Cultura divulga Projetos Estratégicos selecionados pelo Promic 2017

A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) divulgou na última semana a lista dos projetos culturais que foram aprovados e selecionados, no segmento Projetos Estratégicos, para receber o patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). O Edital de Convocação nº 002/2017 foi publicado no Jornal Oficial do Município, edição 3.295, e está disponível para acesso no Jornal Oficial (a partir da página 3).

Parte do time de colaboradores, jornalistas e produtores da Alma Londrina Rádio Web. No dia alguns músicos que tocaram no 3º Palco alma realizado em 2016 - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Parte do time de colaboradores, jornalistas e produtores da Alma Londrina Rádio Web em 2016. O projeto foi um dos aprovados no edital de 2017  – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

O edital também traz o resultado das decisões quanto aos recursos apresentados, que podem ser visualizados na íntegra no Anexo I da publicação. Ao todo, estão selecionados 21 Projetos Estratégicos, do total de 41 projetos culturais inicialmente inscritos nessa categoria na edição 2017 do Promic. A lista contempla projetos nas áreas de Música, Dança, Cultura Integrada e Popular, Artes de Rua, Circo, Literatura, Artes Visuais e Patrimônio Cultural e Natural. Há projetos ligados à canais de mídia como a Alma Londrina.

Foram aprovados e selecionados seis projetos na linha Estratégicos Livres, três na linha Carnaval, quatro na de Ações Formativas, seis na categoria Festivais e outros dois no segmento Preservação da Memória Histórica de Londrina. Os projetos avançam para a próxima etapa, quando os proponentes deverão apresentar a documentação prevista pelo Edital 002/2017. Após o recebimento da documentação, os processos serão submetidos a parecer jurídico, atendendo à Lei 13.019/2014.

Em Londrina, no ano passado, Ignácio de Loyola Brandão participou de um bate-papo durante o Festival Literário (Londrix) realizado no Museu Histórico. O Festival foi novamente aprovado neste ano - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Em Londrina, no ano passado, Ignácio de Loyola Brandão participou de um bate-papo durante o Festival Literário (Londrix) realizado no Museu Histórico. O Festival foi novamente aprovado neste ano – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Outros 15 projetos, que não foram selecionados por falta de disponibilidade orçamentária, aparecem no certame como suplentes. Caso algum dos selecionados neste edital ainda seja inabilitado em decorrência de problemas na documentação ou assinatura do termo, o projeto que aparecer logo na sequência, respeitando a ordem de pontuação e a linha atendida, deve ser convocado. Nessa situação, porém, o projeto selecionado apenas poderá receber recursos em compatibilidade com a capacidade de orçamento da Cultura prevista especificamente para suprir este segmento do Promic.

Para essa edição do Promic, o Município investirá o montante de R$ 1.480.000,00 nos projetos que integram a linha de Projetos Estratégicos, em suas cinco áreas de atuação. O investimento total do Promic, em 2017, será de R$ 4,3 milhões.

Recursos – Os proponentes poderão apresentar recursos, no prazo de cinco dias, contados a partir da publicação do edital de aprovação e seleção dos projetos. Para ter vistas de seus projetos e interpor recurso, os interessados devem comparecer à Secretaria Municipal de Cultura, de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 horas, na sede localizada na Praça Primeiro de Maio, 110, centro.

Os recursos serão analisados pela Comissão de Análise de Programas e Projetos Estratégicos (Cappe), que irá deliberar sobre a reconsideração ou manutenção da decisão. Se a decisão for mantida, o recurso será encaminhado à autoridade superior para uma decisão final.

Promic divulga lista de projetos de Vilas Culturais habilitados

A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) divulgou, nesta semana (29), a lista preliminar de projetos de Vilas Culturais, habilitados e inabilitados, na primeira fase de seleção do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). O Edital nº 001/17, com todas as informações, foi publicado no Jornal Oficial do Município, edição nº 3.268.

Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis - Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.
Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis – Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.

Nesta primeira etapa de análise, dos 11 projetos inscritos na seleção do Programa de Vilas Culturais, oito foram habilitados e três inabilitados. Até o momento, estão habilitados os seguintes projetos: Vila Cultural de Comunicação Popular, Vila Cultural Cemitério de Automóveis, Vila Cultural Grafatório, Vila Cultural Faces de Londrina, Vila Cultural Circo Escola, Vila Triolé Cultural, Vila Cultural AlmA Brasil e Vila Usina Cultural. Receberam parecer de inabilitados a Vila Cultural Vitória, Vila Cultural Centro da Dança e Vila Cultural Flapt.

Os proponentes interessados em interpor recurso contra o resultado preliminar poderão fazê-lo, no prazo de cinco dias úteis após a publicação do edital, junto à Secretaria Municipal de Cultura. O atendimento ao público ocorre, de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 horas, na sede da SMC, localizada na Praça Primeiro de Maio, 110, no centro. Mais detalhes podem ser obtidos pelo endereço www.londrina.pr.gov.br/cultura/promic (acessar a opção Promic > Editais).

De acordo com a diretora de Incentivo à Cultura da SMC, Sonia Regina Aparecido, os recursos e os projetos serão encaminhados à Comissão de Análise de Programas e Projetos Estratégicos (CAPPE) para a revisão ou manutenção da decisão durante a fase final de análise. Caso a decisão pela inabilitação do projeto seja mantida, o recurso será encaminhado à autoridade superior para a decisão final. O próximo edital, com o resultado da segunda fase da seleção de projetos, deve ser publicado na semana que vem, em publicação feita por meio do Jornal Oficial.

A Vila Cultural Grafatório foi um dos projetos habilitados segundo o edital - Foto: Divulgação/Grafatório
A Vila Cultural Grafatório foi um dos projetos habilitados segundo o edital – Foto: Divulgação/Grafatório

Investimento – A Prefeitura de Londrina está disponibilizando R$ 500 mil para a realização dos projetos culturais selecionados na categoria de Vilas Culturais. Os projetos deverão estar limitados ao valor máximo de investimento de R$ 70 mil.

Vilas Culturais – O Programa Vilas Culturais tem como objetivo ofertar espaços para a articulação de grupos de produção cultural, em linguagens específicas ou integradas, e também para a realização de programação cultural como pontos de encontro, de lazer e de fruição para os cidadãos.

Triolé – Festival do Minuto e Contação de Histórias marcam programação da semana

Em Londrina, a vila Cultural Triolé (Região Oeste) terá programação especial nesta semana, como parte do Festival do Minuto. Além do festival, que trará a Londrina a mostra de filmes exibidos em 250 pontos espalhados por todo o Brasil, o espaço também terá atividades envolvendo contação de histórias até o próximo domingo (27) – Veja programação.

Festival do Minuto – Mais de 250 pontos de cultura do país exibem mostras do Festival – Centenas de pontos de cultura, incluindo cineclubes, escolas, museus e bibliotecas, exibem os conteúdos selecionados pela curadoria do festival, promovendo a difusão gratuita da produção audiovisual independente. Para 2017, foram preparadas três mostras especiais, que trazem um pouco dos principais temas que o Festival impulsionou no ano passado, como o Mapas Sonoros da Cidade e o Fazer Cinema:

Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min): seleção de vídeos que abrange diversos assuntos e técnicas. Vídeos filmados com celular, animações, vídeo arte, entre outros; Mostra Universitária (livre, 24 min): vídeos produzidos por estudantes e professores;

Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min): animações lúdicas voltadas para o público mais novo do festival. Colagem, 3D e stop motion estão entre as técnicas utilizadas. Entrada gratuita.

Próximos filmes
26 de maio – 20h

– Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min)
– Mostra Universitária (livre, 24 min)
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)

27 de maio (sábado) – 16h
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)

27 de maio (sábado) – 19h
– Melhores Minutos de 2016 (livre, 52 min)
– Mostra Universitária (livre, 24 min)
– Mostra Animação Infantojuvenil (livre, 20 min)


Visitando Manoel de Barros – Espetáculo – Nesta semana também, a companhia Kiwi de Jaqueta apresenta o espetáculo Visitando Manoel de Barros. A peça consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz, com inserções de fragmentos de cinco histórias de Manoel de Barros.

O espetáculo “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a Nuvem Feliz” consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz - Foto: Divulgação
O espetáculo “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a Nuvem Feliz” consiste em uma adaptação da obra “Nuvem Feliz”, de Alice Ruiz – Foto: Divulgação

A apresentação da companhia está marcada para o dia 27 ás 17h. “Desde pequena, toda nuvem sabe que algum dia ela vai ter que chorar… Mas no meio delas aparece uma nuvem feliz, que não parece nem um pouco a fim de chorar. Essa nuvem então passeia e observa traquinagens pela terra e, cada vez mais feliz, ela vai crescendo… e crescendo… e crescendo…”

Informações – Facebook.com/triolecultural

Evento – Usina Cultural promove evento pela manutenção do espaço

No ano em que completa 15 anos de existência, a Usina Cultural passa por dificuldades para manter o espaço aberto. Assim como as demais Vilas Culturais de Londrina e vários outros projetos, a Usina está se movimentando para prover despesas básicas sem a verba do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura). Com esse intuito, seus coletivos artísticos organizam a festa “Usina a todo vapor”, com uma programação especial. O evento acontece neste sábado (13 de maio), das 14 às 22 horas, na Avenida Duque de Caxias, 4159/4169 (esquina com a Rua São Salvador). Até às 16 horas, a entrada custa R$ 5,00 e, depois desse horário, R$ 10,00.

O músico Mau Werner se apresentará com seu projeto 'One Mau Band' - Foto: Divulgação
O músico Mau Werner se apresentará com seu projeto ‘One Mau Band’ – Foto: Divulgação

Todos os artistas se apresentarão voluntariamente. A programação inclui o grupo de choro Regional Maria Boa, o grupo Acará, a One Mau Band, o músico Bernardo Pellegrini, além do coletivo cênico-musical Ôdcasa e Vanessa Nakadomari. No encerramento, uma roda de canções com a Cia Boi Voador e o Núcleo Ás de Paus (grade completa de atrações abaixo). A festa também vai oferecer um cardápio variado de guloseimas, incluindo opções vegetarianas e veganas.

Até o ano passado, a Usina Cultural contava com recursos do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), da Prefeitura de Londrina, por meio do edital de Vilas Culturais. O processo foi suspenso no início do ano e um novo edital foi aberto. Na semana passada, terminou o prazo de entrega das novas propostas e agora é necessário aguardar o período de avaliação, para só então serem anunciados os projetos contemplados.

Apresentações cênicas serão feitas pela Cia Boi Voador e pelo Núcleo Ás de Paus - Foto: Divulgação
Apresentações cênicas serão feitas pela Cia Boi Voador e pelo Núcleo Ás de Paus – Foto: Divulgação

O edital de Vilas Culturais prevê um incentivo para custeio de locação do espaço e despesas como água, energia elétrica, telefone/internet, além de pequenos reparos, vigilância, pagamento de produtor administrativo e programador. Os demais gastos de manutenção eram custeados pela Usina e grupos parceiros. Na atual situação, as despesas vêm se acumulando desde o início do ano, e parte tem sido paga por meio de eventos e contribuições.
A festa deste sábado é a primeira ação comemorativa dos 15 anos da Usina Cultural. Nos próximos meses, acontecem outros eventos como uma feijoada colaborativa e um arraiá julino.

Em 2016 a Usina Cultural foi espaço de diversas apresentações artísticas e eventos como a festa junina organizada por vários coletivos - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Em 2016 a Usina Cultural foi espaço de diversas apresentações artísticas e eventos como a festa junina organizada por vários coletivos – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

História – Fundada em 2002 por artistas independentes da cidade, a Usina Cultural se tornou um espaço significativo para Londrina. Carregado de memória, o local tem sido palco de grandes eventos e importantes processos artísticos ao longo de sua trajetória. Foi a primeira Vila Cultural do programa, criado em 2005.
Em 15 anos de história, a Usina tem colaborado para atender a uma importante demanda de Londrina por espaços culturais. Ponto de apoio para projetos independentes, grandes eventos, atividades comunitárias e outras ações voltadas aos moradores de toda a cidade, a Usina também trabalha a formação de público.
Um projeto de ocupação anual proporciona espaço para que grupos/artistas tenham um local fixo para ensaios, pesquisas, apresentações, intercâmbios, processos de formação/aperfeiçoamento e demais atividades na área de artes cênicas e em outras linguagens.


Programação – Usina a todo vapor
Sábado, 13 de maio, a partir das 14 horas (entrada: R$10 | R$5 até às 16 horas)
15h: “Regional Maria Boa” – Grupo de Choro
16h: “De Mala e Cuia, Corpo e Alma” – Grupo Ôdcasa (teatro)
16h30: “Aguaceiro” – Vanessa Nakadomari (teatro)
17h: One Mau Band – projeto solo do músico Mau Werner
18h30: “Acará” – Música brasileira (Ale Donioli, Robson Ganeo e Vinincius Lordelos)
19h30: Bernardo Pellegrini
21h: Roda de Canções – Cia. Boi Voador e Núcleo Ás de Paus.

Eu faço cultura – Projeto viabiliza peças de teatro gratuitas em Londrina

Três peças teatrais de grupos londrinenses foram contempladas recentemente com recursos do projeto ‘Eu Faço Cultura’ realizado pelo Ministério da Cultura com recursos da Lei Rouanet. As peças ‘Fim de Partida’ e ‘Obrigado’ (Realizadas pelo Teatro Kaos de Londrina) e a peça ‘Antes do Grito’ (do Rubra cia. de Teatro) serão apresentadas gratuitamente para estudantes do ensino médio de três escolas da cidade, em apresentações viabilizadas com recursos do programa.

Rafaela Martins (Azul) e Carol Alves atuam em 'Antes do Grito' - Foto: Allan Ferreira.
Rafaela Martins (Azul) e Carol Alves atuam em ‘Antes do Grito’ – Foto: Allan Ferreira.

No projeto, produtores culturais podem se cadastrar através do site http://www.eufacocultura.com.br e após passarem por uma curadoria simples tem a possibilidade de ser contemplados. O projeto é uma realização da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal.

Após a contemplação, os ingressos são comprados, dentro do regulamento do projeto, pelo valor negociado entre a equipe do Programa e os produtores culturais. As entradas podem ser repassadas à entidades de sua região (Escolas, ongs, etc…). Logo, a entrada é gratuita para o público e custeada com verbas do projeto (O valor é negociado direto com cada produtor). “Eu tenho incentivado produtores aqui da cidade a participar do ‘Eu Faço Cultura’, se cadastrar no site e apresentar produtos (peças, etc, projetos) para escolas de Londrina. A ideia assim é gerar mais demandas para produtores que podem ser contemplados”, contou o ator e diretor Edward Fão do Teatro Kaos.

A peça ‘Fim de Partida’ apresentada pelo coletivo viabilizou pelo menos 3 apresentações, dentro do projeto, que terão um público total de 400 alunos do ensino médio de Londrina – Os ingressos são comprados, dentro do regulamento do projeto, pelo valor negociado entre a equipe do Programa e os produtores culturais. Neste espetáculo o valor padrão é de R$ 10 (Meia) e R$ 20 inteira (Totalizando perto de R$ 4 mil inseridos pelo projeto).

Antes do Grito – Uma das peças contemplada pelo ‘Eu Faço Cultura’ foi o espetáculo produzido pelo Rubra Cia de teatro de Londrina, que estreou em 2016 após ter sido produzida durante um ciclo de dramaturgia realizado pelo Sesi. A peça inicialmente teria algumas apresentações viabilizadas com recursos do Promic (Programa Municipal de Incentivo á Cultura), mas, o cancelamento do edital – Anunciado no mês de fevereiro deste ano – fez com que o grupo ‘Rubras’ buscasse outras formas de viabilizas apresentações em 2017. “Após o anúncio do corte, nós já buscamos outros estados e editais fora de Londrina inclusive. A peça fala sobre abuso, é um tema relevante, e logo, sempre buscamos a propagação desta discussão, queremos sempre trazer  para o teatro temas ligados à opressão, vinculando isso à uma preocupação estética feminina”, contou Mayara Dionzio, diretora do Rubra Cia de Teatro quem assina a produção da peça. Segundo ela, só em 2016 cerca de 900 pessoas já assistiram a peça.

Fim de Partida e Obrigado – Duas peças do grupo ‘Teatro kaos’ de Londrina (‘Fim de Partida’ e ‘Obrigado) foram contempladas dentro do ‘Eu Faço Cultura’. A ‘Fim de Partida’, que é apresentada na cidade desde 2011, viabilizou pelo menos 3 apresentações, dentro do projeto, que atingiram um público total de 400 alunos do ensino médio de Londrina – Neste espetáculo, os ingressos foram comprados, pelo valor padrão de R$ 10 (Meia) e R$ 20 inteira (Totalizando perto de R$ 4 mil inseridos no projeto via-edital) – Cada projeto, e cada produtor, tem a possibilidade de negociar o valor da respectiva entrada.

Na peça 'Fim de Partida', personagens atuam em um cenário hospitalar, simulando uma situação de grande dor e sofrimento. A peça dialoga com autores como Bertold Brecht e - Foto: Divulgação
Na peça ‘Fim de Partida’, personagens atuam em um cenário hospitalar, simulando uma situação de grande dor e sofrimento. A peça dialoga com autores como  Samuel Beckett – Foto: Divulgação

Segundo Edward, embora o ‘Eu faço cultura’ ainda ainda não seja amplamente divulgado entre escolas, a aceitação foi positiva em todos os colégios com os quais ele teve contato. “As vezes escolas pensam que você está oferecendo a venda de um espetáculo, e não, na verdade são entradas gratuitas para alunos da rede pública. Fui a três escolas e todas aceitaram. Atualmente já listei outras várias escolas da cidade e, até o fim do mês a gente tem a possibilidade de cadastrar cerca de 20 mil alunos para assistirem espetáculos dentro deste mesmo sistema”, contou o diretor.

A imagem de um homem a beira da morte numa sala hospitalar de tratamento intensivo (UTI.) assistido por espectadores/médicos (responsáveis em evitar que ele deixe de sofrer física e existencialmente), foi o ponto de partida para a criação da montagem final. A peça contemplada  é notória pela temática existencialista e densa. “Essas iniciativas dão muito mais possibilidade para o artista continuar produzindo, circular com espetáculos, neste ano ainda trabalhamos muito em cima da hora, no próximo ano espero poder contar com mais projetos e ter uma programação bastante plural para oferecer”, contou o diretor. “O Teatro tem que confrontar questionamentos do seu dia a dia, da sua vida, se você puder levar incomodação para o teatro, enquanto confronto, é importantíssimo! No caso deste projeto, se mais companhias conseguissem ter acesso ao benefício, se mais gente pudesse ter acesso, o coletivo todo ganha, é muito mais legítimo para que você continue trabalhando”, pontuou Edward durante a entrevista.


SERVIÇO
Teatro – Antes do Grito (Rubra Cia de Teatro)
Dias 5, 6 e 7 de Maio (20 horas)
Usina Cultural
Produção Cia Teatro Kaos Patrocínio Eu Faço Cultura
Ingressos: http://www.eufacocultura.com.br
//
Teatro – Fim de Partida
Dias 2, 3 e 4 de junho (20 horas)
Usina Cultural
Produção Cia Teatro Kaos
Ingressos: http://www.eufacocultura.com.br

Teatro e exposições integram artistas em mostra no MARL

Reunindo artistas, grupos de teatro da cidade, atores e ainda calouros do curso de artes cênicas da UEL, teve início nesta quarta-feira (21) a 2ª Mostra MARL (Movimento dos Artistas de Rua de Londrina). O encontro reuniu em um mesmo espaço (O Canto do MARL na Avenida Duque de Caxias), diversas manifestações culturais e artísticas com entrada gratuita. O evento iniciou como uma mostra itinerante, e recentemente, passou a ser fixa, acontecendo de forma mensal no mesmo lugar. Esta segunda mostra segue até o dia 23.

Apresentações cênicas foram realizadas no primeiro dia da Mostra MARL - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Apresentações cênicas foram realizadas no primeiro dia da Mostra MARL – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A programação iniciou por volta das 19h30 com apresentação do grupo de teatro ‘Dois é Bom’. Em um ambiente de clima carregado, dois personagens em conflito (Talvez como uma metáfora da vida a dois, em diversas vertentes) expõe traumas e agonias enquanto, através de breves frases e gestos demonstram a influência (Ou anulação) provocada pela busca de se ‘enquadrar’ em determinados padrões. Diversas análises podem ser pensadas, sem grande obviedade, claro, com temáticas do cotidiano e das relações interpessoais.

Grupo 'Dois é Bom' iniciou as apresentações na 2ª Mostra MARL por volta das 19h50 - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Grupo ‘Dois é Bom’ iniciou as apresentações na 2ª Mostra MARL por volta das 19h50 – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Logo em seguida, os atores Gabriel Rubim e Mel Campus apresentaram ‘Escatomancia e Outras Histórias Secretas’ que em um cenário minimalista aliado à com poucos personagens (semelhante à anterior) examina introspecções e divagações dos personagens, – Assim como eventuais tentativas de ‘externar’ coisas ruins de si – através de uma linguagem mais abstrata, e até, incisiva do que a encenação anterior. A apresentação voltada ao público adulto provocou risos, e até, aplausos do público em momentos variados do espetáculo.

Dentro do ‘Canto do MARL’ obras e ilustrações do coletivo artístico”Barafunda”, eram expostos ao público. A programação da quarta encerrou com um debate, envolvendo educadores e professores, sobre as políticas culturais da cidade. Curiosos, estudantes e eventuais pessoas de passagem acompanharam grande parte do debate, e até, puderam se inteirar mais sobre o cenário atual da cultura na cidade.

Obras do coletivo 'Barafunda' foram expostas durante o primeiro dia da mostra - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Obras do coletivo ‘Barafunda’ foram expostas durante o primeiro dia da mostra – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Além das apresentações em si, outro ponto alto desta ‘abertura’ da mostra, sem dúvida, foi a integração proporcionada pelo grande número de estudantes presentes no espaço, muitos deles, de fora de Londrina e que viam como novidade as realizações do MARL na cidade. “To chegando agora em Londrina e já soube do MARL através dos veteranos. Eu vim de Taubaté e, por lá, não tem nada parecido com a experiência daqui, da ocupação. Eu acho muito interessante esse tipo de inicitiva, faltam investimentos nisso (Cultura) logo, é tudo importante. Junto com um amigo estamos participando das aulas de circo e, acho que deveriam ter mais iniciativas assim” contou o estudante Rafael Abdouni, do primeiro ano de Artes Cênicas (UEL) e que passou agora à conhecer mais sobre projetos desenvolvidos no espaço.

Ao final do evento, aconteceu ainda um bate-papo com estudantes e atores sobre as políticas culturais da cidade - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Ao final do evento, aconteceu ainda um bate-papo com estudantes e atores sobre as políticas culturais da cidade – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Considerando o momento atual como um período difícil para a cultura, diversos artistas e também pessoas participantes da mostra veem como simbólico a possibilidade de estar unindo a experiência de novos ‘calouros’ do curso de cênicas à realização do evento. Artistas envolvidos na organização acharam a experiência muito rica. “É uma ideia coletiva mesmo, apresentamos hoje uma cena produzida ao longo de 2016. Sempre no início de ano organizamos uma semana de recepção para os iniciantes do curso…  “É muito positivo estar reunindo este pessoal por aqui, o espaço do MARL – Movimento dos Artistas de Rua de Londrina começou com a ideia da ocupação, e, trazer os estudantes aqui já é demonstrar uma força de resistência!, A cultura hoje é o que cai primeiro (Em tempos de crise), e estamos em uma época de unir forças, sem dúvida, coletivizar é a palavra!”, contou o estudante Jeanderson Ferreira da Silva, do 4º ano de Cênicas, que participou da montagem do grupo ‘Dois é Bom’

Em nota, o Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL) reitera o agradecimento de toda população londrinense com trabalho cultural e afirma que ‘luta por ocupação de espaços públicos abandonados, oferecendo outra narrativa para os mesmos. Há flores que nascem do asfalto e estamos cultivando..”, pontua a divulgação. A programação continua todos os dias até o próximo domingo (23).


Informações
2ª Mostra do MARL
De 19 a 23 de Abril
Programação Aqui

Apresentações diversas – Mostra MARL inicia hoje em Londrina

Começa nesta quarta-feira a 2ª Mostra Movimento dos Artistas de Londrina (MARL). O evento consiste em uma serie de manifestações culturais (Que antes eram itinerantes) e que agora passam a ser realizado no Canto do MARL mensalmente com entrada gratuita e contribuição espontânea no chapéu. A edição de abril será até o dia 23 (domingo). A mostra MARL (Movimento dos Artistas de Rua de Londrina) é um evento cultural que aglutina diversos artistas com o intuito de expor os mais variados trabalhos culturais de Londrina

O espetáculo 'Zé Maria e Marizé' é um dos destaques da programação da mostra - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O espetáculo ‘Zé Maria e Marizé’ é um dos destaques da programação da mostra – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Os destaques da programação são: a mostra de cenas Artes Cênicas da UEL, o espetáculo de teatro de rua “ Zé Maria e Marizé” com a Cia. Curumim Açu; uma batalha de rima intitulada “Quinta Féra”, contação de histórias com a Cia. Kiwi de Jaqueta em “Um passeio com a nuvem feliz” e também histórias com a Cia. Boi Voador, a pré-estreia do vídeo-documentário sobre o projeto A Maré, oficinas de fotografia com Jacqueline Vieira e Fagner Souza, a aula pública sobre Ocupação com a professora Alejandra Cedeño, além da presença do Coletivo Barafunda, entre outras atividades culturais (ver programação completa abaixo).

Esta será mais uma oportunidade de mostrarmos um pouco mais do trabalho dos vários coletivos artísticos, que desde o dia 27 de junho de 2016 ocupam pacífica, permanente e poeticamente o prédio público localizado na Avenida Duque de Caxias, 3241, que esteve abandonado por mais de 10 anos.

A Cia. Kiwi de Jaqueta (Fotografada durante a apresentação 'A Menina Abóbora') também participará da mostra - Foto: Eber Prado
A Cia. Kiwi de Jaqueta (Fotografada durante a apresentação ‘A Menina Abóbora’) também participará da mostra – Foto: Eber Prado

Em nota, o Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL) reitera o agradecimento de toda população londrinense com trabalho cultural e afirma que ‘luta por ocupação de espaços públicos abandonados, oferecendo outra narrativa para os mesmos. Há flores que nascem do asfalto e estamos cultivando..”, pontua a divulgação.


SERVIÇO
2ª Mostra do MARL
De 19 a 23 de Abril
Programação (19)
19h30 –
Recepção dos Calouros de Cênicas
“DISMORFOFOBIA”, do Grupo Dois é Bom
ESCATOMANCIA E OUTRA HISTÓRIAS SECRETAS – Gabriel Rubim e Mel Campus (ADULTO)
Bate papo sobre os Rumos da Política Pública de Cultura em Londrina
EXPOSIÇÃO DE ARTES VISUAIS Coletivo ”Barafunda” de artistas pesquisadores
Onde: CANTO DO MARL – Avenida Duque de Caxias, 3241.

Rock – Nasi e Relespública tocam em Londrina em Abril

O cantor Nasi, mais conhecido por ser vocalista da banda paulista Ira! fará show na cidade de Londrina, no dia 28 de Abril junto com a banda de rock Relespública (Curitiba) no Sesi. No ano passado, Nasi já havia se apresentando na cidade, em show no Moringão, com sua banda mais conhecida. Ingressos estão a venda.

A parceria entre o vocalista do Ira!, Nasi e a banda Relespública, surgiu em 2002, quando o cantor participou das gravações do álbum “As Histórias São Iguais” do trio curitibano de Rock. De lá pra cá foram inúmeros shows nesses 15 anos, em São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Bahia e outros estados brasileiros.

Relespública – É uma banda brasileira de rock formada em 1989 em Curitiba. A banda passou por um momento de crise, uma vez que Fábio Elias causou polêmica, a nível nacional, ao anunciar a pausa da Relespública e começou a divulgar sua nova carreira, dedicada ao sertanejo universitário. Trocando a guitarra pelo violão e o terno retrô pela camiseta xadrez, Fábio Elias lançou o CD “Me Dê um Pedaço Seu”, em abril de 2010. Após um hiato de dois anos , a Reles voltou no início de 2012, com o lançamento do DVD Antes do Fim do Mundo, gravado entre 2009 e 2010, lançado pela MNF Discos.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas no palco, pessoas tocando instrumentos musicais e noite
A banda e o cantor tiveram a primeira parceria no ano de 2002, e desde então, seguiram fazendo shows eventuais – Foto: Divulgação

O show que será apresentado nos teatros SESI Londrina – E que também passará por Maringá e São José dos Pinhais, terão a energia de uma banda de Rock’n’Roll com a mesma formação há quase 30 anos, junto com a experiência de um ícone do Rock nacional querido no país inteiro. Uma apresentação única e cheia de hits do Ira!, associados a clássicos do gênero.


SERVIÇO
Nasi e Relespública em Londrina
Quando: 28 de Abril
Onde: Teatro Sesi
Valor: R$40 INTEIRA, R$20 MEIA.
VENDA SOMENTE PELO DISK INGRESSO
Meia entrada: Estudantes, Idosos, Professores, doadores de sangue e colaboradores da Indústria e sistema Fiep.

Promic abre inscrições para nova seleção de projetos de Vilas Culturais

A Secretaria Municipal de Cultura (SMC) abre, nesta quarta-feira (5), as inscrições para a nova seleção de projetos culturais, no segmento Vilas Culturais, que serão beneficiados pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic) para o exercício de 2017. A divulgação foi feita hoje (4) pelo Edital de Chamamento Público nº 001, publicado no Jornal Oficial do Município, edição 3.230, disponível no link goo.gl/KUgTC7 .

Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis - Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.
Em 2016 o PROMIC foi responsável pela manutenção de vários espaços culturais como o Cemitério de Automóveis – Foto: Arquivo Bruno Leonel/Rubrosom.

O período de inscrição vai até o dia 4 de maio de 2017. Para participar do processo, os proponentes devem procurar a sala da Diretoria de Incentivo à Cultura, localizada na sede da SMC, na Praça Primeiro de Maio, 110, no centro. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 horas.

Com a abertura do novo edital, a Prefeitura de Londrina retoma as atividades do Promic, atendendo aos requisitos da Lei Federal 13.019, que entrou em vigor em primeiro de janeiro deste ano. O secretário municipal de Cultura, Caio Julio Cesaro, enfatizou que a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Procuradoria-Geral do Município (PGM), realizou um grande esforço para fazer a readequação e ajuste necessário à nova legislação nacional.

Sobre o edital aberto para a seleção de Vilas Culturais, Cesaro frisou que o recurso de incentivo disponibilizado para a realização dos projetos, no montante de R$ 500 mil, é o mesmo que já estava aprovado e previsto na Lei Orçamentária. “Estamos retomando o fomento a diversos projetos culturais, com o objetivo principal de beneficiar a população londrinense com programação cultural de qualidade. O edital foi lançado em sua integralidade e dentro do orçamento municipal previsto”, completou.

Vilas Culturais – O Programa Vilas Culturais tem como objeto ofertar espaços para a articulação de grupos de produção cultural, em linguagens específicas ou integradas, e também para a realização de programação cultural como pontos de encontro, de lazer e de fruição para os cidadãos. Por meio do novo edital do Promic, a Prefeitura de Londrina está disponibilizando R$ 500 mil para a realização dos projetos culturais para implantação de Vilas Culturais. Os projetos deverão estar limitados ao valor máximo de investimento de R$ 70 mil.

No mês de fevereiro o cancelamento do edital deste ano foi confirmado em uma entrevista coletiva com o Secretário de Cultura - Foto: Vitor Struck
No mês de fevereiro o cancelamento do edital deste ano foi confirmado em uma entrevista coletiva com o Secretário de Cultura – Foto: Vitor Struck

As áreas disponíveis para inscrição dos projetos são as de Artes de Rua; Artes Plásticas; Artes Gráficas; Artesanato; Cultura Integrada e Popular; Circo; Dança; Música; Teatro; Cinema; Videografia; Fotografia; Literatura; Mídia; Patrimônio Cultural e Natural; e Hip Hop.

Análise – Os projetos serão analisados pela Comissão de Análise de Programas e Projetos Estratégicos (CAPPE), nomeada através de decreto do Executivo. O grupo atua de forma autônoma e independente, e é formado por membros indicados pelo Conselho Municipal de Política Cultural e pela Secretaria Municipal de Cultura que, nos últimos cinco anos, não tenham mantido relação jurídica com, ao menos, uma das entidades participantes do chamamento público, nos termos da Lei 13.019/2014.

O formulário do Plano de Trabalho e demais documentos pertinentes a este edital podem ser obtidos pela internet, no endereço www.londrina.pr.gov.br ; pelo e-mail promic.cultura@londrina.pr.gov.br ou através de gravação de mídia fornecida pelo proponente, sendo considerados, para este edital, pendrive e CD-ROM.

Promic – Secretário e controlador vão à Câmara explicar cancelamento do edital

O clima foi agitado durante a sessão da Câmara Municipal de Londrina realizada na última quinta-feira (23). Na ocasião, o secretário de Cultura, Caio Cesaro, o Procurador Geral do Município, João Luiz Esteves e o controlador geral do Município, João Carlos Perez, foram convidados pelo vereador Rony Alves (PTB) para explicar o cancelamento do edital do Promic, assinado em 2016 para entrar em vigor esse ano, e que após anúncio da última segunda-feira (20) que teve 82 projetos aprovados. Dezenas de produtores culturais também acompanharam a sessão.

Sessão iniciou às 17h e seguiu até perto das 19h10 - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Sessão iniciou às 17h e seguiu até perto das 19h10 – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ao todo 17 vereadores compareceram, a única ausência foi do vereador Jairo Tamura (PR). Após introdução feita pelo vereador Rony Alves, o secretário Caio  e o procurador João Esteves falaram no plenário sobre o procedimento que envolveu o cancelamento do edital com base em parecer emitido pela Procuradoria Jurídica do Município na última segunda (20). A Secretaria de Cultura determinou o cancelamento do edital do Promic, com base em parecer da Procuradoria-Geral do Município (PGM). A PGM evoca a lei federal 13.019/14, em vigor desde o dia 1º de janeiro, que dispõe sobre a transferência de recursos para entidades sem fins lucrativos. Todos os projetos que já haviam sido contemplados pelo programa, foram cancelados e, um novo edital, deverá ser publicado nos próximos dias.

Em seguida o ator Adalberto Pereira (Núcleo Às de Paus) leu uma carta, representando vários membros e artistas da cidade ressaltando à importância dos investimentos em cultura, e ainda, mencionando a importância de projetos que levam arte, de forma acessível, à regiões periféricas da cidade.

Em sua fala o vereador Amauri Cardoso foi favorável à classe artística, mencionando a importância dos investimentos em cultura - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Em sua fala o vereador Amauri Cardoso (Com casaco preto, na última mesa do fundo, com o microfone) foi favorável à classe artística, mencionando a importância dos investimentos em cultura – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

O vice-presidente da câmara Filipe Barros (PRB) em sua fala comentou sobre a questão atual ser consequência de gestões anteriores. “Há uma situação gravíssima, a Secretaria de Cultura foi notificada sobre a mudança da lei, se há alguma falha impedindo o dinheiro do edital de ser encaminhado aos proponentes, então, ela ocorreu na gestão passada… Agora, se as Secretarias passadas tivessem assinado os contratos até ano passado (2016), o procedimento teria seguido sob vigência da lei passada”, pontuou Barros.

O vereador também questionou sobre os formatos de ‘cultura’ que envolvem o financiamento público, em sua fala ele falou que acha os investimentos importantes mas aguarda ainda o dia em que a cultura não precisará de ‘dinheiro público’ para sim ser reconhecida com cultura – Alguns presentes se manifestaram e até emitiram vaias durante a fala do vereador. Em contraponto, o vereador Amauri Cardoso (PSDB) se mostrou favorável aos investimentos em cultura, ressaltando ainda, a importância de projetos financiados pelo edital e que são realizados na periferia.

Adalberto Pereira (Ás de Paus) de marrom, participa da sessão da Câmara - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Adalberto Pereira (Ás de Paus) de marrom, participa da sessão da Câmara – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ele ainda ressaltou que se houvesse mais investimentos para a periferia (Em projetos e fomentos culturais) em um período curto de tempo seria possível “resolver a situação de inúmeras pessoas em situação de vulnerabilidade social…”, pontuou o vereador. “Uma semana antes (De publicarmos) existia um estudo realizado sobre a situação, cerca de 5 dias antes já havíamos chegado à essa ideia do cancelamento, mas tentávamos ainda buscar informações que pudessem reverter essa informação, acho que a procuradoria não faz divulgação de pareceres enquanto eles não estão prontos…”, pontuou o procurador João Esteves, sobre a possibilidade de ter levado a questão à público antes do cancelamento definitivo. Segundo divulgado, um novo edital será publicado nos próximos dias, todos os proponentes, inclusive contemplados, precisarão se inscrever novamente.