Biblioteca Infantil promove apresentação musical

A Biblioteca Infantil de Londrina recebe, nesta sexta-feira (27), às 15 horas, a tecladista mirim Maria Heloisa Santos Alves, para uma apresentação musical no teclado. O evento é gratuito. A Biblioteca Infantil está localizada na Praça 1º de Maio, 110, em frente à Concha Acústica.
foto_biblioteca

Maria Heloisa tem nove anos e se interessou pela música quando viu a mãe fazendo o curso básico de teclado. Teve um breve aprendizado na escola de música Vivarte e atualmente faz o curso de teclado na escola “David Studio”. O repertório para a apresentação na Biblioteca Infantil será: Berceuse; O Pequeno Joãozinho; Ode a Alegria; Marcha Soldado; A Barata e Ursinho Pimpão.


SERVIÇO
Tecladista Maria Heloisa Santos Alves na Biblioteca Infantil
Quando:
Sexta-feira (27) às 15h
Onde: Biblioteca Municipal de Londrina
(Entrada Gratuita)

Poesia e arte – Biblioteca do CEU inicia atividades para crianças

Nesta semana a Biblioteca do Centro e Artes e Esportes Unificados (CEU) deu início à atividades de férias. Durante o mês de janeiro, crianças e adolescentes poderão participar de atividades variadas, envolvendo poesia, dobradura, maquetes e cinema. A Biblioteca do CEU fica na Rua Ângelo Gaiotto, s/n, no Jardim Santa Rita I, atrás do Colégio Estadual Polivalente.

Nesta quinta, crianças e jovens puderam participar de oficinas onde ilustraram poemas de Cecilia Meirelles, além de conhecer mais sobre a poesia da autora - Foto: Divulgação/CEU
Nesta quinta, crianças e jovens puderam participar de oficinas onde ilustraram poemas de Cecilia Meirelles, além de conhecer mais sobre a poesia da autora – Foto: Divulgação/CEU

A idade mínima para participação é de seis anos e as inscrições podem ser feitas pelo telefone 3338-4925, ou pessoalmente na sede do CEU, das 8 às 15 horas. Para participar da oficina é necessário que cada participante leve uma caixa de calçados. Segundo a bibliotecária Priscila de Jesus, durante a atividade os participantes serão apresentados à história e arquitetura londrinense constante no acervo da Biblioteca.

Após a apresentação, serão confeccionadas maquetes que representam os espaços da cidade, a partir de materiais como papelão, itens de papelaria e tinha guache. “É aberto para todas as idades e, a ideia é apresentar o mundo da literatura para os participantes, usando livros da biblioteca… Tivemos a leitura de algumas poesias, em um primeiro momento, depois fizemos uma dinâmica onde cada participante poderia ler e ilustrar a parte do texto que mais gostavam”, contou Priscila. Foram usados livros voltados ao público infanto-juvenil e também de poesias. Segundo a bibliotecária, a ideia é ter atividades ao longo do ano com programação semanal.

Participantes da oficina desta quinta-feira ilustraram poemas e tiveram contato com novos autores - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Participantes da oficina desta quinta-feira ilustraram poemas e tiveram contato com novos autores – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Na terça-feira (24), das 9h30 às 12 horas, haverá o bate-papo “Eu li num filme”. Durante a atividade, os participantes serão apresentados a um clássico da literatura infantojuvenil, por meio da linguagem escrita (livro) e audiovisual (filme). O objetivo da atividade é proporcionar o contato dos leitores com as diversas formas de leitura. A idade mínima para participação também é de seis anos e as inscrições podem ser feitas no mesmo telefone e endereço. Após as férias (Que terminam no dia 26) nova programação deve ser divulgada pelo espaço.


INFORMAÇÕES

A Biblioteca do CEU fica na Rua Ângelo Gaiotto, s/n, no Jardim Santa Rita I, atrás do Colégio Estadual Polivalente.

Biblioteca do CEU inicia programação especial de férias

A Diretoria de Bibliotecas da Secretaria Municipal de Cultura recebe inscrições para a Programação de Férias 2017 da Biblioteca do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU). Durante o mês de janeiro, crianças e adolescentes poderão participar de atividades variadas, envolvendo poesia, dobradura, maquetes e cinema. A Biblioteca do CEU fica na Rua Ângelo Gaiotto, s/n, no Jardim Santa Rita I, atrás do Colégio Estadual Polivalente.

O espaço realiza atividades culturais dedicado á pessoas de várias faixas etárias Foto: Divulgação/CEU
O espaço realiza atividades culturais dedicado á pessoas de várias faixas etárias Foto: Divulgação/CEU

Segundo a diretora de Bibliotecas da Secretaria Municipal de Cultura, Leda Maria Araujo, as atividades fazem parte do Programa das Bibliotecas Setoriais do Sistema de Bibliotecas Públicas do Município de Londrina (SBPML). “Esta medida tem como objetivo fortalecer o trabalho em rede das bibliotecas setoriais pertencentes ao SBPML, democratizar o acesso à informação e desenvolver atividades culturais que instiguem e fomentem a leitura. Também procuramos oferecer e mediar os processos de acesso e pesquisa, favorecer a ampliação do saber crítico e reflexivo por meio das atividades, além de estimular o prazer da leitura e de outras linguagens”, explicou Leda.

Para a próxima semana, já estão abertas as inscrições para duas ações. A oficina “Meu Poema” será realizada na quinta-feira (19), das 10 às 12 horas. Nessa atividade os participantes serão apresentados ao universo da poesia e poderão utilizar a imaginação para ilustrar a história apresentada nos versos, por meio de desenho, pintura e colagens. O material utilizado na atividade será fornecido pela Biblioteca, mas as crianças e adolescentes podem levar seus próprios itens de papelaria, se assim desejarem.

E na sexta-feira (20), das 10 às 12 horas, ocorre a oficina de Dobraduras. As crianças e adolescentes irão aprender a confeccionar dois modelos marcadores de páginas. A atividade tem a finalidade de propiciar o contato com o acervo da biblioteca, e promover a conscientização sobre a importância da preservação dos materiais de informação, como livros e revistas.

As vagas são limitadas a 10 participantes, e as inscrições podem ser feitas na Biblioteca do CEU, pessoalmente, das 8 às 15 horas, ou pelo telefone 3338-4925. Podem participar crianças com idade igual ou superior a seis anos. As duas oficinas serão mediadas pela técnica de gestão da Biblioteca do CEU, Ana Paula Pietsiaki de Souza, e pela bibliotecária Priscila de Jesus Apolinário Ribeiro. Priscila destacou que a realização das oficinas durante o período de férias contribui para aproximação da comunidade com o CEU. “São atividades que incentivam a criatividade dos participantes, promovem interação com espaços diversos do CEU, e divulgam os serviços que temos aqui na biblioteca. Além destas oficinas, a população tem à sua disposição vários tipos de jogos como dama, xadrez e da memória. É um espaço de aprendizado, por meio da informação e também do lúdico”, ressaltou a bibliotecária.

Além destas ações, a Biblioteca do CEU irá realizar, no dia 23 de janeiro, a oficina “Nossa Londrina”, de confecção de maquetes; e no dia 24 o bate-papo “Eu li num filme”, com apresentação de clássico da literatura infantojuvenil nos formatos de livro e filme.

(Com informações do N.com)

Lembranças da Folia – Exposição em Londrina resgata tradição das festividades de reis

Está em exibição na Biblioteca Municipal de Londrina a exposição “Lembranças da Folia” com diversos materiais, objetos e símbolos oriundos dos encontros de ‘Folia de Reis’ nos quais participaram o grupo ‘Mensageiros da Paz’ de Londrina”. Todas as lembranças expostas são de propriedade da família Garbosi, tradicional representante da cultura popular na cidade. A exposição segue até o dia 5 de janeiro, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18 horas.

Materiais impressos, imagens e também fotografias do acervo do grupo 'Mensageiros da Paz' estão expostas na biblioteca - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Materiais impressos, imagens e também fotografias do acervo do grupo ‘Mensageiros da Paz’ estão expostas na biblioteca – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Os visitantes terão a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os Encontros de Bandeiras de Folia de Reis, eventos festivos destinados à confraternização entre os membros das Companhias de Folias de Reis de várias localidades.

Nos encontros, além de cantoria, cada companhia tem um determinado tempo para performance, almoço dos foliões e, no final, os representantes dos diferentes grupos recebem lembranças, como um troféu pela dedicação e peregrinação. “Desde 1989 participamos do grupo ‘Mensageiros’ aqui na região, quando vamos em encontros (Em outras cidades e estados) sempre recebemos lembranças, e muitos objetos… O Francisco Muriel veio com a ideia de fazer a mostra, ele já havia até feito uma exposição de fotos há uns anos atrás, achei uma ideia interessante quando ele sugeriu fazer essa exposição”, contou ao Rubrosom Francisco Garbosi, embaixador do grupo Mensageiros da Paz de Londrina.

De acordo com Francisco, sempre quando circulam (Em Londrina e outras cidades) a receptividade do grupo é positiva, e sempre impressiona os integrantes do grupo que leva os cânticos e as danças à bairros e comunidades. “É muito gratificante a receptividade das pessoas, na cidade é difícil, em alguns horários a maioria das pessoas estão trabalhando, mas quando achamos gente em casa o carinho é muito grande. Desde criança pequena fazemos isso, meu pai era Folião, e continuamos seguindo com a tradição…”, contou à reportagem Francisco Garbosi, que atualmente tem 77 anos.

O grupo, na ativa desde 1989, participou de diversos eventos em cidades como Ribeirão Preto, Aparecida do Norte, Lins, e até Paraguaçu (Sul de MG) - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O grupo, na ativa desde 1989, participou de diversos eventos em cidades como Ribeirão Preto, Aparecida do Norte, Lins, e até Paraguaçu (Sul de MG) – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

De acordo com a diretora do Sistema de Bibliotecas Públicas, da Secretaria Municipal de Cultura, Leda Maria Araújo, esses objetos nunca foram exibidos ao público. “A exposição é uma forma das pessoas participarem da alegria da Folia de Reis, que integra a Cultura dos Povos. Ações como esta exposição são importantes para a preservação da memória desta manifestação, que é patrimônio imaterial do povo”, ressaltou.

Exposição acontece na biblioteca até o dia 5 de janeiro - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Exposição acontece na biblioteca até o dia 5 de janeiro – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Leda lembrou ainda que Londrina possui grande representatividade nessa vertente da cultura popular, através das viagens do grupo “Mensageiro da Paz” em Encontro de Folias de Reis, feitas durante quase três décadas, em dezenas cidades dos estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. “A biblioteca encontra-se disponível para mostras artísticas, saraus e diversos tipos de manifestações… Nos colocamos à disposição da população, para, a população poder usufruir do local… Este ano tivemos mostras como uma ligada à histórias de origem afro e outras (Como a de folia de reis com a cultura popular), e é buscando essa diversidade que pensamos nos eventos por aqui”, conta Leda.


SERVIÇO
Lembranças da Folia – Com acervo do grupo ‘Mensageiro da Paz’
Onde:
Biblioteca Pública Pedro Viriato Parigot de Souza (Rua Rio de Janeiro – 413)
Horário: Das 10h às 18h
Entrada Gratuita
Informações pelo fone (43)3371-6500

Mostra Zumbi dos Palmares: Quem é contra a cultura afro, é ignorante – Cita curador

Artistas, ativistas, pessoas ligadas ao movimento negro na cidade, assim como pessoas de outros coletivos compareceram na última segunda (14), em plena véspera de feriado, à abertura da 31ª Mostra Afro-brasileira Palmares, idealizada pelo artista Agenor Evangelista – Quem também assina a curadoria do evento.

Público compareceu à mostra que teve início por volta das 19h da última segunda (14) - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Público compareceu à mostra que teve início por volta das 19h da última segunda (14) – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Ao todo, dez artistas participam do evento, apresentando trabalhos diversos como pinturas, esculturas e técnicas diversas sempre tendo como foco temático a promoção da igualdade racial. A mostra é composta apenas por obras de artistas londrinenses. Outro objetivo da Mostra, segundo o artista, é desmistificar aspectos relacionados à cultura do candomblé. Para isso, o público visitante poderá ver uma instalação representando um terreiro de candomblé, com elementos da religião de matriz africana e informações sobre a sua história. “Em meio a essa crise, a esse ano atípico, resolvemos nós do (Coletivo) fazer uma mostra pé no chão, com essa conotação de abrir espaços para artistas novos, que seja uma coisa feliz, é uma feira de acari’, contou Evangelista á reportagem do Rubrosom. A mostra segue até o dia 30 de novembro.

Membros do Terreiro de Ubanda 'Estrela Guia' fizeram uma apresentação com danças durante a abertura - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Membros do Terreiro de Ubanda ‘Estrela Guia’ fizeram uma apresentação com danças durante a abertura – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Sobre o atual momento político da cidade – Que nas últimas eleições, elegeu para a Câmara Municipal de Londrina, candidatos assumidamente conservadores, alguns até que criticam a divulgação de culturas e tradições de origem africana – Agenor pontuou sobre a importância de estar acompanhando a ação do poder público. “Nós estamos há quase 40 anos na militância, ligados ao Movimento negro na cidade e o que posso dizer é que ta foda, há pessoas negras na Prefeitura, mas, tá duro citar um que realmente é engajado. Apenas ter a cor de pele não resolve… Quem é contrário a essa propagação das culturas de matriz afro, desconhece a Lei 10.639/03 e é ignorante. Uma coisa é certa, iremos cobrar deles, eles que fiquem atentos”, pontuou Agenor durante a entrevista.

Mostra Zumbi dos Palmares: Quem é contra a cultura afro, é ignorante
Público observa obras dos artistas Bhall Marcos e Valdeceia Frei, expostos no local – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

Mostra Afro-brasileira Palmares – Um dos eventos artísticos mais tradicionais de Londrina, a Mostra Afro-brasileira Palmares completa 31 anos de história. Antes chamada Mostra Zumbi dos Palmares, a exposição coletiva de artes plásticas teve sua primeira edição realizada em 1986. Desde então, trabalha com a proposta de buscar a igualdade racial e dar oportunidade para talentos de Londrina, do Brasil e também do exterior. Já passaram pela Mostra artistas de diversos países como Portugal, Rússia, Alemanha, Cuba, Uruguai, França, Japão, Finlândia, Moçambique e outros locais.

Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A Mostra é a continuidade da luta da comunidade negra em Londrina, que durante anos, e por meio de movimentos populares, articula a sociedade afrodescendente através de fóruns, seminários, debates e atividades artísticas que resgatam e preservam as matrizes da cultura afro-brasileira. Ao todo dez artistas participam da mostra deste ano: Bhall Marcos, Isaac Sitta Fontana, JoséNeia, Rita de Câssia Gomes, Gustavo Carneiro, Rosangela Ribeiro, Valdeceia Frei, Daniele Stegmann, Marcos Vinicios.


31ª Mostra Zumbi dos Palmares
No Museu Municipal de Londrina até o dia 30 de Novembro
(Entrada Gratuita)

Semana Nacional do Livro – Confira programação

Desde a última sexta-feira (21), acontece em Londrina a Semana Nacional do Livro e da Biblioteca.  Durante esta semana, haverá palestras, feira de livro, bate-papo com autores, análise de obras cobradas em vestibulares da região, contação de histórias, oficinas de livro, de escrita criativa, de produção de histórias em quadrinho (HQ) e de higienização de livros, Campanha Solidária em prol da Biblioteca da Vila Cultural Adecom, além de outras atividades. A Semana Nacional do Livro e da Biblioteca foi instituída pelo Decreto Nº 84.631 de 09 de abril de 1980, com início em 23 de outubro e término em 29 do mesmo mês, sendo a última data consagrada ao Dia Nacional do Livro, pela Lei 5.191de 18 de dezembro de 1980. Segundo o decreto, nessa semana, atividades folclóricas e culturais devem ser levadas a efeito em todo o país.

Biblioteca da Vila Nova recebe atividades dentro da programação - Foto: Divulgação
Biblioteca da Vila Nova recebe atividades dentro da programação – Foto: Divulgação

Segundo Leda Maria, a intenção é reunir diversas atividades e bibliotecas públicas e privadas para incentivar a cultura da leitura. “Pensamos em fazer um trabalho que reúna todo o sistema de bibliotecas da cidade para estreitarmos nossos laços e criarmos juntos uma rede de incentivo à leitura e ao uso do livro. Dessa forma, os profissionais de bibliotecas poderão ajudar uns aos outros e levar a leitura para mais pessoas”, afirmou.

Feira do Livro – No sábado, dia 22 de outubro, das 9 às 18 horas, haverá a feira do livro trazendo as novidades do ramo literário, lançamento de obras, estande de editoras com produtos em promoções, oficinas, debates sobre os livros cobrados em vestibulares da região, além de outras atrações. Ela será montada no Colégio Mãe de Deus (Rua Pará, 845, Centro).

Durante a feira, estarão expostos livros e produtos da Ciranda Cultural, FTD, Cortez, A Página, Brinquebook, Playbook, Bookroom, Sebo Capricho, Somos Educação: Ática e Scipione e Saraiva, e da Camisetas Elefante Colorido. O público poderá participar das narrativas de histórias com Débora Storti e amigas, às 11 horas; com As Bortolin, às 14 horas; e com Márcia Batista e Aliny Perrota, às 16 horas.

Serão montados ambientes de leitura, espaço para a Biblioteca Infantil, Biblioteca do Colégio Mãe de Deus e Espaço Memória do Sistema de Bibliotecas Públicas do Município de Londrina. Além disso, terá bate-papo e autógrafos das obras de Moacyr Eurípedes Medri, Maria Helena de Moura Arias, Irmã Franciely e Leandro Magalhães. A feira de livros também contará com a presença do apresentador do Programa Game Over, Arthur Ribas.

Campanha de doação de livros – De 24 a 28 de outubro, a população poderá ajudar doando obras literárias para a Campanha Solidária em Prol da Biblioteca da Vila Cultural Adecom. A instituição filantrópica tem como objetivo levar a leitura até a comunidade do Conjunto Saltinho. Para isso, ela necessita da doação de livros, que serão recebidos nas bibliotecas participantes do Sistema de Bibliotecas da Universidade Estadual de Londrina (UEL), que são: Biblioteca Central, Biclioteca Setorial do Centro de Ciências Humanas, do Centro de Ciências da Saúde, do Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos, e da Clínica Odontológica Universitária.

Parceiros – Participarão das ações da semana o Sistema de Bibliotecas Públicas Municipais, Sistema de Bibliotecas da Universidade Estadual de Londrina (UEL), além das Bibliotecas do Sesc Londrina, Senai Londrina, Centro Universitário Filadélfia (Unifil), Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Colégio Marista, Colégio Mãe de Deus, Instituto Politécnico de Londrina (Ipolon), Instituto Federal do Paraná (IFPR) e do Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos. A Secretaria de Cultura e o Departamento de Ciência da Informação da UEL também são parceiros.

A promoção da Semana Nacional do Livro e da Biblioteca, em âmbito municipal, é da Secretaria Municipal de Cultura, por meio do Sistema de Bibliotecas Públicas do Município de Londrina e conta com parcerias público-privadas.


SERVIÇO

Semana Nacional do Livro e da Biblioteca
Quando:
De 21 a 28 de Outubro
Onde: 
Biblioteca Infantil, Biblioteca do Colégio Mãe de Deus e Espaço Memória do Sistema de Bibliotecas Públicas, Senai e outros…
Informações: Confira todas as atividades

Kiwi de Jaqueta leva histórias para a Biblioteca Infantil

A Biblioteca infantil de Londrina recebe nessa sexta-feira (29) a Cia Kiwi de Jaqueta, que irá contar a história “A abóbora menina”. O evento é aberto ao público de todas as idades, a apresentação faz parte do projeto Cia Kiwi de Jaqueta nas Escolas, realizado em unidades da rede municipal, e que conta com duas apresentações por semestre na Secretaria Municipal de Cultura (SMC). O projeto conta com patrocínio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic). A apresentação será às 15 horas, no auditório Villanova Artigas (Praça 1º de Maio, 110, em frente à Concha Acústica).

A partir de agosto, a Cia Kiwi de Jaqueta irá contar a história “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a nuvem feliz”. No final do ano, outras duas contações serão realizadas na Biblioteca Infantil de Londrina - Foto: Eber Prado.
A partir de agosto, a Cia Kiwi de Jaqueta irá contar a história “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a nuvem feliz”. No final do ano, outras duas contações serão realizadas na Biblioteca Infantil de Londrina – Foto: Eber Prado.

O texto apresentado pela Cia Kiwi de Jaqueta é uma adaptação do conto “A abóbora menina”, de autoria de Maria Teresa Lopes. A versão original consta no livro de contos infantis “Histórias que acabam aqui”, da escritora portuguesa. Na história, conhecemos a abóbora menina, que vive insatisfeita em meio às outras plantas da horta, pois tem o sonho de voar. A fundadora da Cia Kiwi de Jaqueta e integrante do elenco, Laís Marques da Silva, contou que as apresentações realizadas no decorrer deste primeiro semestre foram muito produtivas. “A contação é um momento muito descontraído, com músicas e brincadeiras. E as crianças são muito participativas, interagem conosco, mostram um ponto de vista que não tínhamos percebido e nos trazem novos conhecimentos”, ressaltou.

Laís adiantou que a programação de apresentações do grupo em escolas municipais, durante o segundo semestre, já está definida. “No dia 25 de agosto, teremos a primeira apresentação do segundo semestre, e será na escola municipal Bartolomeu de Gusmão, da região leste. No dia seguinte, estaremos na Ruth Ferreira de Souza, na região oeste”, disse. A descrição da peça cita sobre

A partir de agosto, a Cia Kiwi de Jaqueta irá contar a história “Visitando Manoel de Barros: um passeio com a nuvem feliz”. No final do ano, outras duas contações serão realizadas na Biblioteca Infantil de Londrina. No total, o projeto se apresenta em 20 ocasiões durante o ano.


SERVIÇO
Contação de histórias “A abóbora menina” c/ Cia Kiwi de Jaqueta
Quando:
Sexta-feira (29) às 15h
Onde
: Biblioteca Infantil de Londrina (Praça 1º de Maio, 110, em frente à Concha Acústica).
(Entrada gratuita)

Evento com Troca de livros movimenta moradores da Região Oeste

No último domingo (1), em meio a um tempo ensolarado, mas que, vinha acompanhado de um frio que insistia em incomodar, crianças, adultos e eventuais curiosos compareceram à Praça Isaac Newton (Vila Industrial, Região Oeste de Londrina) durante a troca de livros promovida pela ‘Biblioteca Viva Itinerante’. O projeto consiste em promover a leitura, especialmente entre jovens e crianças, que podem levar livros usados e trocar por outros (Que ficam expostos no local) de forma totalmente gratuita.

Viviane Camargo compareceu à 'Biblioteca Viva Itinerante' junto com o filho de quatro anos - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Viviane Camargo compareceu à ‘Biblioteca Viva Itinerante’ junto com o filho de quatro anos – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

Entre livros infantis, gibis e até alguns volumes mais populares, algumas dezenas de crianças, acompanhadas dos pais, compareceram á troca. A movimentação começou às 15h30. Realizado já há oito anos, o projeto da ‘Bibioteca Viva’ é realizado pela educadora Daniella Fioruci. “A ideia sempre foi estar em espaços afastados da região central. Eu não fazia sozinha,  sempre teve alguém acompanhando, antes já fiz uma época com o palhaço Coisa Fina. A gente ia para a praça em diferentes bairros, sempre foi um projeto que deu muito certo, caminhamos muito pelas periferias, mas, há uns anos atrás mudou um pouco, começamos a adotar um bairro só e com a ideia de ‘aprofundar’ a relação, principalmente com a ideia de de ‘ocupar a praça’ de uma maneira saudável” ressalta a artista. Além das praças, Daniella conta que o projeto acontece também ligado à escolas municipais, com a troca realizada no horário de saída, e outras ações ‘paralelas’ como a contação de histórias feitas em momento de intervalo, dentro das dependências dos estabelecimentos.

Crianças de várias idades compareceram e levaram livros para a troca ocorrida durante o período da tarde - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Crianças de várias idades compareceram e levaram livros para a troca ocorrida durante o período da tarde – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

Durante o vento de domingo, em um segundo momento, os presentes puderam acompanhar a apresentação do Palhaço Ritalino (Encenado pelo artista Tiago Marques) que tocou um pouco de sanfona e divertiu jovens e adultos com piadas de um humor inteligente e sagaz (Algumas vezes, nem tão infantil quando pode parecer). Teve até piada ironizando o dia do trabalhador, aproveitando o primeiro de maio, que caiu bem no domingo anulando eventuais chances de iniciar o mês já com um feriado prolongado. “Hoje é dia do trabalho, mas quem está por aqui em um horário desses, acho que é porque não tem trabalho mesmo né?” brincou Ritalino em um dos momentos mais irônicos da apresentação. As sacadas inteligentes e o humor rápido chamam a atenção para o artista.

O evento começou por volta das 15h30 e movimentou a tarde na Vila Industrial - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
O evento começou por volta das 15h30 e movimentou a tarde na Vila Industrial – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

Adultos e crianças se divertiram com o humor escrachado e as brincadeiras feitas pelo ‘Palhaço Ritalino’. “Muita gente fala que o palhaço bom é o palhaço velho, porque já viveu muito… E como o palhaço lida com a derrota, você precisa ser velho porque assim já foi derrotado algumas vezes na vida, já passou por altos e baixos. A gente tenta fazer esse trabalho, perdendo um pouco, empatando, avançando um pouco a cada dia e, tentando fazer o pessoal rir um pouco. Embora (Hoje) tenha sido uma apresentação curta no tempo, e não tenha atingido um público tão grande – Uma televisão atinge bem mais né? – O que eu acredito é nessa força do encontro. Mesmo se fosse uma pessoa só, se ela tiver dado risada, para a gente, já foi um lucro imenso…” Enfatizou Thiago ‘Ritalino’ durante conversa com a reportagem do RubroSom.

 

"Mesmo se fosse uma pessoa só, se ela tiver dado risada, para a gente, já foi um lucro imenso" comenta o artista Thiago Marques (Palhaço Ritalino) que se apresentou durante o evento - Foto: RubroSom/Bruno Leonel.
“Mesmo se fosse uma pessoa só, se ela tiver dado risada, para a gente, já foi um lucro imenso” comenta o artista Tiago Marques (Palhaço Ritalino) que se apresentou durante o evento – Foto: RubroSom/Bruno Leonel.

Últimos Encontros

Segundo Daniela, após os encontros do último fim de semana (No sábado, dia 30 a ‘biblioteca’ também havia passado pelo Conjunto Jamile Dequech) o projeto iria encerrar atividades, após mais dois encontros, a serem realizados no mês de maio, em escolas municipais de Londrina. Por anos anos, o projeto contou com apoio de recursos do Promic, mas, em 2016, como o mesmo não foi aprovado pelo edital, não há, no momento, recursos disponíveis para seguir em diante nos próximos meses.“Durante cerca de seis anos, circulamos por bairros diversos e nos últimos dois anos fechamos aqui na Vila Industrial e no Conjunto Jamile Dequech.  Apesar de não termos recursos do edital neste ano, estamos pensando já em outros projetos, e em outras formas também de dar continuidade à ‘Biblioteca Viva Itinerante’, acho também que é uma oportunidade de parar um pouco e talvez aumentar o repertório também em relação à ‘contação de histórias’, estudar um pouco… A reflexão é o tempo todo, mas o repertório a gente precisa desenvolver também“ comenta a artista sobre os próximos passos para 2016. Atualmente, Daniella também participa de outros projetos como o Encontro de Contação de Histórias, que neste ano chega à quinta edição.

Boa receptividade

Se para os artistas o processo é bastante envolvente, para os moradores dos bairros, que prestigiam tanto a troca como o show do artista Ritalino, o público também tem uma imagem muito positiva da ‘ocupação’ na praça, como contou Valdo Cavalcanti, profissional de câmaras frias e que mora já há 30 anos no bairro. “É importante até divulgar mais eventos desse tipo, isso ajuda às crianças a não ficarem tanto ‘a toa’ além de incentivá-los a ler livros… Seria bom se pudesse haver algo todos os meses assim” comentou. Ele acrescenta que o espaço físico, da Praça Isaac Newton, deixa um pouco a desejar também, para a realização desse tipo de evento. “A praça poderia ser mais bem cuidada, ela está cheia de buracos com uma calçada ruim. Aqui na praça temos problemas com alguns vândalos que depredam o local também”, comentou o morador, que visitou a praça acompanhando seus dois filhos de 6 e 9 anos.

"A gente ia para a praça em diferentes bairros, sempre foi um projeto que deu muito certo, caminhamos muito pelas periferias, mas, há uns anos atrás mudou um pouco, começamos a adotar um bairro só" comenta Daniella Fioruci, idealizadora do projeto - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
“A gente ia para a praça em diferentes bairros, sempre foi um projeto que deu muito certo, caminhamos muito pelas periferias, mas, há uns anos atrás mudou um pouco, começamos a adotar um bairro só” comenta Daniella Fioruci, idealizadora do projeto – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

Também moradora do bairro, Viviane Camargo, que trabalha com transporte escolar, “É a primeira vez que vim, trouxe meu filho de quatro anos… Mas ele ainda não sabe ler, a gente lê pra ele (risos). Mas acho o evento importante, é sem dúvida um bom incentivo. Hoje ele está levando um livro, pretendemos voltar nos próximos encontros…” reforça Viviane.


Mais informações

Facebook – Biblioteca Viva Itinerante

Palhaço Ritalino (Facebook)