: Coro Feliz Idade das farmácias Vale Verde, com regência de José Mário Tomal, Tempos Dourados da UEL, regido por Regina Balan, Grupo de canto Heimatklänge, sob regência de Denis Camargo e Grupo de cantoria SESC Londrina, com a regência de Angela Araújo e Celi Silva.  No repertório dos grupos há músicas como “Cantores do Rádio”, “Maria, Maria”, “Eu só quero um xodó”, “Amanhecer” e “Caçador de Mim”, entre outras.  A partir das 18 horas as apresentações serão abertas ao público.


SERVIÇO

I Encontro de Coros Vozes da Primavera
Data:
08/10/2016
Horário: apresentações a partir das 18 horas
Local: SESC Londrina – rua Fernando de Noronha, 264 – Centro – Londrina
Entrada Gratuita

Latino-Americano – Mostra propõe reflexões através do cinema

Está acontecendo nesta semana em Londrina a 1ª Mostra de Cinema Latino-Americano promovida pelo Sesc Cadeião Cultural. O evento acontece até o próximo domingo (2), reunindo sete premiadas produções filmadas no Brasil, Chile, México, Argentina e Paraguai. Todas as sessões são gratuitas. Focando, principalmente, em filmes sem tanta projeção no circuito comercial, a mostra tem o objetivo de apresentar filmes que provoquem reflexão no público trazendo produções de relevância artística, alguns deles premiados em festivais pelo mundo todo. “‘Essa proposta, do cinema latino americano surgiu em Foz do Iguaçu, no começo deste ano, recebemos a programação e realizamos a mostra aqui também, quase todos esses filmes exibidos são inéditos aqui no espaço”, conta Edvaldo Junior, coordenador do projeto, que acontece no Sesc Cadeião.

Latino-Americano - Mostra propõe reflexões através do cinema
O chileno ‘Nostalgia da Luz’ de Patricio Guzmán é um dos filmes exibidos – Foto: Divulgação

O primeiro filme exibido, foi o brasileiro “O Lobo Atrás da Porta” (2014), dirigido por Fernando Coimbra. Na sequência, serão exibidos o chileno “Nostalgia da Luz” (quinta-feira, às 20 horas); o paraguaio “7 Caixas” (sexta-feira, às 20 horas); o venezuelano “Pelo Male” (sábado, às 15 horas); o mexicano “Heli” (sábado, às 18 horas); o brasileiro “O Som ao Redor” (domingo, às 11 horas); e o mexicano “Club Sandwich” (domingo, às 15 horas). A mostra acontece em um momento emblemático, no qual, diversos países da América Latina (Brasil inclusive) passam a ter um novo olhar sobre a própria história, assim como, a de todo continente. “Acho que essa época é norteadora, podemos pegar um recorte da mostra e levantar uma reflexão, tanto direcionada para a questão cultural, como também o contexto social e político de hoje…. Há bastante semelhança entre esses filmes, mesmo sendo de países diferentes, alguns conflitos são recorrentes nesta temática”, pontua Edvaldo.

O CineSesc acontece o ano todo, com sessões semanais. Tradicionalmente promovemos as mostras Akira Kurosawa e Orson Welles e agora contamos com mais essa iniciativa. Nosso desejo é apresentá-la a cada ano”, complementa.

Edvaldo Junior salienta que todos os filmes da mostra foram selecionados com as ideia de formar um mosaico que retrata questões políticas, sociais e comportamentais vividas nos países da América do Sul. “O Lobo Atrás da Porta”, por exemplo, se passa em um ambiente pesado que retrata as tensões do jogo político que acontece no Brasil. Já “Nostalgia da Luz” conta história de mães e mulheres que buscam no deserto do Atacama os corpos de parentes mortos durante a ditadura militar chilena comandada por Pinochet. Entre outos. A sala de exibições do Sesc Cadeião Cultural tem espaço para receber 55 espectadores a cada sessão e que os interessados devem retirar os ingressos uma hora antes do início do filmes escolhido.


SERVIÇO
Cine Sesc – 1ª Mostra de Cinema Latino-Americano
Quando – De hoje a domingo
Onde – Sesc Cadeião Cultural (R. Sergipe, 52)
Quanto – Gratuito

Programação:

Quinta
20h – Nostalgia da Luz (Chile – 2015)

Sexta-feira
20h – 7 Caixas (Paraguai – 2014)

Sábado
15h – Pelo Malo (Venezuela/Argentina/Peru – 2014)
18h – Heli (México – 2013)

Domingo
11h – O Som ao Redor (Brasil – 2013)
15h – Club Sandwich (México – 2015)

Festival de Dança abre inscrições para oficinas e para mostra

Estão abertas as inscrições para as oficinas do 14º Festival de Dança de Londrina, que acontecem durante a mostra oficial, de 1 a 9 de outubro, e também na extensão do evento, de 27 a 31 de outubro. A programação traz seis cursos ligados a várias modalidades das artes cênicas e que contemplam diversos públicos. Artistas profissionais e amadores da região também já podem inscrever apresentações de até dez minutos para o “Dança Londrina”, mostra que ocorre dentro do Festival no dia 3 de outubro.

Este ano, estão programadas as oficinas “Balé Clássico”, com Guivalde Almeida (Especial Academia de Ballet – SP); “Dança Urbana”, com Leandro Belilo (Cia Fusion de Danças Urbanas – MG); “Figurino Para a Cena”, com Cassio Brasil (São Paulo – SP); “Jazz Lyrical”, com Dijalma Junior (Belo Horizonte – MG); “Dança Contemporânea – Repertório em Movimento”, com Milton Coatti (São Paulo Companhia de Dança – SP), e “Procura-Se Um Corpo”, com Tânia Farias (Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz – RS).

“Antes de divulgarmos a grade dos espetáculos, sempre anunciamos as oficinas do Festival, que têm uma importância muito grande não só para estudantes e profissionais da área, mas também para o público em geral. Percebemos que as trocas dos participantes com os professores dão frutos artísticos para a cidade. Sem contar o público que vem de fora, atraído cada vez mais pela qualidade dos cursos e pelos preços acessíveis”, comenta Danieli Pereira, coordenadora geral do Festival.

Em 2015, durante dez dias de evento, foram seis oficinas ministradas por grandes nomes da dança nacional - Foto: Fabio Alcover/Festival de Dança
Em 2015, durante dez dias de evento, foram seis oficinas ministradas por grandes nomes da dança nacional – Foto: Fabio Alcover/Festival de Dança

A oficina com Guivalde Almeida, nome internacionalmente conhecido na dança clássica, traz a Londrina um programa especial que explora as mais diversas técnicas de preparação e execução para o balé. Voltada a bailarinos e estudantes de balé clássico em nível intermediário ou avançado (com experiência em ponta), esta atividade acontece de 3 a 7 de outubro. Na oficina “Dança Urbana” (1 a 4 de outubro), o dançarino e diretor Leandro Belilo mergulha com os participantes no universo dessa modalidade e aborda seu processo criativo na Cia Fusion, de Belo Horizonte (MG). Esta atividade é dirigida a bailarinos, atores, estudantes e outros profissionais com algum conhecimento na área.

O premiado criador visual Cassio Brasil, de São Paulo (SP), estará em Londrina de 3 a 7 de outubro para a oficina “Figurino para a Cena”, na qual vai montar um ateliê direcionado a projetos de dança e do teatro. Destinada ao público em geral, especialmente profissionais das artes cênicas, da moda, das artes plásticas e do design interessados na criação de figurinos, a oficina terá aulas teóricas e práticas com o objetivo de investigar a poética da roupa que compõe a cena.

Ilhada em Mim, de Sylvia Plath (Apresentada pela Cia. Lusco Fusco) foi um dos espetáculos apresentados - Foto: Fabio Alcover.
Ilhada em Mim, de Sylvia Plath (Apresentada pela Cia. Lusco Fusco) foi um dos espetáculos apresentados – Foto: Fabio Alcover.

O coreógrafo e bailarino Dijalma Junior, paranaense radicado em Belo Horizonte (MG), regressa à terra natal para ministrar a oficina “Jazz Lyrical”, também de 3 a 7 de outubro. O professor vai propor exercícios coreografados ou isolados para o aprimoramento de várias vertentes da modalidade. Atividade para estudantes, bailarinos e coreógrafos com experiência intermediária ou avançada em dança.

Na oficina “Dança Contemporânea – Repertório em Movimento” (7 a 9 de outubro), o professor e ensaiador Milton Coatti terá como base do trabalho o repertório artístico da São Paulo Companhia de Dança. Os participantes (bailarinos, atores e profissionais com conhecimento intermediário ou avançado em dança) poderão experimentar no corpo um panorama das técnicas utilizadas em um grupo profissional.

Para fechar a programação didática, o Festival de Dança realiza na extensão do evento, de 27 a 31 de outubro, a oficina de performance “Procura-se um Corpo”, com a atriz, encenadora e professora Tânia Farias, da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (Porto Alegre-RS).

A proposta deste trabalho é provocar, de forma poética, reflexões sobre um passado recente e as feridas ainda abertas pela ditadura militar no Brasil. A oficina propõe ainda o reconhecimento e a ocupação de um espaço urbano de Londrina, onde será realizada uma performance concebida conjuntamente pelo grupo, no dia 31 de outubro.

Todas as oficinas acontecerão na Escola Municipal de Dança, em horários variados. Para obter informações detalhadas sobre conteúdo, público-alvo e currículo dos professores, os interessados podem acessar o site www.festivaldedancadelondrina.art.br e clicar no link “Oficinas 2016”. Na página também está disponível a ficha de inscrição, que deve ser preenchida e entregue na Funcart (Rua Senador Souza Naves, 2380).

O valor de cada oficina é de R$ 30,00, com desconto progressivo para mais de uma atividade (2 oficinas: R$ 50,00 / 3 oficinas: R$ 70,00 / 4 oficinas: R$ 100,00). O pagamento deve ser feito na entrega da ficha, na Funcart. As vagas são limitadas e definidas por ordem de chegada. Informações pelo telefone (43) 3342-2362.

Mostra local – O Festival também convida artistas locais para se apresentarem em sua tradicional noite “Dança Londrina”, que acontece este ano no dia 3 de outubro, dentro da programação oficial. A mostra reúne pequenos trabalhos cênicos e trechos coreográficos de até dez minutos produzidos por escolas, academias ou por bailarinos independentes da região. Agregando os mais variados estilos, o “Dança Londrina” oferece um panorama da produção da cidade e da região. Para participar, basta preencher a ficha disponível no site e enviá-la para o e-mail festival@festivaldedancadelondrina.art.br.


Serviço:
Oficinas e Mostra Local – 14º Festival de Dança de Londrina
Inscrições abertas (até atingir o limite das vagas)
Cursos: de 1 a 9 e de 27 a 31 de outubro de 2016
Programação detalhada e fichas de inscrição no site:
www.festivaldedancadelondrina.art.br
Informações: (43) 3342-2362

O Festival de Dança de Londrina tem patrocínio da Prefeitura Municipal de Londrina, por meio do Promic (Programa Municipal de Incentivo à Cultura), da Caixa Econômica Federal e do Teatro Mãe de Deus. O evento é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná), com apoio institucional da Funcart. Apoio: France Danse Brasil 2016, Embaixada da França no Brasil, Institut Français, Rádio UEL FM, Usina Cultural, Shop Ballet e Só Dança.