Por Bruno Leonel

O projeto londrinense “Araca: Arquiduquesa do Encantado” está entre as iniciativas contempladas no 1º edital do Prêmio Arte Paraná. O prêmio é faz parte do programa estadual de fomento e incentivo à cultura, e selecionou 24 espetáculos de Circo, Dança, Música e Teatro, para circulação e apresentação em todo o Estado. O projeto sobre Aracy de Almeida está entre os 7 selecionados na área de Música, e fará 8 apresentações nos meses de novembro e dezembro, nas cidades de Ibiporã, Maringá, Cascavel, Ponta Grossa, Cornélio Procópio e Apucarana. As datas e locais dos shows estão em fase de definição.

Da esquerda para a direita: André Mattos (clarineta), Lucas Dias (pandeiro), o ator Leonardo Capeletti, Silvia Borba (Voz), Guilherme Araujo (Bandolim dez cordas) e Osório Perez (violão sete cordas) – Foto: Anderson Coelho.
Da esquerda para a direita: André Mattos (clarineta), Lucas Dias (pandeiro), o ator Leonardo Capeletti, Silvia Borba (Voz), Guilherme Araujo (Bandolim dez cordas) e Osório Perez (violão sete cordas) – Foto: Anderson Coelho.

Para a cantora Sílvia Borba, idealizadora do projeto, a turnê estadual será uma oportunidade de levar ao conhecimento do público a trajetória de uma das vozes femininas mais emblemáticas do mundo do samba. “Aracy foi considerada a melhor intérprete de Noel Rosa e sua maneira de cantar foi elogiada por Mário de Andrade. Apesar de ser uma referência mítica na classe artística, o grande público muitas vezes desconhece sua importância na música brasileira. E o nosso projeto quer dar à Aracy o tratamento merecido como artista”, comenta a cantora.

Com uma hora de duração, o espetáculo tem o formato de um programa de rádio, um dos principais veículos da época. A montagem é resultado de mais de um ano de pesquisa dos músicos e a estreia aconteceu em julho deste ano. Desde então o grupo já fez 7 shows na cidade, através do patrocínio do Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura. “Eu conhecia a Aracy de Almeida como jurada de programa de TV, e à medida que fui conhecendo a obra desta mulher, fiquei encantada com a vida e a importância dela para a Música Brasileira”, destaca Sílvia Borba. “Desde o início de 2015 começamos a estudar, lá pelo meio do ano houve a separação do repertório. Recebemos toda a discografia da cantora do colecionador Gilberto Inácio Gonçalves (De São Paulo que trabalha como cirurgião dentista), tudo no digital (centenas de faixas) e então fizemos uma seleção disso tudo. Inscrevemos o projeto no PROMIC, foi aprovado… e agora, até o final do ano cerca de 10 apresentações irão acontecer”, comentou a cantora à reportagem do RubroSom.

O retorno do público tem sido bastante positivo. “As pessoas ficam encantadas com a riqueza do repertório e com a beleza dos arranjos musicais. A história de Aracy, retratada no roteiro, também surpreende os espectadores”, comenta Sílvia. Para ela, a apresentação no Centro de Convivência do Idoso, no mês de outubro, foi a mais emocionante. “Dois casais se levantaram para dançar e depois fomos presenteados com um artesanato produzido pelos próprios idosos. Foi um show difícil de encerrar”, admite a cantora.

Em Londrina, a próxima apresentação acontece neste sábado (12), às 20 horas, no SESC Cadeião, com entrada gratuita. No palco, a cantora Sílvia Borba interpreta Aracy de Almeida, acompanhada pelos músicos Osório Perez, no violão sete cordas, André Mattos, na clarineta, Guilherme Araújo, no bandolim e Lucas Dias no pandeiro. A direção musical e os arranjos são de Paulo Vitor Poloni. O ator Leonardo Capeletti contracena com Sílvia Borba, sob a direção de Sílvio Ribeiro, também autor do roteiro. Os figurinos são assinados por Alex Lima. O projeto é patrocinado pelo Promic – Programa Municipal de Incentivo à Cultura, da Prefeitura de Londrina, e tem mais duas apresentações em Londrina até o final do ano.


Espetáculo:
12.11 (sábado) às 20 horas no SESC Cadeião – Rua Sergipe, 52. Entrada gratuita