Por Bruno Leonel

Inicia nesta segunda-feira (21)  a 12ª edição do Festival Literário de Londrina. E começa em alto estilo: No mesmo ano em que medalhões da música mundial (Cohen, Bowie) se despediram e que um artista como Bob Dylan se tornou o único artista vivo possuidor dos prêmios Oscar, Grammy e Globo de Ouro, e agora um Nobel – firmando assim o elo da canção popular com a literatura, o Londrix  abre a temporada literária com show da londrinense Simone Mazzer, a grande revelação da musica popular brasileira neste ano.

Simone Mazzer durante apresentação ao vivo - Foto: Divulgação
Simone Mazzer durante apresentação ao vivo – Foto: Divulgação

Em junho a cantora recebeu o título de revelação durante a 27ª edição do Prêmio da Música Brasileira, nos palcos do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o que configura um momento especial para a artista que irá abrir hoje o pré-Londrix. “Acho que estamos no caminho certo. Desde o princípio o Londrix investe em todas as linguagens que envolvem a palavra, na busca por mais e mais leitores” – diz a diretora do Festival, Christine Vianna. “Para nós estimular a leitura é uma missão. A literatura não é uma arte fácil, mas nosso trabalho vem sendo reconhecido com prêmios nacionais. Apesar de todas as dificuldades, neste ano trazemos uma programação intensa e relevante”, cita Christine.

Se o show de abertura renova os cuidados do Festival para a fusão da musica e da palavra, o Londrix – 12 Anos recebe também atrações já consolidadas, como o “Sarau Prosa e Poesia e Outras Delicias” (Prêmio  Circulação Literária/2015 do Ministério da Cultura), o projeto “Um Dedo de Prosa nas Escolas” (Prêmio Nacional Circulação Literária, do MINC)  e “Assalto Literário”, (Premio Todos por um Brasil de Leitores, tsmbém do MINC). Poesia e música estão presentes este ano em outros dois projetos: o Cabaré Londrix (com bandas da cidade) o “Poesia In Concert”, com poesia e música.

RECORDE  NA POESIA DIGITAL – O Festival Literário 2016 colhe os frutos também no campo da poesia digital, uma modalidade poética que se consolida. A “Mostra Londrix de Video Poemas” chegou à sua quinta edição batendo recordes. Neste ano, 55 mil pessoas participaram das votações. “Clamor”, do poeta Valdir Rodrigues, de Cambé, foi o vencedor. Os 12 vídeos poemas selecionados entre os 70 inscritos serão exibidos nos telões do Londrix na Vila Cultural Cemitério de Automóveis e no Museus Histórico.

LONDRIX OCUPA MUSEU – Como muitas das atividades da programação acontecem nas dependências do Museu Histórico, no pátio e estacionamento haverá uma nova atração: o “Londrix Drive In Food Truck” com comidas de boteco e exibição em telão da série “Pássaros Ruins”, uma coletânea de vídeos com poetas paranaenses. “Uma das características desta edição do Londrix é que palestras, mesas e debates estarão acontecendo junto com lançamentos, contação de histórias, números de circo, tudo no mesmo local, o que permite às pessoas passar o dia mergulhados num ambiente de criação e fruição literária” – diz Edra Moraes, da Curadoria do Londrix.

Além dos lançamentos e sessões de autógrafo, no Museu Histórico acontecem o “Café das Letras”, o  “Café Arte Filosofico” e, pela primeira vez, o “Café com Elas”, focado na literatura escrita por mulheres.

LONDRIX CHAMA OS UNIVERSITÁRIOS – Nesta edição o Londrix dá inicio a um novo projeto mobilizando a produção acadêmica da cidade. O Seminário de Dissertações e Teses em Andamento – S.E.D.A. – vai promover oito encontros onde mestres e estudiosos apresentam seus trabalhos sobre escritores e temas literários. “Este ano o festival vai ter participação direta de alunos que tratarão de suas pesquisas literárias. A cidade é um centro de produção artística e crítica. A UEL com 4 mestrados e 2 doutorados na área de Letras tem um grande papel na construção crítica e desse encontro poderão sair grandes projetos” diz o professor Frederico Fernandes, da Universidade de Londrina.

ATRIVISTAS, PIONEIROS, CONAGRADOS

O Londrix – 12 anos traz grandes nomes, como os premiados Ignacio de Loyola Brandão e Ana Miranda, escritores pioneiros como o poeta concreto Wlademir Dias Pinos (precursor do poema-processo), autores que estão na linha de frente do ativismo literário, como o poeta Sergio Vaz, da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia de São Paulo) ou, ainda, o escritor indigenaDaniel Munduruku, da Casa dos Saberes Ancestrais.

Além de nomes já consagrados, mais de 20 autores regionais estarão autografando os seus livros. Há, ainda, uma vasta programação para as crianças com diversas sessões de contação de histórias, lançamento de livros infantis e show de palhaços.

(Com informações da assessoria de imprensa)


Serviço:
Londrix: Simone Mazzer – Show Férias em Vídeo Tape
Quando: Segunda-feira (21), às 20h30
Onde: Vila Cultural Cemitério de Automóveis (R. João Pessoa, 103-A)
Quanto:  R$ 20 (promocional)

A programação completa e o horários dos eventos podem ser conferidos no site www.londrixfestivalliterario.com.br.