Por Bruno Leonel

Em Londrina, o último domingo de outubro foi marcado pelo samba de raiz e pela chamada nova música brasileira durante a terceira edição do Palco Alma. O evento foi realizado na Vila Cultural Alma Londrina, na Vila Brasil, e contou com apresentações musicais do Seo Nelson, do grupo Abacate Contemporâneo e do cantor Bruno Morais.

Por volta das 17h30, o público presente já formava rodas de samba ao som do 'Seo Nelson' - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Por volta das 17h30, o público presente já formava rodas de samba ao som do ‘Seo Nelson’ – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Em meio a uma tarde de muito calor (Com temperaturas chegando perto dos 29º C), pessoas de várias idades – Indo desde crianças, até adultos e também senhores e senhoras – compareceram ao evento que, a partir das 16h30 já contava com uma discotecagem cheia de groove e rítmo, realizada pelo Dj Diq – residente do projeto. De início, o público começou a comparecer timidamente ao espaço, mas, já perto das 17h40, um pouco antes da apresentação do Seo Nelson iniciar, já preenchia boa parte do espaço da Alma Londrina – A vila tem o patrocínio do Promic. O início do 3º Palco Alma foi bastante animado, com diversas rodas de dança logo nas primeiras músicas da apresentação do Quarteto do Samba. “Eu achei maravilhoso poder tocar aqui de novo, é o tipo de coisa que sempre faz bem, é você tocar em grupo e essa harmonia do povo aplaudindo, é muito bom…”, comentou Nelson da Silva (Seo Nelson) logo após a apresentação, que teve mais de uma uma hora de clássicos do Samba, são tantos clássicos aliás que eventualmente um acaba faltando. “Hoje ainda fiquei devendo (risos), tem um rapaz que sempre me pede para tocar ‘Espelho’ do João Nogueira, hoje ele me cumprimentou e acabei não tocando”, brincou Nelson… Quem sabe numa próxima.

Seo Nelson com o 'quarteto' se apresentando durante o 3º Palco Alma - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Seo Nelson com o ‘quarteto’ se apresentando durante o 3º Palco Alma – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Segunda apresentação da noite, o coletivo ‘Abacate Contemporâneo’ fez uma apresentação bastante enérgica e envolvente. Formado em 2014, o grupo faz uma mistura interessante de rítmos brasileiros, unindo elementos da MPB e do Samba com estilos como a tropicália. A performance da vocalista Raquel Palma, repleta de verve e de teatralidade – com direito até a uma chamada inusitada de ‘fora temer’ – foram um dos destaques do conjunto, aliada à competência musical do grupo. “O evento teve um saldo muito bom, tocamos hoje ao lado do Seo Nelson que é parte da raiz do samba aqui na cidade, e também o Bruno Morais (Com quem já trabalhei), fiquei bem emocionado em ver a presença dele hoje… “, contou o músico Rafael Fuca (Guitarrista) sobre a performance do Abacate Contemporâneo.”Nossos shows tem uma coisa meio imprevisível, meio visceral, isso torna mais interessante também”, completou o músico. Atualmente o Abacate Contemporâneo está também com uma campanha de financiamento coletivo com a ideia de bancar o primeiro compacto do grupo, juntamente a dois vídeos em estúdio.

Abacate Contemporâneo durante apresentação no 3º Palco Alma - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Abacate Contemporâneo durante apresentação no 3º Palco Alma – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Com uma banda bastante numerosa – Um power trio de guitarra, bateria e baixo, acompanhada ainda de um trio de sopros, só com músicos de Londrina – Quem encerrou os trabalhos do palco foi o músico (radicado em São Paulo) Bruno Morais, que subiu ao palco já por volta das 20h50. Entre canções de seu EP mais recente: “Contra a vontade do chão”, o repertório traz ainda diversas canções registradas no segundo álbum dele, ‘A vontade superstar’, lançado nos mercados brasileiro, norte-americano e europeu; “Platéia é platéia, em todo show muita coisa pode acontecer… Mas é muito bom estar podendo mostrar meu trabalho aqui na cidade onde nasci, especialmente, com a banda toda, foi uma experiência muito legal. É um momento de renovação, chegando meio que ao fim de um ciclo, é uma das últimas apresentações deste show, antes do próximo disco que sairá em 2017”, contou Bruno Morais, que, não se apresentava em Londrina já há cerca de 5 anos. “Começamos a gravar o novo disco já em 2014…  E nesse caminho fiz alguns compactos, fiz o Lado A/Lado B com a Lulina, depois ainda fiz o ‘Contra a Vontade do Chão’ e isso foi alimentando meu trabalho, sempre ia mudando algo nos shows… Na europa tivemos uma recepção legal também, o som tocou no rádio, isso tudo agregou”, contou Bruno Morais. ” Ao longo de 2015 gravamos mais um pouco, foram 6 sessões com o pessoal do Bixiga 70, e as outras todas com a minha banda, tem Annelise Assunção, Metá Metá e muitos outros…”, contou Morais. Segundo ele, o disco ainda não tem previsão de lançamento.

Bruno Morais, atualmente radicado em São Paulo, não se apresentava em Londrina há cerca de 5 anos - Foto: Bruno Leonel/Rubrosom
Bruno Morais, atualmente radicado em São Paulo, não se apresentava em Londrina há cerca de 5 anos – Foto: Bruno Leonel/Rubrosom

Com um público bastante superior à 2ª edição do Palco Alma – Talvez também pelo estilo das bandas ‘casar’ mais com o gosto do público que geralmente frequenta o espaço cultural – O Palco Alma vem reafirmando seu papel como importante evento dedicado à música independente (de vários gêneros) na cidade. Unindo nomes londrinenses a atrações de fora, a cada edição, o evento consolida sua proposta criando um espaço de qualidade para que grupos possam tocar ao vivo. Na Alma Londrina, o domingo foi de música e de muito calor! Não apenas pelo tempo abafado, mas também, pelas boas energias que público e bandas geraram através da sintonia com a cultura e a música.