Em 15 dias Ballet de Londrina arrecada R$ 2 mil

“Hoje é comum os projetos terem muitos seguidores na internet, se cada um deles topar ser um co-financiador de um projeto, seja um CD, festival, ou show, muita coisa boa, que sem apoio nunca viria à luz, poderia ser viabilizada…. É como comprar um apartamento ainda na planta”, citou a musicista Flávia Couri (‘The Courettes’, Autoramas), durante uma entrevista de 2011, quando então falava sobre as possibilidades que um financiamento coletivo pode proporcionar à artistas. Na ocasião, sua banda havia arrecadado mais de R$ 14 mil que foram usados para a produção do disco ‘Música Crocante’ lançado no mesmo ano. Se em 2011 a medida ainda gerava dúvidas, em meio a um cenário atual de crise e de escassez de recursos, em 2016 cada vez mais realizadores veem o ‘Crowdfunding’ como uma forma de tirar projetos do papel.

Em Londrina, não é diferente. Cada vez mais o chamado Crowdfunding é utilizado para angariar fundos destinados à projetos culturais pela cidade toda. Recentemente a banda londrinense Montauk viabilizou a conclusão de seu EP, intitulado ‘Faça Crescer todas as Flores’ através da contribuição de apoiadores que fizeram doações pela plataforma Embolacha – Várias faixas de valores são disponibilizadas, e em troca, o apoiador recebe um bônus ligado ao projeto, que é proporcional à doação feita.

No início de março, o Ballet de Londrina, também aderiu a uma campanha de crowdfunding para arrecadar dinheiro para a remontagem do espetáculo “Decalque” – Adaptação do romance Romeu e Julieta (Shakespeare). O objetivo é angariar R$ 30 mil para o custeio de figurino, cenário e gastos de produção. Lançada no dia 1, através do site www.vakinha.com.br, a campanha arrecadou (até o dia 17) R$ 2 mil em apenas 15 dias. “Isso é reflexo de como as pessoas que seguem a companhia querem prestigiar, querem ver a realização do espetáculo. Neste período tivemos algumas doações até bem generosas, um único colaborador chegou a dar R$ 600! ”, comenta Leonardo Ramos, diretor e coreógrafo da Cia Ballet de Londrina.

Quatro atores, que participaram da montagem de 2007 devem retornar neste ano – Foto: Divulgação/Ballet de Londrina/Renato Forin Jr

Segundo ele, o sistema de financiamento coletivo é uma alternativa importante em tempos de crise e, especialmente da pouca quantidade de recursos. “As leis de incentivo ajudam, mas editais para obtenção de recursos estão cada vez mais raros. Com esse sistema de financiamento, as pessoas que acreditam no nosso trabalho, tornam-se fomentadores e parceiros. Achamos que esse é o momento de presentear o público com um projeto que fez história.”, comenta Ramos. O prazo para as contribuições termina em 30 de junho. Estando tudo certo com os valores, a previsão de estreia é para o final do mês de julho.

O espetáculo

Segundo o diretor, a remontagem de “Decalque” contará com 12 artistas, dentre eles, 3 bailarinas e um bailarino estiveram na montagem original feita pelo grupo, encenada em 2007, e agora retornam para a nova versão. “A dança contemporânea é muito pessoal… É evidente que não será igual, mas, não é uma coisa fechada, houve um período de amadurecimento das ideias” ressalta o diretor.

A apresentação feita há nove anos é considerada um ponto crucial no desenvolvido do grupo (Fundado em 1993) Para Ramos, o espetáculo representou um ponto de amadurecimento do elenco e o início de novas explorações, do ponto de vista da identidade. Após a montagem de 2007, o grupo teve abertura para ousar mais em outros trabalhos, criticamente elogiados como “Sagração” e mais recentemente “Sem Eira Nem Beira”.

Para o diretor, a boa aceitação que a campanha tem tido é resultado da relação afetiva que o público londrinense possui com o grupo. “As pessoas que acompanham o nosso trabalho, estão bastante instigadas em ver novamente essa montagem que foi tão significativo na nossa história. Muito bacana poder voltar com o espetáculo que está na memória das pessoas. O Londrinense é muito carinhoso, em qualquer situação ele se mostra muito presente, e não vai ser diferente para essa campanha” acrescenta o coreógrafo.

Mais informações:
Decalque/Cia Ballet de Londrina-www.vakinha.com.br