Música – Bernardo Pellegrini toca nesta quarta em Londrina

O jornalista e compositor Bernardo Pellegrini se apresenta nesta quarta (31) no Sesc Cadeião em Londrina. Notório pelas suas várias atividades, o jornalista, que também é poeta, publicitário, produtor cultural, somaterapeuta… lança hoje também um site, focado totalmente no no trabalho musical. A página é um grande portal para a obra musical de Bernardo, e disponibilizará todos os discos de sua carreira (inclusive um ao vivo, inédito), fotos, vídeos e uma linha do tempo na qual são narrados em detalhes os episódios mais importantes de sua trajetória.

Bernardo Pellegrini (com o violão, à esquerda) e o Bando do Cão Sem Dono durante apresentação na Alma Londrina - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.
Bernardo Pellegrini (com o violão, à esquerda) e o Bando do Cão Sem Dono durante apresentação na Alma Londrina – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom.

O site www.bernardopellegrini.com.br irá ao ar nesta quarta-feira às 11h. E para comemorar, no mesmo dia, Bernardo irá realizar uma conversa-show no Sesc Cadeião Cultural (Rua Sergipe, 52), às 19h30. Quem for poderá ouvi-lo rememorar passagens fundamentais de sua carreira e escutar algumas das canções que marcaram a sua experiência como músico. O bate-papo musical será mediado pelo jornalista Felipe Melhado, que realizou a pesquisa para o site. A entrada para a conversa-show é gratuita, mas os ingressos são limitados e serão distribuídos no local com uma hora de antecedência.

Bernardo Pellegrini estreiou como músico em 1976, quando fez seu primeiro show: Mina D’água. E mesmo desempenhando muitas outras atividades, nunca parou de compor canções. Hoje ele acumula quatro álbuns lançados: Humano Demais (1990), Dinamite Pura(1994), Quero Seu Endereço (1998) e É Isso Que Vai Acontecer (2010), sem contar Big Bando (2000), disco gravado ao vivo com uma big band e que poderá ser apreciado na íntegra no novo site.

O músico segue ainda na ativa. Bernardo acaba de concluir as gravações para mais um álbum, intitulado Outros Planos, e que deverá ser lançado ainda neste semestre. Nesta quarta-feira (31)  será disponibilizado o videoclipe da música ‘Frágil’, que faz parte do repertório do novo disco. O trabalho terá participação ainda de mais de 30 músicos londrinenses e que será lançado entre os meses de março e abril. Links para o programa ‘Sonora Londrina’, apresentado por Bernardo, também estarão na página virtual.

O novo site é, em suma, apenas um aquecimento para o que está por vir. A página, porta de entrada para a obra de Bernardo, contou com design do estúdio Mero, programação da Nov3, consultoria da Cedilha Comunicação, edição de vídeo da Flamingo Comunicação & Design e pesquisa do jornalista Felipe Melhado.


Serviço:
Lançamento do site www.bernardopellegrini.com.br e conversa-show com Bernardo Pellegrini
Quando – Quarta-feira (31), às 19h30
Onde – Sesc Cadeião Cultural (R. Sergipe, 52)
Entrada gratuito

Mostra Marl – Quando o Coração Transborda terá apresentações gratuitas hoje e terça

Começa nesta segunda-feira a Mostra MARL VII. O evento receberá o grupo teatral Esquadrão da Vida de Brasília-DF para um interessante intercâmbio que inclui oficinas e apresentação aberta ao público. O espetáculo teatral “Quando o Coração Transborda” é criado a partir de textos, músicas, cartas e lembranças, Maíra Oliveira reflete sobre o ofício do ator, aborda temas intimamente ligados à sociedade brasileira contemporânea e reconstrói sua trajetória como atriz, relembrando um pouco da história do grupo Esquadrão da Vida e da relação com seu pai, o grande criador Ary Pára-Raios.

 

Quando o coração transborda é uma peça intimista, criada para ser representada em pequenos teatros, com músicas executadas pela própria atriz. Maíra Oliveira toca viola caipira e violão e canta em cena, num grande encontro informal com a plateia. Lembrando sua história no teatro, as apresentações com o Esquadrão da Vidae com seu pai, as dificuldades vividas para chegar até este momento, Maíra deixou seu coração transbordar. Em cena.

SINOPSE A partir de textos, músicas, cartas e lembranças, Maíra Oliveira reflete sobre o ofício do ator, aborda temas intimamente ligados à sociedade brasileira contemporânea e reconstrói sua trajetória como atriz, relembrando um pouco da história do grupo Esquadrão da Vida e da relação com seu pai, o grande criador Ary Pára-Raios.

O espetáculo é estrelado e codirigido por Maíra Oliveira - Foto: Divulgação
O espetáculo é estrelado e codirigido por Maíra Oliveira – Foto: Divulgação

O grupo fundado em 1978 foi pioneiro na abordagem de temas como o resgate e a valorização da cultura popular, a denúncia de exclusão de uma parte importante da sociedade dos espaços culturais tradicionais, a conscientização ecológica, dentre vários outros temas que ainda hoje ocupam os debates no mundo. Em sua linguagem, incorpora elementos expressivos das festas populares e de saltimbancos, como acrobacia, música e dança. Para saber mais sobre o grupo acesse o blog da companhia.


O que: Espetáculo teatral “Quando o Coração Transborda”.
Quando: 06 e 07 de novembro (segunda e terça-feira).
Horário: 20hs.
Quanto: Gratuito. Retirada de ingressos com uma hora de antecedência.
Onde: Canto do MARL (Av. Duque De Caxias, 3241).
Recomendado: maiores de 14 anos.

Banda Nova – Grupos The Weird Family e Logomaquia tocam hoje

Neste sábado (22) as bandas londrinenses Logomaquia e Weird Family se apresentam durante a segunda edição do projeto Banda Nova Funcart no Slowdown Pub. Após ter sido tido uma última ‘encarnação’ há alguns anos atrás, e ter ficado inativo por anos, eis que o projeto retorna em 2017 e chega a sua 5ª edição. O objetivo é dar continuidade aos trabalhos e ao propósito de fomentar a cena musical autoral da cidade de Londrina, buscando assim, aproximar do palco e do público novas bandas e projetos musicais de estilo variado. O som começa às 21h. Convites antecipados a R$ 10 (na Funcart).

No ano passado a Weird Family se apresentou durante o festival Demosul - Foto: Divulgação/facebook
No ano passado a Weird Family se apresentou durante o festival Demosul – Foto: Divulgação/facebook

Com alguns anos já de estrada, tocando em espaços diversos (inclusive pelas ruas da cidade) a Weird Family está na ativa desde de 2015. Composta por quatro músicos (as) que se uniram pelo interesse em misturar rítmos como bluegrass e o rockabilly, segundo a divulgação a ‘estranheza’ da família vem da variedade de referências que cada um dos músicos agrega ao projeto. A banda é formada por Nahem Facioli, Taciana Bernardi, Suy C. Bernardi e Mariana Franco. O grupo tem um EP gravado em 2016.

Grupos The Weird Family e Logomaquia tocam hoje
Com influências de MPB e também de rock alternativo o trio Logomaquia se prepara em breve para lançar o 1º EP – Foto: Shameless

Ja a Logomaquia é um trio de rock alternativo e MPB. A banda é formado por Arthur Santana (voz/guitarra), Gabriel Bacchiega (voz/baixo) e Paulo Mori (voz/bateria). Criada em 2015 e realizando apresentações pela cidade desde então, a banda propõe trazer ao público londrinense canções autorais de profundidade lírica aliadas a uma sonoridade particular, com influências que vão de The Smiths a Zé Ramalho. “A Logomaquia é fruto de um antigo projeto meu e o do Arthur, que tinha uma proposta mais leve e descompromissada. A banda havia terminado, porém, eu e ele ainda queríamos dar uma nova chance para as nossas canções, em uma roupagem mais criativa. Há anos toco com o Paulo (bateria), então foi uma escolha natural integrar ele a banda”, contou Gabriel (baixista) sobre a trajetória do grupo. Ainda neste ano, o trio pretende lançar um EP, com faixas autorais, que já está sendo gravado.

Em meio a uma época um tanto quanto desafiadora para os diversos projetos culturais da cidade – Fato relacionado também ao cancelamento do edital 2016 do Promic, que afetou mais de 80 projetos de todo o município – iniciativas como o Banda Nova Funcart, junto a outros espaços, se tornam um importante incentivo para a cidade, uma vez que promovem um giro de público e shows, sempre com foco na fértil produção musical autoral na cidade. “O interessante de tudo isso é o incentivo que eles dão para as bandas em desenvolvimento, que buscam alternativos espaços de divulgação, já que a cena é muitas vezes comprometida por nichos…”, concluiu Gabriel Bacchiega, em entrevista ao Rubrosom.


Banda Nova Funcart apresenta The Weird Family e Logomaquia
22 de Abril de 2017 | 21h
Local: Slowdownpub – Rua Ibiporã, 884 – Jd. Ibiporã – Londrina/PR
Convite antecipado: R$ 10 [Contato: (43) 3342-2362 – Funcart] Portaria: R$ 12

Apresentações diversas – Mostra MARL inicia hoje em Londrina

Começa nesta quarta-feira a 2ª Mostra Movimento dos Artistas de Londrina (MARL). O evento consiste em uma serie de manifestações culturais (Que antes eram itinerantes) e que agora passam a ser realizado no Canto do MARL mensalmente com entrada gratuita e contribuição espontânea no chapéu. A edição de abril será até o dia 23 (domingo). A mostra MARL (Movimento dos Artistas de Rua de Londrina) é um evento cultural que aglutina diversos artistas com o intuito de expor os mais variados trabalhos culturais de Londrina

O espetáculo 'Zé Maria e Marizé' é um dos destaques da programação da mostra - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
O espetáculo ‘Zé Maria e Marizé’ é um dos destaques da programação da mostra – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Os destaques da programação são: a mostra de cenas Artes Cênicas da UEL, o espetáculo de teatro de rua “ Zé Maria e Marizé” com a Cia. Curumim Açu; uma batalha de rima intitulada “Quinta Féra”, contação de histórias com a Cia. Kiwi de Jaqueta em “Um passeio com a nuvem feliz” e também histórias com a Cia. Boi Voador, a pré-estreia do vídeo-documentário sobre o projeto A Maré, oficinas de fotografia com Jacqueline Vieira e Fagner Souza, a aula pública sobre Ocupação com a professora Alejandra Cedeño, além da presença do Coletivo Barafunda, entre outras atividades culturais (ver programação completa abaixo).

Esta será mais uma oportunidade de mostrarmos um pouco mais do trabalho dos vários coletivos artísticos, que desde o dia 27 de junho de 2016 ocupam pacífica, permanente e poeticamente o prédio público localizado na Avenida Duque de Caxias, 3241, que esteve abandonado por mais de 10 anos.

A Cia. Kiwi de Jaqueta (Fotografada durante a apresentação 'A Menina Abóbora') também participará da mostra - Foto: Eber Prado
A Cia. Kiwi de Jaqueta (Fotografada durante a apresentação ‘A Menina Abóbora’) também participará da mostra – Foto: Eber Prado

Em nota, o Movimento dos Artistas de Rua de Londrina (MARL) reitera o agradecimento de toda população londrinense com trabalho cultural e afirma que ‘luta por ocupação de espaços públicos abandonados, oferecendo outra narrativa para os mesmos. Há flores que nascem do asfalto e estamos cultivando..”, pontua a divulgação.


SERVIÇO
2ª Mostra do MARL
De 19 a 23 de Abril
Programação (19)
19h30 –
Recepção dos Calouros de Cênicas
“DISMORFOFOBIA”, do Grupo Dois é Bom
ESCATOMANCIA E OUTRA HISTÓRIAS SECRETAS – Gabriel Rubim e Mel Campus (ADULTO)
Bate papo sobre os Rumos da Política Pública de Cultura em Londrina
EXPOSIÇÃO DE ARTES VISUAIS Coletivo ”Barafunda” de artistas pesquisadores
Onde: CANTO DO MARL – Avenida Duque de Caxias, 3241.

Biblioteca Infantil promove apresentação musical

A Biblioteca Infantil de Londrina recebe, nesta sexta-feira (27), às 15 horas, a tecladista mirim Maria Heloisa Santos Alves, para uma apresentação musical no teclado. O evento é gratuito. A Biblioteca Infantil está localizada na Praça 1º de Maio, 110, em frente à Concha Acústica.
foto_biblioteca

Maria Heloisa tem nove anos e se interessou pela música quando viu a mãe fazendo o curso básico de teclado. Teve um breve aprendizado na escola de música Vivarte e atualmente faz o curso de teclado na escola “David Studio”. O repertório para a apresentação na Biblioteca Infantil será: Berceuse; O Pequeno Joãozinho; Ode a Alegria; Marcha Soldado; A Barata e Ursinho Pimpão.


SERVIÇO
Tecladista Maria Heloisa Santos Alves na Biblioteca Infantil
Quando:
Sexta-feira (27) às 15h
Onde: Biblioteca Municipal de Londrina
(Entrada Gratuita)

Triolé – Vila chama artistas para apresentações e propõe esquema ‘pague quanto puder’

Dando início às atividades de 2017, a Vila Triolé Cultural (Região Oeste) abre sua agenda para os grupos interessados em se  apresentar aos finais de semana no espaço. Podem ser grupos de música, dança, teatro, performances, palhaços, espetáculos para rua ou para sala, entre outros que possam vir e contribuir com a difusão cultural na região do bairro.

Diversas peças e apresentações com palhaços foram realizadas na vila Triolé em 2016 como a apresentação "Qual a Graça de Laurinda?" - Foto: Lafaiete do Vale
Diversas peças e apresentações com palhaços foram realizadas na vila Triolé em 2016 como a apresentação “Qual a Graça de Laurinda?” – Foto: Lafaiete do Vale

O cachê do grupo será pago com a bilheteria do espetáculo, sendo que 30% do valor será utilizado para custos de divulgação  (com carro de som, patrocínio de postagem em redes sociais e eventualmente impressos, além de produtos de limpeza para  manter o espaço); os 70% serão repassados ao artista/grupo que se apresentar.

Segundo a divulgação, o espaço entende a iniciativa como uma oportunidade de oferecer ações culturais a um público que se  encontra fora do eixo central da cidade. “A vila desde o início (2013) tem o objetivo de movimentar a região. Quando começamos, eramos uma das poucas vilas que estavam mais distantes do centro. Sempre recebemos grupos que ensaiam e agora a ideia é fazer um ‘chamado’ mesmo, ter bastante coisa na programação cultural, e ainda testar coisas”, contou Gerson Bernardes, gestor da vila triolé ao Rubrosom. Podem se candidatar artistas que fazem apresentações com palhaços, teatro de rua, encenações, teatro e música (Sem restrição de gêneros). Segundo Gerson, a bilheteria será dividida, sendo que 30% é para o espaço, e o restante para o artista.

Pague o quanto quiser – Neste ano, a Vila Triolé Cultural instituirá em suas atividades o programa “Pague quanto quiser, puder, ou quanto vale que acha, ou melhor, quanto acha que vale”. O programa funcionará de maneira simples, como o próprio nome tenta ser: quem define o valor das atividades no espaço cultural é o público.

Esta iniciativa, já praticada em outros espaços culturais e por outros grupos, bem como em estabelecimentos comerciais de cafés e outros do ramo gastronômico, foi a alternativa encontrada pelo grupo Triolé para efetivar ainda mais a “missão” que se atribui: o encontro com o público.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Desta maneira o grupo acredita que estará fora de uma lógica de mercado, uma vez que a cultura
não se enquadra nos moldes atuais do consumo, fazendo que aos poucos não se fale mais em preço, mas em valor. Além disso, é possível que esta iniciativa gere uma reflexão: qual é o valor da cultura para a sociedade?  O público presente nas atividades poderá pagar o quanto quiser, inclusive poderá pagar em um outro dia, quando e o quanto puder. O Triolé ainda terá espaço para, quem puder, pagar para mais de uma pessoa, deixando entradas pagas pendentes para outras com menos possibilidades, incentivando a criação de uma rede que possibilite a todos o acesso às atividades culturais do espaço.


Os grupos interessados, podem enviar propostas para Alexandre ou Gerson, no Alexandre ou Gerson, no
contato@triolecultural.art.br, pelo telefone (43) 3024-3330 ou ainda por nossa página facebook.com/triole

Teatro de Rua – Jornal de Pulgas é apresentada no centro de Londrina

Faltando exatamente 18 dias para o término de 2016, o grupo Teatro de Garagem apresentou na última quarta-feira (14) o espetáculo ‘Jornal de Pulgas: O Chiado da Cidade’ inspirada em acontecimentos do cotidiano, assim como, muitos desses acontecimentos baseados na forma como são relatados pela mídia convencional. Produzido de forma coletiva, com participação de todos os atores do elenco, a peça é resultado final do Curso Livre Teatro de Garagem realizado em 2016. Foi a terceira vez em que ela é apresentada neste mês.

Jornal de Pulgas é apresentada no centro de Londrina
Espetáculo atraiu a atenção de famílias, crianças e pessoas mais velhas que passavam pelo calçadão – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

A peça iniciou por volta das 20h, montada a partir de uma organização circular, feita no Calçadão de Londrina (Avenida Paraná, próximo ao número 350). Com diversas cores e elementos em cena – Incluindo cadeiras, bancos e elementos que emulavam muros e outros elementos da cidade grande – A apresentação formou um contraste curioso junto às luzes do calçadão e à multidão que, em sua maioria, comparecia ao centro devido ao horário diferenciado do comércio, já em plena atividade devido aos preparativos para o Natal.

Atores se apresentaram em formato semi-circular próximo a iluminação colocada no espaço do calçadão - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Atores se apresentaram em formato semi-circular próximo a iluminação colocada no espaço do calçadão – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Entre curiosos e pessoas que nunca haviam visto o teatro de garagem um detalhe foi notável; O grande número de polícias presentes ao redor do local da apresentação foi notório. Possivelmente outro efeito do ‘horário de natal’ do comércio que, todos os anos, implica também no aumento da frota policial em regiões de maior movimento. No entanto, foi no minimo coincidência o fato de, algumas viaturas, circularem frequentemente pelo trecho (Antes e durante a peça) no exato momento em que cenários eram montados e ainda fazendo com que peças da iluminação precisassem ser mudadas de local.

Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Um dos trechos da peça ironiza, exatamente, abordagens policias em relação a artistas e figuras da cidade. “O processo todo de criação do texto começou quatro meses atrás, a gente iniciou com as notícias de jornal e elementos como horóscopo, tudo o que você encontra num jornal aliado á estética do clown… Além de elementos de rítmo, percussão, que funcionam como um potencializador para o teatro de rua também, a partir das improvisações foram surgindo cenas no processo, a ideia é colocar em questão sobre o que é importante ser dito na mídia”, contou á reportagem o ator Rafael Avansini, membro do teatro de Garagem.

Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Utilidade Pública – Além da apresentação desta quarta, diversas peças de teatro acontecem pela cidade (Em diferentes bairros) como parte da programação do festival A Maré – Arte em movimento. Na próxima sexta-feira (16) o Teatro de Garagem novamente estará se apresentando, mas, no Conjunto Novo Amparo (Região Norte). O evento coincidiu, em Londrina, com uma notícia positiva; Na última terça (13) a Câmara de Vereadores reconheceu a Associação do Movimento dos Artistas de Rua – AMARL como uma associação de utilidade pública. Com o título de utilidade pública, agora , a associação poderá, legalmente, ter a cessão do Canto do MARL (Como ficou conhecido o espaço da antiga ULES). “É só o começo, isso permite por agora que a gente tenha condição legal de receber a cessão do prédio, ela foi dada à associação dos artistas de rua até o final deste ano. E agora a gente quer pressionar nas negociações para que seja feita essa cessão para a gente… “, pontuou o ator Rafael Avansini em entrevista ao Rubrosom.

Teatro – Zé Maria & Marizé tem apresentação grátis na Praça Nishinomiya

A Cia Curumim Açu apresenta, neste domingo (20), o espetáculo Zé Maria & Marizé, na Praça Nishinomiya, em frente ao aeroporto. A adaptação da obra “José de Maria” visa resgatar a magia dos autos e do teatro de rua através da estrutura itinerante. A apresentação será às 17 horas, e o espetáculo tem patrocínio da Prefeitura de Londrina, por meio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic).

Grupo Curumim Açu faz uma releitura do auto "José de Maria", da autoria de Luiz Menezes Peduto, pelos bairros de Londrina - Foto: Divulgação/Anderson Craveiro
Grupo Curumim Açu faz uma releitura do auto “José de Maria”, da autoria de Luiz Menezes Peduto, pelos bairros de Londrina – Foto: Divulgação/Anderson Craveiro

Segundo o ator e integrante da Cia Curumim Açu, Rafael Avansini, o espetáculo foi inspirado no auto de Luis Menezes Peduto e introduziu elementos do circo na história, criando um novo contexto para os personagens. “A peça se baseia em um auto de natal e parte desse contexto, mas revive, recria e questiona a questão, trabalhando temas como religiosidade e espiritualidade com referências circenses”, explicou. A peça conta a história de Zé Maria, bonequeiro de um circo itinerante, e que precisa ir ao encontro de Marizé, pois ela está grávida e prestes a conceber. “Durante essa jornada, o público vai reconhecer vários personagens icônicos do circo, como o palhaço, a mulher barbada, entre outros”, contou Avansini.
15068941_1844440949173403_5147579629197564355_o

Para as próximas semanas, estão programadas apresentações do espetáculo no conjunto Avelino Vieira, Vista Bela, Jamile Dequech e no distrito de São Luiz. A agenda será divulgada na página da Cia Curumim Açu, link www.facebook.com/nucleodeteatrocurumim


FICHA TÉCNICA

Elenco:
Bruno Bazé
Herbert Proença
OlifaOllon
Rafael Avansini
Thais Regina.
Direção: Edna Aguiar
Preparação Corporal: Amanda Tamarozzi
Dramaturgia: Rafael Avansini (Inspirado no Auto “José de Maria”, de Luiz Menezes Peduto)
Direção Musical: Bruno Bazé
Preparação Vocal: Thais Regina
Técnicas em manipulação de formas animadas: Olifa Ollon
Figurino e Cenário: Alex Lima
Assistentes de Figurino e Cenário: Loh Goulart e Aline Silva
Costureira: Inês Zeidel Grassi
Costureira Tapete e coro: Astrid Kopp Magalhães
Marcenaria: Caio Blanco
Serralheria: Monte Sião Monte Sião Metalúrgica
Arte Gráfica: Daniele Stegmann
Registro audiovisual: Anderson Craveiro
Produção: Alex Lima

Teatro – O Misantropo abre temporada de formandos da Funcart

Do dicionário; O misantropo (indivíduo que pratica a misantropia) é alguém que se sente desconfortável com a vida em sociedade, além de desconfiar e antipatizar com as outras pessoas… A julgar pelo significado, este é mais ou menos o tom do espetáculo apresentado nesta terça-feira, no Circo Funcart em Londrina, por formandos da Escola Municipal. A Fundação Cultura Artística de Londrina (FUNCART) apresenta o espetáculo de formatura da turma de teatro 2016 ”O Misantropo”, encenada em 318 A.C., escrita por Menandro. As apresentações ocorrerão do dia 8 à 13 (terça-feira a domingo) de novembro, às 20h. A apresentação inicia uma temporada de peças apresentadas na Funcart até o próximo dia 15 – As outras são Lisistrata e As Nuvens.

Peça O Misantropo abre temporada de formandos da Funcart

Sinopse – Nos arredores de File, vive o velho Cnêmon, um camponês furioso que mantém sua fazenda com seus próprios braços, a par da sociedade, acompanhado apenas de uma empregada e de sua filha mais nova. A moça já não aguenta mais segurar a vontade de conseguir um marido para enfim viver longe da misantropia do pai, então decide fazer uma suplica a Ninfa favorita do (não tão) poderoso deus Pã. A dupla de semideuses acaba por gerar uma serie de desventuras que obrigam o velho misantropo a lidar com as pessoas que passam pelo local e com a ideia do casamento da filha.


Direção: José Silva
Elenco:Beto Junior, Bruno Zucoloto, Celso Nascimento, Eduardo Borges, Haletéia Fioravane, Igor Brandão, Isaque Gonçalves,  Leandro Bonassoli, Matheus Moreno, Tiago Lessa, Tony Abreu, Vernumo Mungátura, Willian Monfredini


SERVIÇO
O Misantropo
Onde: Funcart -Rua Senador Souza Naves, 2380
Horário: 20h30

Reta Final – FILO Terá 10 apresentações até domingo

A edição 2016 do Festival Internacional de Londrina segue com programação do último final de semana recheada de atrações. O evento encerra no próximo domingo (11). Até o seu término, dez apresentações ainda irão acontecer englobando linguagens como música, dança, teatro de animação, teatro de bonecos, teatro infantil e adulto.

RETA FINAL - FILO TERÁ 10 APRESENTAÇÕES ATÉ DOMINGO
Nesta sexta-feira (9), o grupo Mawaca, de São Paulo (SP), apresenta no Teatro Mãe de Deus, às 19 horas, o espetáculo “Pelo Mundo com Mawaca” – Foto: Daniel Kersys

Ainda há ingressos disponíveis para algumas das 10 apresentações do final de semana, no ponto de vendas do Royal Plaza Shopping e pela internet: www.filo.art.br ou site Disk Ingressos ou ainda nas bilheterias dos teatros, por R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada e descontos especiais indicados no site FILO).

Na sexta-feira (9), o grupo Mawaca, de São Paulo (SP), apresenta no Teatro Mãe de Deus, às 19 horas, o espetáculo “Pelo Mundo com Mawaca”, que já está com os ingressos esgotados. O show é baseado no livro “De Todos os Cantos do Mundo”, de Heloisa Prieto e Magda Pucci. Com um repertório formado por canções de diversos lugares e culturas do mundo, o espetáculo convida o público infantil e a todos os amantes da boa música para uma viagem que passa pelo canto medieval francês, pelo Norte brasileiro e suas cantigas tradicionais e indígenas, pela África e por danças ritualísticas do Oriente Médio e Portugal. Canções e danças se entrelaçam a histórias encenadas em um cenário ricamente elaborado, com muitos adereços, bonecos e instrumentos étnicos.

O espetáculo conta a história de Hanna Arendt e seus pensamentos. Filósofa e uma das mais inquietantes personagens do século 20, Arendt trouxe à luz o papel da pessoa comum e as motivações banais na manutenção do Estado autoritário - Foto: Renata Ibis
O espetáculo conta a história de Hanna Arendt e seus pensamentos. Filósofa e uma das mais inquietantes personagens do século 20, Arendt trouxe à luz o papel da pessoa comum e as motivações banais na manutenção do Estado autoritário – Foto: Renata Ibis

Teatro de animação é a técnica que o ator Rudinei Morales, de Porto Alegre (RS), utiliza para encenar a peça “Brechó da Humanidade” nesta sexta-feira (9), com reapresentação no sábado (10), às 19 horas, no Teatro Zaqueu de Melo – com ingressos esgotados nos dois dias. A vida dessa mulher, que criou a expressão “banalização do mal”, é mostrada por Morales como um inusitado personagem do teatro de animação, no qual ele utiliza objetos no lugar de bonecos.

Outra atração desta sexta-feira (9) é o monólogo “mEU”, que a atriz Marina Stuchi, de Londrina, apresenta no Centro Cultural Sesi, às 20 horas. A montagem é resultado da participação de Marina no Núcleo de Dramaturgia SESI, e trata da vida de uma atriz que decide romper com os personagens que encarnou, com os papéis que assumiu na vida, e sai em busca de sua identidade.

O Núcleo Ás de Paus, de Londrina, apresenta nesta sexta-feira (9) e no sábado (10), na Divisão de Artes Cênicas da Casa de Cultura da UEL, o espetáculo “Donantônia” – e já tem casa lotada nos dois dias. Entre uma xícara de café e um pedaço de bolo, uma velha senhora conta suas histórias e lembranças de uma vida que ficou dividida entre o sim, o não e o talvez. O coletivo utiliza elementos como bastões, pernas de pau, máscaras para contar uma história delicada, alinhavada com muitas canções originais.

Núcleo Ás de Paus durante apresentação da peça 'Donantônia' - Foto: Bruno Leonel/RubroSom
Núcleo Ás de Paus durante apresentação da peça ‘Donantônia’ – Foto: Bruno Leonel/RubroSom

No sábado (10), a atriz Florencia Santángelo, da Cia Quatro Manos, do Rio de Janeiro (RJ), apresenta o monólogo “Acorda Amor!”, às 20 horas, no Centro Cultural Sesi. O espetáculo, que volta a ser apresentado no domingo (11), é uma releitura bem humorada e cheia de lirismo, que revela e completa minúcias escondidas do clássico “A Bela Adormecida”, dos Irmãos Grimm.

Também no sábado (10) e no domingo (11) será apresentado o espetáculo de teatro de bonecos “O Velho da Horta”, da Cia PeQuod, do Rio de Janeiro (RJ), às 20h30, no Teatro Mãe de Deus. A montagem do texto de Gil Vicente celebra os 500 anos do primeiro grande dramaturgo da língua portuguesa. A farsa conta a história de um hortelão que se apaixona por uma jovem e, mesmo sem ser correspondido, acredita que a conquistou por causa de uma intermediária que o ilude apenas para lhe arrancar dinheiro. O espetáculo é vencedor do Prêmio Maria Clara Machado e promete agradar tanto adultos quanto o público infantil.


Serviço:

Festival Internacional de Londrina – FILO 2016
De 26 de agosto a 11 de setembro
Realização: Associação dos Amigos da Educação e Cultura Norte do Paraná e Universidade Estadual de Londrina
Patrocínio: Petrobras, Governo Federal, Prefeitura de Londrina / Secretaria Municipal da Cultura / Programa Municipal de Incentivo à Cultura (Promic), Universidade Estadual de Londrina, Unimed Londrina, Horizon – John Deere.
Ingressos: Ponto de vendas no Royal Plaza Shopping (Rua Mato Grosso, 310) e pela internet: www.filo.art.br e www.diskingressos.com.br. Valor: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada).
Informações: www.filo.art.br.